Bem-vindo a Sociedade Gnóstica | SGI

O Cristo

O adorável Deus KHRISTUS (Cristo) provém de arcaicos cultos ao Deus Fogo. As letras P (Pira) e X (Cruz) significam hieroglificamente produzir o Fogo Sagrado. Cristo foi adorado nos Mistérios de Mitra, de Apolo, de Afrodite, de Júpiter, de Jano, de Vesta, de Baco, de Astarté, de Demeter, de Quetzalcoatl, etc. O princípio Cristo jamais faltou em religião alguma. Todas as religiões são uma só. A religião é inerente à vida como a umidade à água. A Grande Religião Cósmica Universal se modifica em milhares de formas religiosas. Os Sacerdotes estão integralmente identificados uns com os outros em todas as formas religiosas pelos princípios fundamentais da Grande Religião Cósmica Universal.

Não existe diferença fundamental entre o Sacerdote Maometano e o Sacerdote Judeu, ou entre o Sacerdote Pagão e o Sacerdote Cristão legítimo. A religião é UNA e absolutamente universal. As cerimônias do Sacerdote Shintoista do Japão ou dos Lamas Mongóis são semelhantes às cerimônias dos bruxos e feiticeiros da África e da Oceania.

Quando uma forma religiosa se degenera, desaparece e em seu lugar a vida universal cria novas formas religiosas.

O autêntico Cristianismo Gnóstico primitivo vem do Paganismo. Antes do Paganismo, o Cristo Cósmico foi venerado em todos os cultos. No Egito, Cristo era Osíris e quem o encarnasse era um Osirificado. Em todas as épocas houve Mestres que assimilaram o Princípio Crístico Universal Infinito. No Egito, Hermes foi o Cristo. No México, o Cristo foi Quetzalcoatl. Na sagrada Índia, Krishna é Cristo. Na terra santa o grande gnóstico Jesus, educado no Egito, foi quem teve a dita de assimilar o Princípio Crístico Universal e por isso mereceu ser rebatizado com a Seidade do Fogo e da Cruz: KHRISTUS.

O Nazareno Jesus−Iesus−Zeus é o homem moderno que encarna totalmente o Princípio Crístico Universal. Antes d’Ele, porém, muitos Mestres encarnaram esse Princípio Crístico do Fogo. O Rabi da Galiléia é um Deus porque encarnou inteiramente o Cristo Cósmico. Hermes, Quetzalcoatl, Krishna são também Deuses porque encarnaram o Cristo Cósmico.

Necessário é adorar aos Deuses, porque eles ajudam a seus devotos. Pedi e recebereis, batei e abrir−se−vos−á. A arte de produzir o Fogo é a Magia Sexual. Só com o Matrimônio Perfeito podemos produzir o Fogo, desenvolvê−lo e encarnar o Cristo. Desse modo nos convertemos em Deuses.

O Princípio Cristo é sempre o mesmo. Os Mestres que o encarnam são Buddhas viventes. Entre estes últimos sempre existem hierarquias.

O Buddha Jesus é o iniciado mais exaltado da Fraternidade Branca Universal. Quando uma forma religiosa cumpriu sua missão, desintegra−se. Jesus o Cristo foi de fato o iniciador de uma nova era. Jesus foi uma necessidade religiosa da época. A Casta Sacerdotal Pagã no final do Império Romano havia caído no mais completo descrédito. As multidões, então, já não mais respeitavam aos Sacerdotes. Os artistas satirizavam em comédias aos divinos rituais, motejando sarcasticamente as Divindades do Olimpo e do Averno. É doloroso ver como aquela gente imitava ao Deus Baco, em uma mulher bêbada e, outras vezes, caricaturizavam−no como um bêbado pançudo montado em um burro. A inefável e bendita Deusa Vênus era representada como uma mulher adúltera, que andava em busca de prazeres orgíacos, seguida pelas Ninfas que eram perseguidas por Sátiros à frente de Pan e de Baco.

