Bem-vindo a Sociedade Gnóstica | SGI

Ioga Sexual

Na Índia existem três tipos de Tantrismo:

Primeiro: Tantrismo Branco.

Segundo: Tantrismo Cinzento.

Terceiro: Tantrismo Negro.

No Tantrismo Branco pratica−se Magia Sexual sem derramamento do sêmen.

No Tantrismo Cinzento ora há derramamento do sêmen, ora não há derramamento do sêmen. Este gênero de Tantrismo conduz o devoto ao Tantrismo Negro.

No Tantrismo Negro existe o derramamento do sêmen. Dentro do Tantrismo Negro encontramos os Dugpas de capacete vermelho, magos negros terríveis e perversos. Estes malvados possuem processos asquerosos para reabsorver o sêmen pela uretra, depois de havê−lo derramado miseravelmente. O resultado é fatal, porque o sêmen, depois de haver sido derramado, carrega−se de átomos satânicos e ao penetrar novamente no organismo adquire o poder de despertar o Kundalini de forma negativa. Então, este desce para os infernos atômicos do homem e se converte na cauda de Satã. Assim é como o ser humano se separa para sempre do seu Ser Divino e se afunda para sempre no abismo. Todo aquele que derrama o Vaso de Hermes é Mago Negro devidamente reconhecido.

Na Índia, a Magia Sexual é conhecida com o nome de Maithuna, ou também com a denominação de Urdhvaratus Yoga, sendo que os seus praticantes são chamados Ordvaretas Yoguis.

Em todas as Escolas de Ioga, verdadeiramente sérias e responsáveis, pratica−se a Magia Sexual de forma secretíssima. Quando um casal de Iogues (homem e mulher) se acha bem preparado, são levados para um lugar secreto, onde são instruídos sobre o Maithuna (Magia Sexual).

Os casais se unem sexualmente para trabalhar na Grande Obra sob a vigilância de um Guru (Mestre). O homem sentado sobre uma almofada em atitude búdica, com as pernas cruzadas à moda oriental, entra em contato sexual com a mulher. Ela deverá sentar−se sobre as coxas do homem, envolvendo com suas pernas o tronco do homem. Ao sentar−se sobre ele deverá logicamente absorver o seu falo. Assim homem e mulher conectam−se sexualmente. Os casais de ioguins permanecem durante horas inteiras sem derramar o sêmen. É obrigação do iogue não pensar, quando se acha na prática de Magia Sexual.

Homem e mulher, nesses momentos, atingem o estado de êxtase. O casal fica assim profundamente enamorado. As energias criadoras sobem vitoriosas pelos seus respectivos canais até o cálice do cérebro. O desejo animal é rechaçado. Depois, o casal retira−se do ato amoroso sem haver derramado o sêmen.

Este modo de praticar Magia Sexual, ao estilo oriental, pode ser muito incômodo para a gente ocidental, no entanto é recomendável para aquelas pessoas que não conseguem refrear o ato para evitar o derramamento do Vaso de Hermes. Com esta prática podem treinar sexualmente os gnósticos para aprender a frear e evitar o derrame do sêmen. Os casais gnósticos não necessitam da vigilância física de nenhum Mestre, mas poderão invocar aos Mestres do Astral para que os ajudem. O casal deve estar a sós.

É importante que durante a prática de Magia Sexual não exista o desejo animal. Lembrem−se que o desejo e diabólico. O Eu é desejo. O Eu é diabólico. Onde existe o desejo não pode haver o amor, porque amor e desejo são incompatíveis. É necessário saber que o desejo produz engano. Quem deseja, pensa estar enamorado, sente−se enamorado e pode até jurar que está enamorado. Esse é o engano do desejo. Inúmeras vezes ouvimos os casais dizerem que se adoram. Mas, depois de casados, o castelo de cartas de derruba e fica a triste realidade. Os que se acreditam enamorados no fundo se odeiam e o fracasso, depois de satisfeito o desejo, é inevitável. Então, só escutamos queixas e lamentações, reprovações e lágrimas. Onde estava o amor? O que se fez do amor?

É impossível Amar quando há desejo. Só aqueles que já encarnaram sua alma sabem amar verdadeiramente. Pois o Eu não sabe amar, só a alma sabe amar. O amor tem seu clima próprio, seu sabor, sua felicidade. Isso só conhece quem já matou o desejo animal. Isso só sabe e experimenta quem já encarnou sua alma. O amor não se assemelha a nada daquilo que as pessoas chamam amor.

O que se acredita ser amor é tão somente desejo enganador. O desejo é uma substância enganosa que se combina maravilhosamente na mente e no coração, para fazer−nos sentir algo que não sendo amor, faz−nos crer firmemente que seja amor. Só a horrível realidade que se apresenta depois de consumado o ato e satisfeito o desejo vem demonstrar−nos claramente que fomos vítimas de um engano.

Acreditávamos estar enamorados e realmente não estávamos.

