Bem-vindo a Sociedade Gnóstica Internacional

15 set 2010

Wilhelm Reich

Wilhelm Reich nasceu em 24 de março de 1896, em Dobrzanica, uma pacata cidade do Império Austro-Húngaro (hoje pertencente à Ucrânia). Era filho de Leon e Cecilie Reich. Desde muito jovem, vivendo na fazenda e em contato direto com a natureza, se interessou pelos fenômenos naturais.

Sua mãe suicidou-se em 29 de setembro de 1910, no ápice de uma tragédia familiar. Em 1914 quem falece é seu pai, vítima da pneumonia, deixando o jovem Reich desamparado, tendo que gerir a fazenda em condições difíceis. Mesmo com as adversidades, Wilhelm Reich prosseguiu com os estudos e durante a Primeira Guerra Mundial – conflito que se iniciaria um ano depois – a região onde morava doi invadida pelos Russos e sua fazenda foi destruída.

Em 1919, conhece Sigmund Freud. Wilhelm Reich formou-se em 1922 e iniciou seus trabalhos com o tratamento de pacientes portadores de distúrbios mentais, na Universidade Neurológica e Psiquiátrica, junto a Paul Schilder. Em relação à sua vida conjugal, Wilhelm Reich teve várias mulheres. Primeiramente foi casado com uma de suas pacientes, Annie Reich, da qual se divorciou em 1932. Com a mesma teve duas filhas, Eva e Lore.

Também conviveu com a bailarina Elsa Lindenberg e, ainda mais tarde, com sua assistente Ilse Ollendorf – com quem casou-se e teve outro filho – Peter. Ainda mais tarde, encontrou sua última companheira, Aurora Karrer, bióloga e sua colaboradora.

Em 1939 mudou-se para Nova Iorque para divulgar suas idéias – agora na língua inglesa – sendo seu livro “A função do orgasmo” publicado em inglês pela primeira vez em 1942.

Neste seu livro Reich aproxima-se de idéias menosprezadas pelo meio científico tradicional, tais como a Teosofia e Espiritismo, falando da existência de uma substância intangível, vital, que batizara de orgone  – princípio cósmico que conhecemos com outros nomes (prana, fluido cósmico universal, chi, etc). Analisando os efeitos da respiração no ato sexual, Reich chegou a conclusões sobre: seu efeito na mente, normalização do fluxo energético nas trocas energéticas entre os parceiros e influência na absorção do orgônio.

Reich enfatizou a natureza essencialmente sexual das energias com as quais lidava e descobriu que esta bioenergia era bloqueada de forma mais intensa na área pélvica de seus pacientes, na região sexual. Errôneamente, Wilhelm Reich chegou a acreditar que o objetivo da terapia deveria ser a libertação dos bloqueios do corpo e a obtenção de plena capacidade através do orgasmo e espasmo sexual, afim de estabelecer o equilíbrio do orgone. Sabemos que a energia sexual – desequilibrada tanto nos homens quanto nas mulheres – deve ser transmutada através do Êxtase da Cooperação Sexual.

Apenas através da mútua cooperação sexual sem desperdício energético é que poderemos transformar este tipo de energia fundamental, realizando um processo de sutilização, tal como ocorre nas refinaria de petróleo. A palavra “Petróleo” pode ser dividida em duas: “Petro” e “Óleo”, ou seja, “óleo de pedra”. Tal como o petróleo é o combustível principal de nossa sociedade, também nosso “óleo de pedra” –  o óleo da pedra fundamental de Yesod, a própria energia sexual – é nosso combustível interno.

Na tentativa de acumular esta energia primeva universal, Reich criou nos Estados Unidos um instituto para o estudo do orgone, que utilizou em tratamentos contra o câncer. Reich inventou a chamada caixa orgônica, um aparato muito simples, uma caixa feita com metal, lã de vidro e madeira, que denominou de “acumulador de orgônio”. Inseria os ratos com tumor no interior da caixa por alguns minutos todos os dias e observou que os tumores, em sua maioria, iam desaparecendo.

Sabemos que nossa energia vital (sexual) é a responsável pela organização celular, é o modelo de nosso corpo físico. Sendo assim, o câncer nada mais é que um desarranjo, uma desorganização desta nossa energia orgônica, sexual.