Naquela época de decadência religiosa os povos da Grécia e de Roma já não respeitavam sequer a Marte, o Deus da Guerra, pois o representavam sarcasticamente, pegado pela rede invisível de Vulcano, no instante do adultério com sua esposa, a bela Vênus. O modo como zombavam do ultrajado, o sarcasmo, a ironia, revelam claramente a decadência do Paganismo. Nem Júpiter Olimpo, o Pai dos Deuses salvou−se da profanação, pois que o representavam sarcasticamente em muitas Sátiras ocupado em seduzir às Deusas Ninfas. Príapo converteu−se no terror dos esposos. Olimpo, antiga morada dos Deuses, numa desenfreada bacanal.

O terrível Averno (Inferno), governado por Plutão, fonte de terror de inumeráveis séculos, já não causava espanto a ninguém; foi então transformado em comédias e intrigas de toda sorte, em sarcasmos e zombarias que faziam todo o mundo rir. De nada serviram então os anátemas e excomunhões dos Sacerdotes, dos Pontífices, dos Mitrados, pois que ninguém mais os respeitava. A forma religiosa havia cumprido sua missão e sua morte foi inevitável. A maior parte dos Sacerdotes de então degenerara−se e prostituíra−se nos já degenerados Templos de Vesta, de Vênus−Afrodite e de Apolo.

Foi naquela época que muitos Sacerdotes Pagãos converteram−se em vagabundos, em comediantes, em palhaços e esmoleres. As pessoas comuns e correntes zombavam deles e os corriam a pedradas. Assim terminou a forma religiosa do Paganismo Romano. Essa forma havia cumprido sua missão e o único remédio era a morte.

O mundo necessitava de algo novo. A Religião Universal necessitava manifestar−se sob uma nova forma. Jesus foi então o Iniciador dessa Nova Era. Jesus, o Cristo, foi de fato o Herói Divino da nova idade.

O Concílio de Nicéia, celebrado no ano 325, não criou um novo herói como supõem os porcos do materialismo. No Concílio de Nicéia, reconheceu−se oficialmente uma doutrina e um homem. A doutrina foi o Cristianismo Primitivo, desfigurado hoje pela seita Católica Romana. E o Homem foi Jesus. Muitos homens declararam−se Avataras da Nova Era, mas nenhum, exceto Jesus, ensinou a Doutrina da Nova Era. Os fatos são os que falam e Jesus falou com fatos, por isso foi reconhecido como Iniciador da Nova Era.

A Doutrina de Jesus é o Esoterismo Crístico, a Religião Solar de todas as idades e séculos. O Gnosticismo ensinado por Jesus é a Religião do Sol, o Cristianismo Primordial dos Deuses da Aurora.

No Concílio de Nicéia foi dada personalidade jurídica a uma nova forma religiosa que havia suportado, durante muitos séculos, perseguições e martírios indizíveis. Basta recordar os circos de leões nos tempos de Nero, em que os Cristãos eram lançados à arena para serem devorados pelas feras. Recordemos as épocas das catacumbas e os sofrimentos de todos aqueles Gnósticos. No Concílio de Nicéia reconheceu−se com justiça, de forma definitiva e oficial, uma Doutrina Solar e um Homem que havia encarnado o Cristo Cósmico.

Devemos esclarecer que os Santos Deuses das Religiões Egípcias, Gregas, Romanas, Ibéricas, Escandinavas, Gálicas, Germânicas, Assírias, Aramaicas, Babilônicas, Persas, etc, não morreram. Esses Deuses cumpriram sua missão e depois se retiraram, isso é tudo. Num futuro Mahamvantara esses Deuses Inefáveis e suas Religiões Divinas voltarão em seu tempo e em sua hora para uma nova manifestação. Quando uma forma religiosa desaparece, entrega seus Princípios Ecumênicos Universais à forma religiosa que a sucede, essa é a lei da vida.

Jesus tem os divinos atributos de Krishna, de Buddha, de Zeus−Júpiter, de Apolo e todos eles nascem duma virgem. Realmente o Cristo nasce sempre da Virgem Mãe do Mundo. Todo Mestre pratica Magia Sexual e falando simbolicamente podemos afirmar que dentro do ventre da esposa sacerdotiza nasce o Cristo.

