Bem-vindo a Sociedade Gnóstica | SGI

As Sete Igrejas

O homem é um trio de Corpo, Alma e Espírito. Entre o Espírito e o Corpo, existe um mediador: a Alma. Os Gnósticos sabem que a Alma está vestida com um traje maravilhoso, chamado Corpo Astral. Já sabemos por nossos estudos Gnósticos que o Astral é um duplo organismo dotado de maravilhosos sentidos internos.

Os grandes clarividentes nos falam dos sete chacras e o Sr. Leadbeater os descreve com riqueza de detalhes. Estes Chakras são realmente os sentidos do Corpo Astral. Tais centros magnéticos se encontram em íntima correlação com as glândulas de secreção interna.

No laboratório do organismo humano existem sete ingredientes submetidos a um tríplice controle nervoso. Os nervos, como agentes da lei do triângulo, controlam o setenário glandular. Cada um dos três controles nervosos atua de forma distinta: primeiro − O sistema nervoso Cérebro−Espinhal, agente das funções conscientes; segundo − o sistema nervoso Grande Simpático, agente das funções sub−conscientes, inconscientes e instintivas; terceiro − sistema Para−Simpático ou Vago que colabora frenando as funções instintivas, sob a direção da mente.

O sistema Cérebro−Espinhal é o Trono do Espírito Divino. O sistema Grande Simpático é o veículo do Astral. O Vago ou Para−Simpático, obedece às ordens da Mente. Três raios e sete centros magnéticos são a base para qualquer Cosmos, tanto no infinitamente grande, como no infinitamente pequeno. Assim como é em cima, é em baixo.

As sete glândulas mais importantes do organismo humano constituem os sete laboratórios controlados pela lei do triângulo. Cada uma das glândulas tem seu expoente em um chakra do organismo. Cada um dos sete chakras se encontra radicado no corpo astral. Os chakras se acham em íntima correlação com as sete Igrejas da medula espinhal. As sete Igrejas da espinha dorsal controlam os sete chakras do sistema nervoso Grande Simpático.

As sete Igrejas entram em intensa atividade com a subida do Kundalini ao longo do canal medular. O Kundalini mora nos elétrons, os sábios meditam nele, os devotos adoram−no e nos lares onde reina o Matrimônio Perfeito trabalha−se com ele praticamente.

O Kundalini é o fogo solar encerrado nos átomos seminais, substância eletrônica ardente do sol que quando é liberada nos transforma em Deuses terrivelmente divinos.

Os fogos do coração controlam o ascenso do Kundalini pelo canal medular.

O Kundalini se desenvolve, evolui e progride de acordo com os méritos do coração. O Kundalini é a energia primordial encerrada na Igreja de Éfeso.

Esta Igreja se encontra dois dedos acima do ânus e dois dedos abaixo dos órgãos genitais.

A Divina Serpente de fogo dormita dentro de sua Igreja, enroscada três vezes e meia. Quando os átomos solares e lunares fazem contato no tribeni, próximo do cóccix, desperta o Kundalini, a Serpente Ígnea de nossos mágicos poderes. Conforme sobe pelo canal medular, a serpente põe em atividade cada uma das sete Igrejas.

Os chakras das gônadas (glândulas sexuais) são dirigidos por Urano e a glândula Pineal, situada na parte superior do cérebro, é controlada por Netuno. Entre este par de glândulas existe uma íntima correlação e o Kundalini deve conectá−las com o Fogo Sagrado para lograr a Realização a fundo.

A Igreja de Éfeso é um Loto com quatro pétalas esplendorosas, possuindo o brilho de dez milhões de sóis. A terra elemental dos sábios é conquistada com o poder desta Igreja.

O ascenso do Kundalini à região da próstata põe em atividade as seis pétalas da Igreja de Esmirna. Esta Igreja nos confere o poder de dominar as águas elementais da vida e a felicidade de criar.

Quando a Serpente Sagrada chega à região do umbigo, podemos dominar os vulcões, porque o fogo elemental dos sábios corresponde à Igreja de Pérgamo, situada no plexo solar. Este centro controla o baço, o fígado, o pâncreas, etc… O centro de Pérgamo tem dez pétalas.

Com a subida do Kundalini à região do coração, entra em atividade a Igreja de Tiátira com suas doze pétalas maravilhosas. Esta Igreja nos confere poder sobre o ar elemental dos sábios. O desenvolvimento desse centro cardíaco confere inspiração, pressentimento, intuição e poderes para sair conscientemente em corpo astral, assim como poderes para colocar o corpo em estado de Jinas.

O segundo capítulo do Apocalipse versa sobre as quatro Igrejas inferiores do nosso organismo. Estes são os quatro centros conhecidos como o fundamental ou básico, o prostático, o umbelical e o cardíaco. Estudaremos agora os três centros magnéticos superiores mencionados no 3° Capítulo do Apocalipse. Estas três Igrejas superiores são a Igreja de Sardis, a de Filadélfia e a de Laodicéia.

O ascenso do Kundalini à região da laringe criadora confere−nos o poder de ouvir as vozes dos seres que vivem nos mundos superiores. Este chakra está relacionado com o Akasha puro. O Akasha é o agente do som. O chakra laríngeo é a Igreja de Sardis. Quando o Kundalini abre a Igreja de Sardis, então floresce em nossos lábios fecundos feito verbo. O chakra laríngeo tem dezesseis formosas pétalas.