Wilhelm Reich inventou também a “Cloudbuster”, a máquina de fazer chover e um motor que funcionava com a energia vital. Em 1954 começou a ser investigado pela FDA (Federal Food and Drug Administration), sendo então processado e preso, após infrutíferas tentativas de apelação. Faleceu de ataque cardíaco em 3 de novembro de 1957.

9 Respostas

  1. Paulo Sérgio

    Caro Kleiton Luis

    As experiências de Reich fôram importantes para a sua época como resposta às repressões que o corpo era alvo em finais do século XIX (19), princípios do XX (20).

    As consequências deram no oposto, a depravação e a libertinagem sexual propagadas pela literatura dos anos 30/40, incrementando o vazio em muitos jovens e em adultos, que percorriam as casas de prostitutas para satisfazerem a líbido dde forma desenfreada.

    Desta situação até aos movimentos hipies foi rápido e destes à sida foi ainda mais repentino. Sabemos, por estudos de movimentos Gnósticos imparciais e responsáveis que o uso indevido da energia sexual pode acarretar resultados extremamente negativos para o desenvolvimento harmonioso do ser humano.

    Segundo estudos de idóneos Centros Gnósticos, o esperma carrega uma grande quantidade de eletricidade e tornam-se magnetizados de Sul para Norte, funcionando como bússola; eles passam de um pequeno navio para outro subindo através dos cordões espermáticos até atingirem as vesículaa seminais onde o esperma é purificado até atingir a próstata, onde existe um chakra muito importante, fundamental para o domínio da transmutação sexual.

    O esperma torna-se, depois de puruficado, radioativo, eletromagnético – isso é o que impele o homem a utilizá-lo, é o desejo sexual ou líbido. É com a transmutação que ele se transforma em energia, decompondo-se em em hormónios que atravessam as membranas no sangue a caminho do cérebro, ativando as áreas do cérebro que não funcionam mais, que são degeneradas; eles fazem todas as células do cérebro dinâmicas e conferem certos poderes latentes no homem.

    Com a satisfação dos impulsos brutais e desregrados o cérebro degenera devido à falta de hormónios pois deixa de os receber e perde a sua capacidade de ação. As secreções internas dos testículos e dos ovários são importantíssimas para a vida do ser humano sobre a terra. Ao se abster do desejo sexual indiscriminado, isso fará subir a energia criativa já que o sémen se transforma em energia.

    A magia do sexo é intensificada na transmutação sexual; através da Alquimia sexual transmuta-se e sublima-se a totalidade da energia sexual. Assim com a transmutação sexual intensificada as glândulas endócrinas são super-estimuladas e produzem um número maior de hormónios que modificam o sistema fluído nervoso por inteiro.

    A intensa excitação sexual, com orgasmo, destroi o sistema nervoso e causa debelidade. O óvulo e os hormónios segregados pelos ovários são essenciais para o máximo bem estar da mulher, por essa razão todo o comportamento sexual deve ser exemplar e responsável, já lá vão os tempos em que se pensava que a função do orgasmo era dar felicidade. Tempos adolescentes em épocas económica e culturalmente conturbadas, que ocasionaram 2 guerras mundiais e a libertinagem sexual como forma de escapismo a estas fases confusas da humanidade.

    Abraço fraterno
    Paulo Sérgio

  2. Paulo,

    Considero excelente e oportuna a sua apreciação de conteúdo. O objetivo destes textos é trazer informação útil aos leitores e promover a geração de ideias, além de incitar a todos a resgatar conteúdos gnósticos indispensáveis e úteis para a complementação das reflexões aqui propostas.

  3. Paulo Sérgio

    Caro Giordano,

    Obrigado pelo seu comentário oportuno, assim entendo também e é sempre bom não esquecer as fases involutivas degeneradas que a humanidade tem percorrido ao longo dos últimos tempos, essa foi a magnífica tarefa de Samael Aun Weor.

    Reich preparou terreno para o “sex, drugs and rock ´n roll” daqui para a sida (aids)foi um salto curto e fulminante, nada se entendeu acerca dos ensinamentos antigos, respondendo-se com irreverência sem escrúpulos nem responsabilidade e o ocidente, nesta como em outras situações, provocou mais um acidente!