Os emblemas, os símbolos e os dramas do nascimento dos Deuses são sempre os mesmos. O Deus Mitra nasce aos 24 de dezembro às doze da noite como Jesus. Belém é o lugar do nascimento de Jesus. Este nome vem do nome do Deus dos Babilônios e dos Germânicos, que assim denominavam ao Deus Sol: Bel ou Beleno. Com isto se quis dar a entender a realidade de um homem que encarnou o Cristo Sol.

As Deusas Ísis, Juno, Demeter, Ceres, Vesta, Maia, foram então personificadas na Mãe do Hierofante Jesus. A Hebréia Maria foi uma grande iniciada. Todo ocultista sabe disso. Todas essas Deusas Mães representam perfeitamente. A Divina Mãe Kundalini, da qual nasce sempre o Verbo Universal da Vida.

Todos os Santos Mártires, Virgens, Anjos, Demônio, Querubins, Serafins, Arcanjos, Potestades, Virtudes, Tronos, são os mesmos Semi−Deuses, Titãs, Deusas, Sílfides, Ciclopes e Mensageiros dos Deuses, mas agora com novos nomes. Os princípios religiosos são sempre os mesmos. Podem mudar as formas religiosas mas os princípios não mudam jamais, porque existe uma só religião. A Religião Universal.

Os antigos conventos de freiras ressurgiram em uma nova forma, mas infelizmente os Sacerdotes Medievais, por não conhecerem o Grande Arcano, só utilizaram as Sacerdotisas para fornicar. Se tivessem conhecido o Grande Arcano, teriam cumprido uma grande missão, ter−se−iam realizado a fundo e a forma Católica Romana não se teria degenerado e o Esoterismo Crístico resplandeceria em todos os Templos.

O Esoterismo Gnóstico na Nova Era Aquária substituirá a forma Católica e o ser humano venerará os Deuses Inefáveis. O Matrimônio Perfeito é o caminho religioso da Nova Era.

É absolutamente impossível encarnar o Cristo Cósmico sem a Magia Sexual. O Amor é a religião mais elevada, porque Deus é Amor. Chegou o momento de compreender perfeitamente o profundo significado disso que se chama Amor. Na verdade, o Amor é o único tipo de energia que pode cristificar−nos totalmente.

O sexo é a pedra do sol. O sexo é a pedra básica sobre a qual temos que edificar o templo para o Senhor. “Nunca leste nas escrituras: A pedra que os edificadores haviam rejeitado essa foi feita cabeça de ângulo? Do Senhor vem isto e é admirável aos nossos olhos”. Precisamente esta pedra é desprezada pelos infra−sexuais, que se presumem de perfeitos. É realmente coisa maravilhosa que esta pedra, considerada como tabu, ou pecado, ou simplesmente como instrumento de prazer, seja posta como cabeça de ângulo do templo. “Por isso, vos digo que o reino de Deus (o Magis Regnum ou Reino da Magia) vos será tirado e será entregue a um povo que produza seus frutos. E aquele que cair sobre esta pedra se esfacelará, e aquele sobre quem ela cair será pulverizado”. (Mateus 21 vers. 42 a 44).

O sexo é a pedra fundamental da família, porque sem este não existiria a família. O sexo é a pedra fundamental do homem, porque sem ele o homem não poderia vir à existência. Finalmente o sexo é a pedra fundamental do Universo, porque sem este o Universo não existiria.

A energia sexual do Terceiro Logos flui do centro de toda nebulosa e desde o vórtice de todo átomo. Quando esta energia deixar de fluir do centro da terra, esta converter−se−á num cadáver. A energia sexual do Terceiro Logos possui três formas de expressão: 1a) Reprodução da espécie. 2a) Evolução da raça humana. 3a) Desenvolvimento espiritual.

O Kundalini é do mesmo tipo de energia com a qual o Terceiro Logos elabora todos os elementos da terra.

Na natureza existem três tipos de energia: a energia do Pai, a do Filho e a do Espírito Santo. Na Índia o Pai é Brahma, o Filho é Vishnu. o Espírito Santo é Shiva.

A força do Espírito Santo deve retornar para dentro e para cima. É necessário que as forças sexuais se sublimem até o coração. Neste centro magnético essas forças se mesclam com as forças do Filho a fim de subirem aos Mundos Superiores. Somente quem conseguir o desenvolvimento total do Kundalini se cristifica totalmente. E só quem se cristifica pode encarnar o Pai.