O desenvolvimento completo deste centro akashico permite−nos conservar o corpo vivo mesmo durante as noites profundas do Grande Pralaya. Torna−se impossível a encarnação do Grande Verbo sem que haja despertado a Serpente Sagrada. O Akasha é precisamente o agente do Verbo. O Akasha está para o Verbo, assim como os fios condutores para a eletricidade. O Verbo necessita do Akasha para sua manifestação.

O Akasha é o agente do som. O Kundalini é o Akasha. O Akasha é sexual. O Kundalini é sexual. Normalmente o centro magnético onde vive o Kundalini é absolutamente sexual, como demonstra sua localização, pois está situado dois dedos sobre o ânus e dois dedos sob os órgãos genitais. Só é possível despertar o Kundalini e desenvolvê−lo totalmente com a Magia Sexual. Isto é o que desgosta os infra−sexuais, pois sentem−se super−transcendidos e odeiam mortalmente a Magia Sexual.

Em certa ocasião, depois de escutar uma conferência que fizemos sobre Magia Sexual, alguém protestou dizendo que era assim que os gnósticos corrompiam as mulheres. Este indivíduo era um infra−sexual. O homem protestou porque nós ensinamos a Ciência da Regeneração e, no entanto, não protestou contra o sexo intermediário, nem contra as prostitutas, nem contra o vício do onanismo, nem afirmou que essa gente fosse corrompida.

Protestou contra a Doutrina da Regeneração, mas não protestou contra a doutrina da degeneração. Assim são os infra−sexuais. Sentem−se imensamente superiores a todas as pessoas de sexo normal. Protestam contra a regeneração mas defendem a degeneração.

Os infra−sexuais jamais podem encarnar o Verbo. Eles cospem no interior sagrado do Santuário do Sexo e a Lei castiga−os, lançando−os ao abismo para sempre. O sexo é o Santuário do Espírito Santo.

Quando o Kundalini chega à altura do entrecenho, abre−se a Igreja de Filadélfia. Este é o Olho da Sabedoria. Neste centro magnético mora o Pai que está em segredo. O chakra do entrecenho tem duas pétalas fundamentais e muitíssimas radiações esplendorosas. Este centro é o trono da mente. Nenhum verdadeiro clarividente diz que o é. Nenhum verdadeiro clarividente diz: “eu vi”. O clarividente iniciado diz: “nós conceituamos”.

Todo clarividente necessita de Iniciação. O clarividente sem Iniciação está exposto a cair em erros muito graves. O clarividente que vive contando suas visões a todo mundo está exposto a perder sua faculdade. O clarividente falador pode também perder o equilíbrio mental. O clarividente deve ser calado, humilde e modesto. O clarividente deve ser como uma criança.

Quando o Kundalini chega à altura da glândula Pineal, abre−se a Igreja de Laodicéia. Essa flor de Loto tem mil pétalas resplandecentes. A glândula Pineal está influenciada por Netuno. Quando abre−se esta Igreja, recebemos a polividência, a intuição, etc… A Pineal relaciona−se intimamente com os chakras gonadais ou glândulas sexuais. Quanto maior o grau de potência sexual, tanto maior o grau de desenvolvimento da glândula Pineal; quanto menor o grau de potência sexual, tanto menor o grau de desenvolvimento da glândula Pineal. Urano nos órgãos sexuais e Netuno na glândula Pineal se unem para levar−nos à realização total.

As escolas de regeneração (tão mortalmente odiadas pelos infra−sexuais) ensinam−nos a trabalhar praticamente com a ciência de Urano e de Netuno.

O Caminho Tau inclui três caminhos, sendo este o quarto. Muito se disse sobre os quatro caminhos. Nós, os gnósticos, percorremos o quarto caminho de plena consciência. Durante o ato sexual transmutamos os instintos brutais do corpo físico em vontade, as emoções passionais do astral em amor, os impulsos mentais em compreensão; e nós, como espíritos, realizamos a Grande Obra. Assim percorremos os quatro caminhos na prática. Não necessitamos tornar−nos faquires para percorrer o primeiro caminho, nem monges para o segundo, nem eruditos para o terceiro. A Senda do Matrimônio Perfeito nos permite percorrer os quatro caminhos durante o ato sexual.

Desde o versículo primeiro até o sétimo, o Apocalipse fala do centro coxígeo. Neste centro está a Igreja de Éfeso. Neste centro criador se acha enroscada três vezes e meia a Serpente Ígnea. Quem a despertar e a fizer subir por sua medula espinhal, receberá a Espada Flamígera e então entrará no Éden.

A redenção do homem se encontra na Serpente, porém devemos estar em guarda contra a astúcia da Serpente. Deve−se contemplar o fruto proibido e aspirar o seu aroma, mas recorda o que disse o Senhor Jeovah: “se comeres deste fruto morrerás”. Devemos gozar a felicidade do amor e adorar a mulher. Um belo quadro nos arrebata, uma bela música nos leva até ao êxtase, porém uma bela mulher adorável nos dá anseios de possuí−la, porque ela é a viva representação de Deus−Mãe. O ato sexual com a adorada tem suas delícias indiscutíveis. O gozo sexual é um direito legítimo do homem. Goze a felicidade do amor, mas não derrames o sêmen. Não cometas esse horrível sacrilégio. Não sejas fornicário. A castidade nos converte em deuses. A fornicação nos converte em demônios.

