Bem-vindo a Sociedade Gnóstica Internacional

6 jan 2016

Reflexões Sobre a Epifania Interior

Em todos os anos, no dia 06 de janeiro, as comunidades cristã e gnóstica celebram a Epifania, que significa Revelação de Cristo. Entre os cristãos ela também é conhecida como Dia de Reis, pois a primeira revelação de Cristo teria ocorrido aos Reis Magos, alguns dias após o seu nascimento. Entre os gnósticos, mais especificamente nos Lumisiais Gnósticos, realiza-se a Missa Gnóstica, pois esse rito nos leva a viver as revelações do Cristo em nós mesmos.

O sentido gnóstico da Epifania pode ser melhor compreendido quando apreciamos as palavras de Samael Aun Weor a respeito desta maravilhosa celebração:

“Epifania significa a manifestação ou a revelação ou a ascensão de Cristo em nós”. (Samael Aun Weor, Matrimônio Perfeito ou A Porta de Entrada da Iniciação, Capítulo 7: Dois Rituais).

“Sigamos agora com EPIFANIA: esta palavra vem do grego, Epifania é a Ascensão, revelação ou manifestação de CRISTO em nós, depois da Ressurreição de nosso CHRESTOS. Esta ascensão nos leva à ILUMINACÃO do Espírito Santo, depois de recapitular todo nosso passado, entre o profundo abismo do mal.” (Samael Aun Weor, As Sete Palavras).

Sabemos que após o nascimento, vida, morte e ressurreição de Cristo, o mesmo encontrou-se novamente com seus discípulos, como está narrado na Bíblia (Mat. 28.16; Mar 16.9; Luc. 24.16; João 21.1). Contudo, nestas passagens temos apenas uma vaga ideia do que teria acontecido neste momento onde o Senhor de toda perfeição retorna para conversar com seus discípulos. Uma melhor explicação dos fatos que ocorreram nestes momentos deve ser examinada em outro livro sagrado, a Pistis Sophia, a Bíblia dos Gnósticos.

Segundo tal texto gnóstico, Cristo teria passado 11 anos com seus discípulos ensinando os mistérios da luz. Após estes ensinamentos Cristo teria ascendido aos céus, ocorrendo assim este acontecimento universal que celebramos, a Epifania.

“Assim pois, a doutrina esotérica da Ressurreição, tal como aqui a estamos ensinando, se encontra dentre os 148 Capítulos da “PISTIS-SOPHIA”, e entre a profunda sabedoria esotérica da Santa BÍBLIA”. (Samael Aun Weor, As Sete Palavras).

Aclaramos até aqui um pouco sobre a Epifania histórica, ou seja, aquela ascensão do homem Jesus de Nazaré, que se tornou Cristo, aos céus. Mas também devemos ter sempre em mente a principal Epifania, a Epifania Interior, aquela que ocorre sempre que o Cristo se revela em nós, mesmo através de intuições, mas também aquela ocorrerá quando terminarmos a etapa iniciática da 3ª Montanha.

Como explicado no livro As Três Montanhas, devemos buscar a liberação final e radical em nosso interior mediante a aplicação prática dos Três Fatores de Revolução da Consciência. E assim alcançaremos tal feito percorrendo as chamadas três montanhas: A 1ª Montanha, ou “Montanha da Iniciação”, a 2ª Montanha, ou “Montanha da Ressurreição” e a 3ª Montanha, ou “Montanha da Ascensão”.

Irmãos e Amigos! Aproveitemos para neste dia meditarmos e compreendermos profundamente este magnífico momento que é a Epifania, a Ascensão do Cristo aos Céus. Oxalá um dia possamos encarnar o CHRESTUS, morrer, ressuscitar e enfim cristalizar este momento indescritível em nosso interior: A Epifania, ou seja, a Liberação Final!

4 Respostas

  1. Rodrigo

    Excelente ler estas passagens que dão enfase ao “CHRESTUS” e seus mistérios…

    “Parece que vivificam nossa alma e nos dão novo ânimo…Cântaros de alegria,esperança e vida….ocultos em meio a sábios caracteres bem compostos.”
    Ao compositor dos carateres.

    Afinal,um pouco de poesia não mata ninguém….rsssss

  2. Paulo Sérgio

    A Epifania pretende lembrar que só pela profunda mudança interior, reconhecendo as nossas faltas e alterando as atitudes cometidas, alcançaremos o verdadeiro sentido do termo representado pela ascenção de Cristo.
    Se não interiorizarmos isto e não aplicarmos essa transformação no nosso dia a dia, nas palavras utilizadas, nos gestos produzidos, nos pensamentos idealizados, nenhuma epifania será válida no contexto existencial do homem, consciente que deve estar da sua responsabilidade na melhoria da sua vida e da vida dos demais, remetendo-a a simples palavra catalogada em léxicos de sinónimos.

    Abraço fraterno
    Paulo Sérgio

  3. nousvate

    a mudança interior esta atrelado a vida prática,pois todas verdades são produtos de um eterno momento.

Deixe um Comentário