O ser humano ainda não sabe o que é Amor. Na realidade só a alma pode e sabe amar. O homem ainda não encarnou sua alma e por isso não sabe ainda o que é amor. Satã não sabe o que é o Amor. A única coisa que o ser humano tem encarnada atualmente é Satã (o Eu). O ser humano não sabe amar.

O amor só pode existir de coração para coração, de alma para alma. Quem não encarnou sua alma não sabe amar. Satã não pode amar e é exatamente isso o que o ser humano tem encarnado. O Matrimônio Perfeito é a união de dois seres, um que ama mais e outro que ama melhor. O Amor é a melhor religião que o ser humano pode chegar a professar.

O desejo é uma substância que se decompõe em muitas substâncias, as quais conseguem enganar a mente e ao coração. Aquele que se desesperar porque sua mulher fugiu com outro homem, na realidade não estava enamorado. O amor verdadeiro não exige nada, nada pede, não deseja nada, não pensa em nada, pois só quer uma coisa: a felicidade do ser que ama. Isso é tudo. O homem que perde a mulher que ama só exclama “Sinto−me feliz por você ter encontrado a sua felicidade. Ainda que seja com outro homem, isso é motivo suficiente para que me sinta feliz”.

Desejo é outra coisa. O apaixonado que perdeu a mulher que amava e que se foi com outro pode chegar a matar e a matar−se também, pois cai no mais horrível desespero, em virtude de ter perdido o instrumento do prazer. Isso é tudo.

Com efeito, o verdadeiro amor só é conhecido por aqueles que já encarnaram sua alma. A humanidade ainda não conhece isso que se chama Amor. Na verdade o Amor é como um menino inocente, é como um cisne de lívida plumagem. O Amor se parece com os primeiros folguedos da infância. O Amor não sabe nada porque é inocente. A melhor sabedoria é não saber nada. Ao dissolvermos esse horrível espectro (o Eu) que continua depois da morte, então nasce em nós isso que se chama Amor. Ao chegarmos a esse estado, recobramos a inocência perdida.

Atualmente, o ser humano só tem encarnado um embrião de alma, o qual lança, às vezes, algumas centelhas de amor. A mãe que adora seu filho é um perfeito exemplo disso que se chama Amor. O embrião de alma pode robustecer−se com a chama bendita do amor.

O homem e a mulher às vezes chegam a sentir as radiações do Amor que brotam do embrião da alma, mas afogam−nas imediatamente com as violentas e terríveis paixões que Satã lhes dá. Se cultivarmos essas divinas vibrações do amor, podemos então fortificar e robustecer o embrião de alma para viver com intensidade, mais tarde, isso que se chama Amor.

O amor robustece o embrião de alma e assim é como conseguimos a encarnação da alma.

Raríssimos são os seres humanos capazes de sentir as divinas vibrações amorosas que se irradiam do embrião de alma. Normalmente, o que a humanidade sente são as forças do desejo. O desejo também canta e se transforma em romances e ternuras infinitas. O desejo é o veneno mais enganador que existe em todo o cosmos. Todo aquele que é vítima do grande enganador pode jurar que está enamorado. Homens e Mulheres: convido−vos ao Amor. Segui os passos daqueles poucos que no mundo souberam amar.

Deuses e Deusas: amai−vos no encanto nupcial do paraíso. Felizes os seres que se amam verdadeiramente. Somente o Amor pode converter−nos em Deuses.

Endocrinologia

Mesmo que pareça incrível, é absolutamente certo e verdadeiro que a ciência está mais próxima da transmutação e da sexo−ioga do que mesmo muitos estudantes de Ioga. A Endocrinologia está destinada a desempenhar uma verdadeira revolução criadora. Os homens de ciência já sabem que as glândulas sexuais não são cápsulas fechadas, pois elas incretam e excretam hormônios.

Os hormônios de excreção são chamados conservadores, porque perpetuam a espécie, ao passo que os hormônios de increção são denominados vitalizadores, porque vitalizam o organismo humano. Este processo de “increção” hormonal é transmutação: transformação de um tipo de energia−matéria em outro tipo de energia−matéria. O Maithuna (A Magia Sexual) é transmutação sexual intensificada. O Gnóstico increta, transmuta e sublima a totalidade da matéria−energia sexual. A riqueza e a abundância dos hormônios sexuais inundam o sistema circulatório do sangue e chegam às diversas glândulas de secreção interna, estimulando−as e incitando−as a trabalhar intensamente. Assim, com a transmutação sexual intensificada, as glândulas endócrinas ficam super−estimuladas, produzindo, como é natural, maior número de hormônios que vêm animar e modificar todo o sistema nervoso líquido.

A ciência já reconhece a transmutação sexual em todo indivíduo de sexualidade normal. Basta que a ciência avance algo mais para reconhecer a transmutação sexual intensificada dos indivíduos supra−sexuais. Quem estudar biologicamente os trinta e dois signos capitais do Buddha, chegará à conclusão de que os caracteres sexuais secundários do Buddha eram realmente os de um super−homem. Estes caracteres sexuais secundários do Buddha, acusam, assinalam uma intensíssima transmutação sexual.