Krumm Heller disse: “os setianos adoravam a Grande Luz e diziam que o Sol, em suas emanações, era substância divina, a qual forma ninho em nós e constitui a Serpente”. Os Nazarenos disseram: “todos vós sereis deuses, se sairdes do Egito e passardes o Mar Vermelho”. Krumm Heller em sua Igreja Gnóstica nos conta que essa seita Gnóstica tinha como objeto sagrado um Cálice no qual tomavam o Sêmen de Benjamin, que segundo Huiracocha era uma mistura de vinho e água. O grande Mestre Krumm Heller disse que sobre os altares dos Nazarenos jamais faltava o símbolo sagrado da serpente sexual. Realmente “a força, o poder que acompanhou Moisés foi a serpente sobre a vara que depois se converteu na própria vara. Foi ela a que devorou às demais serpentes e a que falou a Eva”.

O sábio Huiracocha, em outro parágrafo de sua imortal obra intitulada “A Igreja Gnóstica”, diz: “Moisés no deserto mostrou a seu povo a serpente sobre a vara e disse−lhes que quem se aproveitasse dessa serpente nada sofreria durante sua viagem”. Todo o poder maravilhoso de Moisés residia na Serpente Sagrada do Kundalini. Moisés praticou muitíssima Magia Sexual para levantar a Serpente sobre a vara. Moisés teve mulher.

Na noite aterradora dos séculos passados, os austeros e sublimes hierofantes dos Grandes Mistérios foram os zelosos vigilantes do Grande Arcano. Os Grandes Sacerdotes haviam jurado silêncio e a chave da Arca da Ciência se mantinha oculta aos olhos do povo. Só os Grandes Sacerdotes conheciam e praticavam a Magia Sexual. A Sabedoria da Serpente é a base dos Grandes Mistérios. Esta se cultivou nas Escolas de Mistérios do Egito, Grécia, Roma, Índia, Pérsia, Tróia, México Azteca, Peru Incaico, etc…

Krumm Heller conta−nos que: “no Canto de Homero a Demeter, encontrado numa biblioteca russa, vê−se que tudo girava ao redor de um fato fisiológico−cósmico de grande transcendência”. Nesse arcaico canto daquele homem−deus, que cantou a velha Tróia e a cólera de Aquiles, vê−se claramente a Magia Sexual servindo de pedra angular do Grande Templo de Eleusis. O baile ao nú, a música deliciosa do Templo, o beijo que embriaga, o feitiço misterioso do ato secreto, faziam de Eleusis um paraíso de deuses e de deusas adoráveis. Então ninguém pensava em “porcarias”, mas sim em coisas santas e sublimes. Ninguém sequer pensava em profanar o Templo. Os casais sabiam retirar−se a tempo para evitar o derramamento do Vinho Sagrado.

No Egito aparece Osíris, o princípio masculino, frente a Ísis, eterno e adorável feminino. Neste país ensolarado de Kem, o Senhor de toda perfeição trabalhou também com o Grande Arcano A.Z.F., precisamente quando se encontrava em seu período de preparação iniciática, antes do começo de sua missão. Assim está escrito nas memórias da Natureza.

Na Fenícia, Hércules e Dagon se amam intensamente. Em Ática, Plutão e Perséfone também se unem pelo amor e, como diz o Dr. Krumm Heller, entre eles já se fala claramente do falo e do útero. Esse é o Lingam−Yoni dos Mistérios Gregos.

Os Grandes Sacerdotes do Egito, velhos herdeiros da sabedoria arcaica que cultivavam os Atlantes, representaram o Grande Deus Ibis de Thot com o membro viril em estado de ereção, e conta Krumm Heller que sobre este falo ereto de Ibis de Thot, escreveu−se a seguinte frase: “Doador da Razão”. Junto à inscrição resplandecia gloriosamente uma flor de lótus.

Os velhos sábios do Egito Sagrado gravaram em seus muros milenares o símbolo divino da cobra sexual.

O segredo da Magia Sexual era incomunicável. Esse é o Grande Arcano. Os infelizes que divulgavam o segredo indizível eram condenados à pena de morte. Eram levados a um pátio calçado de pedras e, diante de um muro milenar recoberto de peles de crocodilo e de hieróglifos indecifráveis, cortavam−lhes a cabeça, arrancavam−lhes o coração e suas cinzas malditas eram lançadas aos quatro ventos. Surge agora em nossa memória o grande poeta francês Cazotte, que morreu na guilhotina durante a Revolução Francesa. Este homem, em célebre banquete, profetizou sua própria morte e a sorte fatídica que aguardava a certo grupo de nobres iniciados, que projetava a divulgação do Grande Arcano. A uns profetizou a guilhotina, a outros o punhal, o veneno, o cárcere ou o desterro. Suas profecias cumpriram−se com absoluta exatidão. Na Idade Média todo aquele que divulgasse o Grande Arcano morria misteriosamente, ora pelas camisas de Nesus, ora pelos sabonetes envenenados que chegavam à porta do condenado como presente de aniversário, ou por ramalhetes perfumados, ou pelo punhal.