    É bom lembrar que o corpo mental é influenciado pelos sentidos exteriores cujas impressões são transformadas em desejos então a mente retira-se do Íntimo caíndo no mundo da ilusão (Maya). No Íntimo não há desejo, apenas força de vontade relacionada com o Ser, enquanto o desejo está relacionado com a natureza animal.

    O Íntimo deve controlar a mente, devendo fortalecer o átomo do Espírito Santo na glândula pineal com os átomos solares e lunares dos nossos fluídos sexuais. Os fluídos sexuais não controlados pelos apetites sensorias, fruto do ego, através do orgasmo produzem a alma animal.

    No fígado temos o nosso karma, não podemos fazer a vontade de Deus através do sexo, temos de o controlar a fim de fortalecer a glândula pineal e assim controlar a mente, isto é fazer a vontade divina em nós, muitas vezes denegrida pelo ego.

    O coração purifica o sangue impuro, aí está o “Nous”, se o seguirmos estamos a corresponder à vibração do átomo de Noé, ficamos fora do dilúvio, da degeneração, pois o átomo “Nous” está unido com o “El” que é Deus, o Pai do coração. Por ele controlamos a mente, a emoção e o sexo.

    Através da meditação, como o Giordano várias vezes falou, da oração, rezando intimamente, o coração influencia a mente, tornando-se o centro da compaixão que controla a mente, transformando as forças negativas dos desejos desenfreados, produto do nosso lado egocêntrico sucessivamente insatisfeito.

    O trabalho alquímico com a coluna vertebral faz desenvolver a nossa fé, pois ela está relacionada com a glândula pineal que abre a porta do Céu para se falar com o Deus interno. Devemos trabalhar o nosso karma através do Dharma, pelo trabalho que fizermos com o nosso Ser assim alteraremos as diversas consequências que transportamos de vidas passadas.

    Assim a Gnose torna-se prática, de intenso labor interior, caso não o façamos nem lhe demos a devida atenção, corrompemos a Gnose e fazemos dela um mero clube de entretenimento, nada mais.

    Abraço fraterno
    Paulo Sérgio

  4. Acho o texto muito oportuno e muito bom para saciar a sede por sabedoria, pricipalmente a nível público, mas acho o que o sr. Paulo comenta um conhecimento mais reservado em sua profundidade, que acho não ser o objetivo desses textos, seria o mesmo que se aprofundar sobre cosmoética e ufognose em uma conferência pública sobre os mistérios maias… cada coisa no seu lugar.

  5. Paulo Sérgio

    Caro Fabio,

    Obrigado pela classificação que dá ao meu comentário mas não se esqueça que este pode ser um complemento e pode, inclusive, alargar as fronteiras do próprio texto em análise, essa é a a tarefa de quem tem como missão abranger visões menos redutoras, estendendo a interpretação a outros campos relacionados com o tema apresentado pelo autor, cujos resultados práticos não são meras interpretações individuais mas consequências verídicas em terreno social.

    Abraço fraterno
    Paulo Sérgio

  6. Paulo, tenho observado que você aparenta ser um leitor assíduo de nosso site.
    Obrigado pelas suas ponderações e opiniões!

    As suas visitas também sempre serão bem vindas!

  7. Paulo Sérgio

    Kleiton,

    Sempre o farei, não só porque penso que há pessoas muito válidas que participam como responsáveis neste site, como também porque considero oportuno, da minha parte, complementar alguns dos vossos textos.

    Espero que todos vós, autores dos conteúdos deste site, permaneçam com estes vossos contributos tendo sempre em conta a elevação ética e imparcial dos que vos visitam.

    Abraço fraterno
    Paulo Sérgio

  8. Paulo Sérgio

    Caríssisimos,

    Apenas gostaria de acrescentar que nos meus comentários estarei sempre em sintonia com os valores espirituais pelos quais me pauto, de integridade e lealdade na defesa da vida e do respeito por ela, tendo em vista as magnas leis cósmicas que nos regem sábia e espiritualmente, mesmo que isso entre em oposição frontal com os temas expostos por vós. Penso que essa situação foi já clarificada pelo Giordano que, como o Kleiton, reconhecem a necessidade de um verdadeiro complemento para o entendimento global e reflexão íntima de cada conteúdo expresso neste site.

    Abraço fraterno
    Paulo Sérgio

Deixe um Comentário