O Filho é Uno com o Pai e o Pai é Uno com o Filho. Ninguém chega ao Pai, senão pelo Filho. Assim está escrito. As forças do Pai, do Filho e do Espírito Santo descem para depois retornar para dentro e para cima: isso é Lei.

As energias do Espírito Santo descem até os órgãos genitais. As do Filho descem até o coração e as do Pai até a Mente. Retornamos com as energias do Espírito Santo e neste retorno há encontros maravilhosos. No coração encontramos o Cristo e na Mente o Pai: estes encontros significam regresso para dentro e para cima. Assim passamos além da quarta, quinta e sexta dimensões do espaço e então nos libertamos totalmente.

Muito se tem falado sobre o Hierofante Jesus, porém na realidade ninguém conhece a sua verdadeira biografia. Há uma tendência a castrar o Hierofante Jesus. As seitas cristãs apresentam Jesus como um infra−sexual, como um afeminado fraco e às vezes, enfadonho, como uma dama caprichosa. Tudo isto é positivamente absurdo. A realidade é que ninguém conhece a vida particular de Jesus, porque não existe ainda um livro com a sua biografia. Somente com as faculdades da Clarividência Objetiva podemos estudar a vida de Jesus nos Registros Akáshicos da Natureza. A Akasha é um agente sutil que penetra e enche todo o espaço. Todos os acontecimentos da terra de suas raças, a vida de Jesus, etc., estão gravados e escritos como numa “fita” eterna e vivente no Akasha. O Akasha penetra até o ar. A ciência da rádio−televisão no fim deste século terá instrumentos adequados para ver os Registros Akáshicos. Então, será possível estudar, através destes instrumentos, a vida do Hierofante Jesus. Já sabemos que todos os movimentos são relativos e que só há uma constante: a velocidade da luz. Os astrônomos com suas lentes percebem estrelas, que já deixaram de existir, porque a luz viaja a uma determinada velocidade constante. O que os astrônomos vêem a até fotografam as ditas estrelas é a recordação, o Akasha. Muitas destas estrelas se acham tão distantes que a luz que delas provém pode ter começado sua viagem muito antes da criação do mundo. Em virtude da lentidão da luz, esta constante, é que se torna possível a invenção de certos instrumentos especiais, com os quais se poderá ver o passado. Como se vê, tudo isso é possível e exequível. Por intermédio de um telescópio especialíssimo, dotado de um rádio televisor também especialíssimo, poder−se−ia captar vibrações sonoras e luminosas, e até mesmo acontecimentos ocorridos em nossa terra desde a formação do mundo. A ciência oficial dentro em breve chegará a esta mesma conclusão, no máximo em fins deste século. Somente então é que se poderá escrever em um livro a Biografia de Jesus.

Nós, os Gnósticos, em corpo astral, estudamos os Registros Akashicos toda vez que isso se faz necessário. Conhecemos perfeitamente a vida do Grande Mestre e sabemos realmente que Jesus foi um homem completo em todo o sentido da palavra. Jesus teve Esposa Sacerdotiza, porque não podia ser nenhum infra−sexual. A Esposa de Jesus foi uma completa Dama−Adepto, dotada de grandes poderes secretos. Jesus viajou pela Europa e foi membro de uma Escola de Mistérios do Mediterrâneo. Jesus estudou no Egito e praticou Magia Sexual com sua Sacerdotiza dentro de uma Pirâmide. Desse modo foi como recapitulou Iniciações e alcançou mais tarde a Iniciação Venusta. Jesus viajou pela Pérsia, pela Índia, etc. Enfim, o Grande Mestre foi um verdadeiro Mestre no mais perfeito sentido da palavra.