O Grande Arcano é a chave de todos os poderes e a chave de todos os Impérios. Os poderes da Natureza desencadeiam−se contra os atrevidos que intentam dominá−la. Os grandes hierofantes escondem o seu segredo e os Reis Divinos não entregam a nenhum mortal a chave secreta de seu poder. Desgraçado, infeliz do mortal que, depois de receber o segredo da Magia Sexual, não sabe aproveitá−lo; a este mais valeria não haver nascido, melhor seria que pendurasse uma pedra de moinho ao pescoço e se lançasse ao fundo do mar. A realização cósmica do homem não interessa à Natureza e é até contrária a seus interesses. Por isso a Natureza se opõe com todas as suas forças ao atrevido que quer dominá−la.

É oportuno recordar uma anedota curiosa. “Em certa ocasião passeava pela praia do mar um pobre guarda aduaneiro. De repente algo chamou a sua atenção − viu nas areias açoitadas pelas ondas embravecidas do Caribe um objeto de couro. O homem aproximou−se do objeto e com grande surpresa viu que se tratava de uma pequena valise de cor negra. Imediatamente dirigiu−se à Capitania do Porto e entregou aquele objeto ao seu superior. Cumprida a sua missão, foi−se para sua casa. Na manhã seguinte, quando veio para o trabalho, o oficial superior cheio de grande ira entregou−lhe uma moeda de vinte centavos e lhe disse: “Imbecil, isto é o que mereces, toma esta moeda para que te enforques, não mereces viver. Compra com esta moeda uma corda e enforca−te numa árvore. Veio−te a sorte e a desprezaste. A valise que me entregaste continha um milhão de dólares. Vai−te daqui! Fora daqui, imbecil. Não mereces viver”. Realmente, essa é a sorte fatal que aguarda àqueles que não sabem aproveitar o preciosíssimo tesouro do Grande Arcano. Esses não merecem viver. Jamais na vida se havia ensinado o Grande Arcano da Magia Sexual e agora o estamos divulgando. Infelizes daqueles que, depois de acharem em seu caminho o tesouro dos Reis, desprezam−no como o guarda do exemplo. O tesouro do Grande Arcano vale ainda mais que a fortuna encontrada pelo guarda. Desprezar isto é realmente coisa de imbecil.

Para despertar o Kundalini, se necessita da mulher. Porém, devemos advertir que o Iniciado só deve praticar Magia Sexual com uma só mulher. Aqueles que praticam Magia Sexual com diversas mulheres cometem o delito do adultério. Estes não progridem nesses estudos. Desgraçadamente, existem certos indivíduos que usam a Magia Sexual como um pretexto para seduzir mulheres. Estes são os profanadores do Templo. Semelhante classe de homens cai inevitavelmente na Magia Negra. Advertimos às mulheres que se cuidem muito desses perversos personagens da sexualidade.

Existem também muitas mulheres que, com o pretexto de realizar−se a fundo, se ajuntam com qualquer homem. Essas mulheres querem é saciar seus desejos passionais. O mundo é sempre o mundo e desde que estamos divulgando o Grande Arcano têm aparecido, como era de se esperar, os porcos que atropelam a doutrina e morrem depois envenenados pelo pão da sabedoria. O culto da Magia Sexual só pode ser praticado entre marido e mulher. Esclarecemos isto para evitar seduções e raptos, banquetes carnais e santas luxúrias passionais. A força sexual é uma arma terrível. Os cientistas não conseguiram descobrir a origem da eletricidade. Nós afirmamos que a causa da energia elétrica deve−se buscar na força sexual universal. Esta força não só reside nos órgãos da sexualidade como também em todos os átomos e elétrons do universo. A luz do sol é um produto da sexualidade. Um átomo de hidrogênio une−se sexualmente com um átomo de carbono para produzir luz solar. O hidrogênio é masculino e o carbono é feminino. Da união sexual de ambos resulta a luz solar. São muito interessantes os estudos sobre os processos do carbono. Estes processos são a gestação da luz.

A causa causorum da eletricidade deve ser buscada no fogo serpentino universal. Este fogo mora nos elétrons; os sábios meditam nele, os místicos adoram−no e aqueles que seguem a Senda do Matrimônio Perfeito trabalham praticamente com ele.

A força sexual em mãos de magos brancos e de magos negros é uma arma terrível. O pensamento atrai para a espinha dorsal o fluido sexual a fim de depositá−lo em sua bolsa respectiva. Com o derrame fatal desse fluido perdem−se bilhões de átomos solares. O movimento de contração sexual, que se segue ao derramamento do sêmen, recolhe dos infernos atômicos do homem bilhões de átomos satânicos que substituem os átomos solares perdidos. É dessa maneira que formamos o diabo em nós. Quando refreamos o impulso sexual fazemos o fluido maravilhoso regressar ao corpo astral multiplicando seus esplendores inefáveis. É assim que formamos o Cristo em nós. Através da energia sexual podemos formar dentro de nós o Cristo ou o Diabo.

O Grande Mestre, em sua qualidade de Cristo Cósmico encarnado, disse: “Eu Sou o pão da vida, Eu Sou o pão vivo, se alguém comer esse pão viverá eternamente; o que comer a minha carne e beber o meu sangue terá a vida eterna e eu o ressuscitarei; o que comer a minha carne e beber o meu sangue mora em mim e eu nele”.

Cristo é a Alma Solar, o espírito vivente do sol que, com sua vitalidade, faz crescer a espiga do trigo. É no grão, na semente que se acha encerrada toda a potência do Logos Solar. Em toda semente vegetal, animal ou humana se acha encerrada, como num estojo precioso, a substância cristônica do Logos Solar. Fazendo retornar a energia criadora para dentro e para cima, germina, nasce dentro de nós um menino maravilhoso. Um corpo astral cristificado. Esse veículo nos confere a imortalidade. Esse é o nosso Crestos Mediador. Com esse veículo chegamos ao Pai que está em segredo. “Ninguém chega ao Pai a não ser por Mim”, disse o Senhor de toda perfeição.

O fantasma astral que os mortais possuem não é mais que um esboço de homem. Nem sequer tem unidade. Esse fantasma de fachada é guarida de demônios e de toda ave suja e desprezível. No interior desse fantasma astral vive o Eu (o Diabo). Este é legião infernal. O Eu é legião. Assim como um corpo se compõe de muitos átomos, assim também o Eu se compõe de milhões de “eus”. Inteligências diabólicas, repugnantes demônios que rixam entre si. Quando morre, uma pessoa torna−se isso: Legião. A pessoa em si mesma se torna pó. Só continua existindo essa “Legião de Eus”. Os clarividentes costumam encontrar os desencarnados vestidos de maneira diferente e simultaneamente em lugares diferentes. A pessoa parece haver se tornado muitas pessoas. Isso é legião. No entanto, quando fazemos nascer em nós um corpo astral crístico, continuamos depois da morte vivendo nesse corpo sideral. Somos então realmente imortais. Todos aqueles que possuem um corpo astral cristificado se acham depois da morte com a consciência desperta. Os desencarnados comuns e correntes vivem depois da morte com a consciência adormecida. A morte é na realidade o regresso à concepção fetal. A morte é o regresso à semente. Todo aquele que morre regressa novamente ao ventre materno totalmente inconsciente, adormecido. As pessoas nem sequer têm a alma encarnada. A alma das pessoas está desencarnada.

As pessoas têm encarnado apenas um embrião de alma. Os malvados não têm nem sequer esse embrião de alma. Só possuindo um corpo astral cristificado é que podemos encarnar a alma. As pessoas comuns e correntes são somente veículos do Eu. O nome de cada mortal é Legião.

Só com a Magia Sexual podemos fazer nascer em nós o Astral Crístico. A tentação é fogo. O triunfo sobre a tentação é Luz. O desejo refreado fará subir o líquido astral para cima, para a glândula Pineal e assim nasce em nós o Adão−Cristo, o Super−Homem.

Pela excitação do aparelho sexual para realizar o coito, o sêmen se multiplica. Quando não se derrama, transmuta−se e converte−nos em deuses.

O fogo sexual é a espada com a qual o Deus Interno combate os tenebrosos. Todo aquele que pratica Magia Sexual abre as Sete Igrejas.

Aquele que, depois de estar trabalhando com o Kundalini derrama o sêmen, fracassa inevitavelmente porque o Kundalini desce então uma ou mais vértebras, segundo a magnitude da falta. Devemos lutar até conseguir a  castidade perfeita: “… pois se não, virei logo a ti e removerei teu candelabro do seu lugar, se não te corrigires”.

O vapor que se levanta do sistema seminal abre o orifício inferior da medula espinhal para que a serpente sagrada entre por ali. Este orifício encontra−se fechado nas pessoas comuns e correntes. O vapor seminal dos magos negros está dirigido para o abismo. O vapor seminal dos magos brancos eleva−se para o céu.

Abrir a Igreja de Éfeso, significa despertar o Kundalini. A cor deste centro é de um vermelho sujo no libertino, vermelho amarelado no Iniciado, e vermelho azul purpúreo no místico Iniciado.

Os átomos solares e lunares se levantam a partir do sistema seminal. Os vapores seminais têm por base os átomos do Sol e da Lua. Os vapores seminais se transmutam em energias. As energias se bipolarizam em positivas e negativas, solares e lunares. Estas energias sobem pelos canais simpáticos Ida e Pingala, até o Cálice. Este Cálice é o cérebro. Os dois canais simpáticos por onde sobe o sêmen já completamente convertido em energia, são os dois testemunhos do Apocalipse, as duas oliveiras do templo, os dois candelabros que estão diante do Deus da terra, as duas serpentes que se enroscam na vara do Caduceu de Mercúrio. Quando elas se tocam com a cauda, os átomos solares e lunares fazem contato no cóccix perto do Tribeni. Então desperta o Kundalini.

A Serpente Ígnea de nossos mágicos poderes sai da bolsa membranosa onde estava encerrada e sobe pelo Canal Medular até o Cálice (Cérebro). Do Canal Medular se desprendem certos fios nervosos que ligam os sete chakras, ou plexos simpáticos, com a coluna espinhal. O fogo sagrado põe em atividade os sete centros magnéticos. O Kundalini coordena a atividade de todos os sete Chakras em forma maravilhosa. Poderíamos representar tudo isto, por uma vara com sete rosas fragrantes e belas. A vara corresponderia à coluna espinhal e as sete rosas representariam os sete chakras ou centros magnéticos. Os talos delicados destas sete rosas de fogo ardente, são os finos fios que os unem à coluna espinhal.