Os Quatro Evangelhos são realmente quatro textos de Alquimia e Magia Branca. Começa a Iniciação transmutando a Água da Vida (Sêmen) em Vinho de Luz do Alquimista. Este milagre realiza−se nas Bodas de Canaan. Sempre em Matrimônio. Com este milagre começa−se a percorrer a senda da iniciação. Todo o Drama da Vida, Paixão e Morte de Jesus é tão antigo como o mundo. Este Drama vem das antigas religiões arcaicas do passado e é conhecido em todos os rincões do mundo. Drama este que se aplica a Jesus e em geral a todos aqueles que percorrem a Senda do Fio da Navalha. Este Drama não é a vida de um só homem. Este Drama é a vida esotérica de todos os que percorrem o caminho secreto. Tanto se pode aplicar este Drama a Jesus, como a qualquer outro Iniciado Cristificado. Na verdade o Drama da Vida, Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus é um Drama Cósmico que já existe muito antes da própria existência do mundo. Drama esse que é conhecido em todos os mundos do espaço infinito.

Os Quatro Evangelhos só podem ser conhecidos com a chave da Magia Sexual e com o matrimônio perfeito. Os quatro evangelhos foram escritos para servir de guia aos poucos que percorrem a Senda do Fio da Navalha. Os Quatro Evangelhos nunca foram escritos para as multidões. O trabalho de adaptar o Drama Cósmico à Nova Idade foi maravilhoso e nele intervieram grupos secretos de Iniciados.

Os Evangelhos, quando estudados por gente profana, são interpretados equivocadamente.

Jesus teve o heroísmo de assimilar a substância Cristo em todos os seus veículos internos e isso o conseguiu trabalhando com INRI (FOGO). Assim foi como o Hierofante pode ser Uno com o Pai. Jesus se converteu em um Cristo e subiu ao Pai. Assim também, todo aquele que assimilar a substância Cristo no fisiológico, no biológico, no anímico e no espiritual, converter−se−á num Cristo. Assim sendo, Cristo não é nenhum tipo de indivíduo Humano ou Divino. Cristo é uma substância cósmica que se acha contida em todo o espaço infinito. O que necessitamos é formar Cristo em nós e isto só é possível com INRI (FOGO).

Cristo nada pode fazer sem a serpente, a qual só se desenvolve, evolui e progride pela prática da Magia Sexual. Quem forma Cristo, converte−se em Cristo. Somente Cristo pode subir ao PAI, o qual não é nenhum indivíduo humano ou divino. O Pai, o Filho e o Espírito Santo são substâncias, forças, energias transcendentais terrivelmente divinas, isso é tudo. Infelizmente, o que acontece é que as pessoas têm uma forte tendência de antropomorfizar estas forças de cunho superior.

Jesus viveu o Drama da paixão, mas não é o único que o viveu, uma vez que alguns Iniciados, como Hermes, Quetzalcoatl, Krishna, Orfeu, Buddha, etc., viveram este mesmo Drama. Depois d’Ele alguns outros viveram−no. O Drama da Paixão é cósmico.

A sintese de todas as Religiões, Escolas e Crenças é o Cristo e a Magia Sexual. O Matrimônio Perfeito não prejudica a ninguém, todos os Sacerdotes de todas as Religiões, os preceptores de todas as Escolas, os Adoradores do Cristo, os amantes da Sabedoria, podem percorrer a senda do Matrimônio Perfeito. Esta é a Doutrina da Síntese, que não prejudica a ninguém e sim beneficia a todos. Esta é a doutrina da nova era. Os membros de todas as Escolas, todas as Seitas e Ordens podem muito bem entrar em acordo, tomando por base o Matrimônio Perfeito, para fundar uma nova civilização, baseada na sabedoria da serpente. Verdadeiramente necessitamos de uma nova civilização, cujo fundamento seja o Matrimônio Perfeito. O mundo inteiro está em crise e só com o Amor é que poderá ser salvo.

Nós, os Gnósticos, não somos contra nenhuma Religião, porque isso seria um absurdo. Todas as Religiões são necessárias, pois que elas são as várias manifestações da Religião Cósmica universal infinita. Seria triste e lamentável um povo sem Religião. Acreditamos que todas as Escolas e Seitas cumprem sua missão, ensinando, discutindo, estudando. O que importa, na verdade, é que a gente siga a Senda do Matrimônio Perfeito. O Amor não prejudica a ninguém. A Gnose é a chama donde saem todas as Religiões, Escolas e Crenças. A Gnose é sabedoria e amor.