No sêmen combatem as potências da Luz contra as potências das trevas.

O advento do Fogo é o acontecimento mais grandioso do Matrimônio Perfeito. O centro onde a serpente se acha enroscada, tem quatro pétalas das quais somente duas estão em atividade. Com a Iniciação, entram em atividade as outras duas. O chakra prostático tem seis cores preciosíssimas: vermelha, alaranjada, amarela, verde, azul e violácea. Esta é a Igreja de Esmirna. Este centro é importantíssimo para o Mago. Com este centro controlamos o ato sexual. Este é o centro magnético da Magia Prática.

O terceiro centro é a Igreja de Pérgamo. Este é o cérebro das emoções. Nós temos uma verdadeira estação sem fios estabelecida dentro do organismo humano, cujo centro receptor é o centro umbilical. A antena emissora é a glândula pineal. As ondas mentais daqueles que emitem pensamentos para nós chegam ao centro umbilical, ou cérebro de emoções, e depois passam ao cérebro, onde esses pensamentos se fazem conscientes.

Digna de toda admiração é a Igreja de Tiátira, o quarto centro. O centro cardíaco está em íntima relação com o coração do sistema solar. O homem é um universo em miniatura. Se quisermos estudar o Universo, devemos estudar o homem. No universo descobrimos o homem. No homem descobrimos o universo. O sistema solar visto de longe parece realmente um homem glorioso caminhando através do inalterável infinito. Todos os tempos se converteram ali numa forma vivente cheia de música inefável, a música das esferas. Um instante de percepção deste homem celeste é de oitenta anos. O coração deste homem celeste se acha realmente no centro do disco solar. Aqueles que sabem viajar consciente e positivamente em corpo astral poderão visitar esse Templo.

Um abismo gigantesco mais negro que a noite conduz ao Santuário. Poucos são aqueles que têm valor para descer por esse abismo fatal. Nas pavorosas profundidades daquele abismo solar pode−se perceber coisas terríveis, chamas abrasadoras, o terror do mistério.

Os que têm o valor de descer por ali encontrarão o vestíbulo do Santuário. Um Adepto benzê−los−á com um ramo de oliveira. Felizes aqueles que conseguem ser admitidos no lugar secreto. Um estreito passadiço conduz o amado discípulo ao lugar secreto do Santuário. Esse é o Cardias (Centro Cardíaco) do Sistema Solar. Nesse lugar sagrado vivem os Sete Santos, os Reitores dos Sete Raios Solares. O Raio mais importante é o do Kundalini, ou Fogo Serpentino, que cintila intensamente na aurora. Todo casal perfeito deve praticar Magia Sexual na aurora.

O Sistema Solar é o corpo de um Grande Ser, que é todo perfeição. O coração desse Grande Ser é o Sol. O chakra do coração tem doze pétalas: seis ativas e seis inativas. Com o Fogo Sagrado todas as doze pétalas entram em atividade. Devemos atuar sobre o coração por meio da oração intensiva.

O quinto centro é a Igreja de Sardis, que é o centro da laringe criadora. Esse é o Loto das dezesseis pétalas. Quando o ser humano põe em atividade este Loto, mediante o fogo, recebe então o ouvido mágico.

O Fogo Sagrado se faz criador na garganta. Os Anjos criam com o poder da palavra. O Fogo floresce nos lábios fecundos feito verbo. O Iniciado é capaz de criar qualquer coisa com o pensamento e depois materializá−la com a palavra.

Isto de ouvir com o ouvido mágico não tem sido bem definido pelos ocultistas. Devemos advertir que quem tiver o ouvido mágico pode ouvir realmente, pode perceber quase fisicamente, ou melhor, de forma semelhante à percepção física, os sons internos. O ouvido mágico nos permite escutar os anjos.

Quando a totalidade das energias criadoras subir ao cérebro, nos elevamos ao estado angélico. Então criamos com o poder da palavra.

Não se pode chegar a estas alturas com a evolução mecânica da Natureza. A evolução é o movimento da vida universal, porém não leva ninguém ao estado angélico. O Super−Homem não é do interesse da Natureza. Ela contém todas as possibilidades, mas o Super−Homem é até contrário aos seus interesses criados. As forças mais terríveis da Natureza opõem−se ao nascimento do super−homem. O anjo, o super−homem, é o resultado de uma tremenda revolução da Consciência. Ninguém é obrigado a ajudar o indivíduo nesta Revolução. Isto é questão muito íntima de cada qual. O problema é absolutamente sexual. É necessário desembainhar a espada e combater contra as terríveis forças da Natureza que se opõem ao nascimento do Super−Homem.

Quando o Fogo Sagrado abrir o chakra frontal, a Igreja de Filadélfia, com suas pétalas maravilhosas e seus inumeráveis resplendores, então poderemos ver clarividentemente.

As pessoas estão acostumadas a viver teorizando e a jurar coisas que jamais viram. É mister despertar a clarividência para ver as grandes realidades internas. O chakra frontal é o Trono da Mente. Quando o estudo e a clarividência marcham de modo equilibrado e harmonioso, então entramos de fato no Templo do Verdadeiro Saber. Muitos afirmam o que leram, repetem luzes emprestadas. Esse tipo de gente pensa saber, porém jamais viu o que leu e segue repetindo como papagaio, isso é tudo. Essa gente não sabe nada. Trata−se de gente ignorante. São ignorantes ilustrados. Para saber, tem−se que primeiro ser. A clarividência é o olho do ser. O ser e o saber devem marchar equilibrados e paralelamente. Aqueles que leram muito ocultismo sentem−se sábios. Se essas pobres pessoas não viram o que leram, podemos com certeza dizer que não sabem absolutamente nada. No mundo há videntes de todos os tipos. O verdadeiro clarividente não anda dizendo que é tal. Todo estudante de ocultismo, quando tem as primeiras visões clarividentes, tem a tendência a contá−las a todo o mundo. Então os outros se riem dele e, por causa das vibrações negativas das pessoas, afinal o principiante termina por perder o equilíbrio da mente.

A clarividência sem a Iniciação conduz os estudantes ao erro e até ao delito da calúnia e da injúria; algumas vezes até ao homicídio. Quem tem vislumbres de clarividência pode ver, por exemplo, sua mulher no astral adulterando com um seu amigo. E se o vidente não tiver Iniciação, e se for ciumento, poderá então assassinar sua mulher ou seu amigo, ainda que a infeliz seja uma santa, ou mesmo que seu amigo seja um verdadeiro e leal servidor. Tenha−se em conta que no astral, o ser humano é legião, e cada Eu Pluralizado repete atos cometidos em vidas anteriores.

Os Grandes Mestres da Loja Branca têm sido caluniados pelos videntes. Todo Mestre tem um duplo exatamente semelhante. Se o Mestre prega castidade, o duplo prega fornicação. Se o Mestre faz boas obras, seu duplo faz más obras. É exatamente a sua antítese. Por todas essas coisas é que nós só podemos confiar nos clarividentes que chegaram à Quinta Iniciação de Mistérios Maiores. Além do mais tenha−se em conta que antes da Quinta Iniciação de Mistérios Maiores o ser humano não dispõe de veículos cristificados para servir de Templo a seu Deus Interno. Nem a Alma nem o Cristo podem entrar em pessoas que não possuem veículos organizados.

Primeiramente, a Alma deve entrar de posse de seus veículos, e depois recebe o Cristo Interno. Ele converte−se n’Ela e Ela converte−se n’Ele. Desta mescla divina e humana resulta o Filho Do Homem, o Super−Homem, o Adão−Cristo.

Gente que não tem veículos organizados tampouco pode ser infalível. Videntes sem veículos internos organizados estão sujeitos a cometer graves erros. Dentro do fantasma Astral deve nascer, mediante a Magia Sexual, um veículo Astral Cristificado. Dentro do fantasma Mental deve nascer, mediante a Magia Sexual, um veículo Mental Cristificado. Por último, devemos engendrar um verdadeiro corpo Causal para a Alma. Da crisálida deve sair a mariposa, do fantasma Astral sai o novo astral, o Astral Cristo.

Da crisálida mental, ou fantasma mental, sai a Mente Cristo. Por último nasce a Vontade Cristo. O corpo precioso da Vontade. O ser humano, ao chegar a estas alturas, já tem existência real porque encarnou sua Alma. Depois deste instante pode preparar−se para a encarnação do Cristo Interno.

Quem não encarnou sua Alma não possui existência real. É uma legião de “Eus” que luta para manifestar−se através do corpo do homem. Às vezes atua o Eu bebo, outras o Eu fumo, o Eu furto, o Eu namoro, etc… Entre esses “Eus” existe conflito. Por isso vemos que muitos juram pertencer ao Movimento Gnóstico e depois arrependem−se e declaram−se inimigos da Gnose. O Eu que jura ser fiel à Gnose é substituído por outro que odeia a Gnose. O Eu que jura adorar a mulher é trocado por outro Eu que a despreza. O Eu é Legião de Demônios. Como poderemos confiar em clarividentes que ainda não encarnaram sua Alma? O homem que não encarnou sua Alma não tem ainda responsabilidade moral. Poderemos por acaso confiar em demônios? Os estudantes da Gnose devem precaver−se muito desses que andam por aí dizendo−se videntes e profetizando a todo mundo. O verdadeiro clarividente nunca diz que o é. Os Mestres da Quinta Iniciação de Mistérios Maiores são muito humildes e calados. Nenhum estudante de ocultismo é Mestre. Mestre verdadeiro só é aquele que já alcançou a Quinta Iniciação de Mistérios Maiores. Antes da Quinta Iniciação, ninguém é Mestre.

A última Flor de Loto que se abre é a Igreja de Laodicéia. Esta Flor de Loto tem mil pétalas e resplandece gloriosamente na cabeça dos Santos. Quando o Kundalini chega à Glândula Pineal, abre−se esta Flor maravilhosa. Este é o olho da Polividência. O Olho de Diamante. Através desta faculdade podemos estudar as memórias da Natureza. Este é o Olho Divino do Espírito. A Serpente Sagrada passa depois da Pineal até o Olho da Sabedoria situado no entrecenho. A seguir penetra no campo magnético da raiz do nariz. Quando atinge o átomo do Pai ali situado, vem então a Primeira Iniciação de Mistérios Maiores. Ninguém é Mestre pelo simples fato de haver recebido a Primeira Iniciação de Mistérios Maiores. Isto só significa que mais um entrou na corrente que conduz ao Nirvana. O estudante deve levantar as Sete Serpentes em ordem sucessiva.