Todos aqueles que crêem chegar à Cristificação com o tempo e através da evolução, reencarnando−se e ganhando muitas experiências, estão de fato redondamente equivocados. Os que assim pensam estão contemporizando com o erro de século em século, de vida em vida, e o seu fim é que acabarão se perdendo no abismo.

Nós, os Gnósticos, não negamos a Lei da Evolução, mas afirmamos categoricamente que tal Lei não Cristifica a ninguém. As leis da Evolução e da Involução são leis puramente mecânicas da Natureza, que se processam simultâneamente em todo o grande Laboratório da Natureza. Numerosíssimos organismos e espécies são produto da Involução e muitíssimos organismos e espécies o são da Evolução. O perigoso é atribuir coisas, virtudes e qualidades que a Evolução não possui. A Evolução não Cristifica a ninguém. Quem quiser a Cristificação, necessita da Revolução da Consciência. E esta só é possível trabalhando com o grão. Devemos esclarecer que o trabalho com o grão passa−se em três fases completamente distintas: 1) Nascer; 2) Morrer; 3) Sacrifício pela pobre humanidade doente. Nascer é um problema completamente sexual. Morrer é questão de santidade. Sacrifício pela humanidade é Cristo−Centrismo. Deve nascer o Anjo dentro de nós mesmos, o qual nasce de seu germen sexual. Deve morrer o Satã e isto é coisa de Santidade. Devemos dar a vida para que outros vivam; isto é Cristo−Centrismo. O Hierofante Jesus viveu realmente todo o Drama da Paixão assim como está escrito. E nós, apesar de sermos uns míseros vermes da terra, precisamos também viver todo o Drama da Paixão.

Jesus foi filho de um soldado romano e de uma mulher hebraica. O grande Hierofante Jesus era de estatura mediana e de pele clara, ligeiramente queimada pelos raios solares. O Grande Mestre tinha cabelo e barba negros. Seus olhos pareciam duas noites inefáveis. Nazareno é uma palavra que vem de Nazar, que significa homens de nariz reto. Jesus não tinha nariz curvo de tipo judeu. O Grande Mestre tinha nariz reto, próprio da raça européia e Ele só era judeu por parte da hebréia Maria, porém por parte de pai era de raça céltica. A Esposa Sacerdotiza do Mestre Jesus era também de raça branca e tinha grandes poderes esotéricos, como o demonstrou ao viajar com o Nazareno pelo países do Mediterrâneo em terras da Europa. Jesus foi um homem completo e não um castrado como o apresentam muitas religiões. Jesus percorreu a Senda do Matrimônio Perfeito. Jesus formou Cristo dentro de si mesmo, praticando Magia Sexual com sua mulher. Isto que estamos afirmando só escandalizará aos fanáticos. Quando os cientistas tiverem em seu poder os Registros Akáshicos da Natureza, por meio de ultra modernos televisores, todo mundo poderá ver a vida de Jesus e então nos darão razão. (pouco importa o nome que será dado na ocasião a estes aparelhos).

Nesses Registros do Akasha poderá ser conhecida toda a história do mundo, a vida de todos os grandes homens, a história completa de Cleópatra e de Marco Antônio, e com o decorrer do tempo os fatos demonstrarão todas as nossas afirmações.

Ao terminarmos os trinta e três Capítulos do Matrimônio Perfeito, fomos informados de que o Grande Mestre Jesus está no ocidente dos Estados Unidos da América do Norte. O Grande Mestre anda pelas ruas, anônimo e desconhecido; veste−se como qualquer cidadão e ninguém o conhece. D’Ele flui uma poderosa energia crística, que se difunde por toda a América. O Grande Mestre conserva ainda o mesmo corpo que teve na Terra Santa. Certamente o Grande Hierofante Jesus ressuscitou ao terceiro dia dentre os mortos e ainda vive com seu corpo físico. Jesus logrou a ressurreição mediante o Elixir da Longa Vida. Jesus recebeu o dito Elixir porque se Cristificou. Jesus se Cristificou porque percorreu a senda do Matrimônio Perfeito.

Encerramos estes trinta e três Capítulos afirmando que no centro dos quatro caminhos chamados: Religião, Ciência, Arte e Filosofia encontra−se a suprema síntese, que é o Matrimônio Perfeito.

Capítulo 32 – A Divina Trindade Conclusão