A segunda serpente pertence ao Corpo Vital, a terceira ao Corpo Astral, a quarta ao Mental, a quinta ao Causal. As sexta e sétima serpentes são da Alma−Consciência e Espírito−Divino. A cada uma das sete serpentes corresponde uma Iniciação de Mistérios Maiores. São sete serpentes. Dois grupos de três com a coroação sublime da sétima língua de fogo que nos une com o Uno, com a Lei, com o Pai. Devemos abrir as sete Igrejas em cada plano de Consciência Cósmica. Durante a Iniciação o devoto deve receber os estigmas do Cristo. Cada um dos seus veículos internos deve ser crucificado e estigmatizado. Os estigmas vão sendo dados ao homem segundo os seus merecimentos. Cada estigma tem suas provas esotéricas. Os primeiros estigmas que se recebem são os das mãos e as provas para recebê−los são muito dolorosas. As pedras preciosas também jogam um papel muito importante na Iniciação: “E os fundamentos do muro da cidade estavam adornados de toda pedra preciosa. O primeiro fundamento era de jaspe; o segundo de safira; o terceiro de calcedônia; o quarto de esmeralda; o quinto de sardônio; o sexto de cornalina; o sétimo de crisolita; o oitavo de berilo; o nono de topázio; o décimo de crisóparo; o undécimo de jacinto; o duodécimo de ametista”.

Diz o Apocalipse “Eu Sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim. Ao que tiver sede Eu darei gratuitamente a beber da fonte da água da vida”.

“Eu Sou o Alfa e o Ômega. Bem aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras (os sete corpos) no sangue do cordeiro (sêmen cristônico), para terem parte na árvore da vida, e para entrarem na cidade pelas portas”. No entanto, bem poucos são aqueles que realmente chegam à alta Iniciação. Poucos são aqueles capazes de chegar a beijar o látego do verdugo, de beijar a mão que os golpeia; isto é muito difícil e no entanto é urgente para aqueles que chegam à alta Iniciação. Cristo disse: “De mil que me buscam, um me encontra; de mil que me encontram, um me segue; de mil que me seguem, um é meu”. O mais grave é que aqueles que leram muito ocultismo e pertenceram a muitas escolas estão cheios de presumida santidade e se julgam santos e sábios, cheios de pretensa humildade. Esses pobres irmãos estão mais distantes do Altar da Iniciação que os profanos. Quem quiser chegar à Alta Iniciação deve começar por reconhecer−se como um perverso. Quem reconhece sua maldade já está no caminho da realização.

Lembrem−se que no meio do incenso e da oração também se esconde o delito. Isto é difícil para os que leram muito. Estes sentem−se cheios de santidade e sabedoria. Quando apresentam vislumbres de clarividência, tornam−se insuportáveis porque se declaram mestres de sabedoria.

Naturalmente são candidatos seguros ao abismo e à segunda morte. O abismo está cheio de equivocados sinceros e de gente muito bem intencionada.

Quando o Iniciado fez sair uma parte do seu Fogo Criador pela cabeça, lança a sua coroa aos pés do Cordeiro. São João fala dos vinte e quatro Anciãos que lançam suas coroas aos pés do trono do Senhor.

O Apocalipse descreve o Jinete do Capítulo 19 e afirma que ele traz escrito no seu vestido e na sua coxa: “O Rei dos Reis e Senhor dos Senhores”. Realmente o Rei não está na fronte, mas no Sexo. Rasputin, ébrio de vinho, golpeava com o falo sexual as mesas da orgia dizendo: “Este é o Rei do Mundo”.

Felizes os casais que sabem amar. Pelo ato sexual abrimos as sete Igrejas do Apocalipse e nos convertemos em Deuses. Os sete Chakras ressoam com o poderoso mantram Egípcio: FE… UIN… DAH (h aspirado como no Inglês).

O exercício perfeito das sete Igrejas, o Sacerdócio completo, realiza−se com o corpo em estado de Jinas. Os Grandes Magos sabem colocar o corpo em estado de Jinas, exercendo assim todo o Sacerdócio das Sete Igrejas.

Quando Jesus caminhou sobre o mar levava o corpo físico em estado de Jinas. Neste estado somos deuses onipotentes.

Existe na região umbilical um chakra misterioso que o Mago utiliza para seus estados de Jinas. Todo Mago que se acha distante do seu corpo físico pode, utilizando o poder deste chakra, pedir ao seu Deus Interno assim: “Meu Senhor, meu Deus, rogo−te que me tragas meu corpo”. Seu Deus Interno pode trazer−lhe o corpo físico em estado de Jinas, isto é, submerso dentro do plano astral. Nesses instantes gira o misterioso chakra da Ciência Jinas.

Quem quiser aprender a Ciência Jinas, estude o “Livro Amarelo”. Ali ensinamos essa ciência misteriosa.

As sete Igrejas nos conferem poder sobre o fogo, o ar, as águas e a terra.

Capítulo 6 – A Supra−Sexualidade Capítulo 8 – A Alegria, a Música, o Baile e o Beijo