É fora de dúvida de que o Buddha praticou o Maithuna (a sexo−ioga, a Magia Sexual, o Arcano A.Z.F.). Buddha ensinou Tantrismo Branco (Magia Sexual), sendo que esse ensinamento foi dado secretamente a seus discípulos. O Budismo Zen e o Chan ensinam Maithuna e os casais praticam esta sexo−ioga.

Caracteres Sexuais Secundários

Existem os caracteres sexuais primários e os secundários. Os primeiros se relacionam com as funções sexuais dos órgãos criadores e os segundos com a distribuição das gorduras, formação dos músculos, pêlos, palavra (voz), forma do corpo, etc. É claro que a forma do corpo da mulher é diferente da do homem e vice−versa. Também é muito certo que qualquer dano aos órgãos sexuais modifica o organismo humano. Os caracteres sexuais secundários de um eunuco, são os de um degenerado. Os caracteres sexuais secundários de um indivíduo de sexo intermédio, ou sodomita, indicam um invertido, um infra−sexual. Que se deduziria de um indivíduo afeminado? Que se deduziria de uma mulher masculinizada? Que tipo de caracteres primários corresponderia a indivíduos com caracteres secundários opostos aos do seu próprio sexo? É fora de dúvida que em tais sujeitos existe o infra−sexo.

A ioga−sexual, o Maithuna, o Arcano A.Z.F. (Magia Sexual), é um tipo de funcionamento supra−sexual, que modifica de fato os caracteres sexuais secundários, produzindo um novo tipo de homem, um super−homem. É absurdo supor que o super−homem possa resultar de crenças, teorias, sectarismos, fanatismos, escolas, etc… Realmente o super−homem não provém do que se acredita ou deixe de se acreditar, da escola a que pertencemos ou deixemos de pertencer. Os caracteres sexuais secundários só se modificam através da modificação dos caracteres primários. Os autênticos Ioguins Iniciados conseguem com a sexo−ioga (Maithuna) modificar os caracteres secundários sexuais de modo positivo, transcendental e divino.

Psicologia e Endocrinologia

A Psicologia parecia já estar estagnada, quando felizmente apareceu a ciência da Endocrinologia.

Assim, a Psicologia tomou novo alento. Já se fizeram intentos para estudar a vida dos grandes homens de acordo com seu tipo biológico. Por exemplo, se diz que o ocaso de Napoleão coincide com o processo de decadência de sua glândula pituitária. Os caracteres psicológicos são determinados pelas glândulas endócrinas e pelos caracteres sexuais primários.

O tipo Bio−Psicológico é definitivo e ninguém pode negá−lo, dependendo dos caracteres sexuais primários.

Realmente o tipo Bio−Psicológico pertence aos caracteres sexuais secundários e é inteiramente determinado pelos caracteres sexuais primários. Baseados nisso podemos afirmar que se quisermos o Ser Bio−Tipo−Psicológico, devemos trabalhar com os caracteres sexuais primários. Somente com a Magia Sexual, Maithuna ou Sexo−Ioga, logramos produzir o Tipo−Bio−Psicológico do Mestre, do Super−Homem, do Mahatma.

O Infra−Sexo

Fizemos, neste capítulo, afirmações que os infra−sexuais odeiam mortalmente. Eles, na realidade, se auto−consideram supra−sexuais, super−transcendentes. Os infra−sexuais se acham mais perfeitos que o Terceiro Logos e não têm inconveniente para afirmar que o sexo é algo grosseiro, imundo, material. Os infra−sexuais ignoram que o sexo seja a força criadora do Espírito Santo, sem a qual jamais poderão conseguir a Auto−Realização Íntima. Desgraçadamente eles insultam o Terceiro Logos e sua força sexual maravilhosa. Para o infra−sexual, a divina força sexual do Espírito Santo é algo pecaminoso, grosseiro e material.

Os infra−sexuais têm a vã ilusão de poder auto−realizar−se através de leituras, filosofias, crenças, exercícios respiratórios (sistema fole), etc. É evidente que com todas estas coisas não conseguirão jamais transformar os caracteres sexuais secundários e o resultado será o inevitável fracasso.

Evolução e Involução

Atualmente estão se difundindo tanto no oriente como no ocidente do mundo, muitas doutrinas filosóficas, fundamentadas no dogma da evolução. A evolução e a involução são forças mecânicas que se processam simultaneamente em toda natureza. Nós não negamos a realidade dessas duas forças e até as explicamos.

Ninguém pode negar os processos criativos e destrutivos, evolutivos e involutivos, generativos e degenerativos. Acontece, porém, que atribuem à força mecânica da evolução atributos que não possui.

Nem a evolução e nem a involução podem liberar a ninguém. Isso de dizer que todos com a evolução chegarão à liberação, à meta, é uma fantasia de gente iludida. Jesus, o Cristo, falou claro e nunca prometeu salvação a todos. O Grande Mestre é categórico a respeito da tremenda e terrível dificuldade no que diz respeito à luta para entrar no Sanctum Regnum, no Reino da Magia e do Esoterismo: “Muitos são os chamados e poucos os escolhidos”. “De mil que me buscam, um me encontra; de mil que me encontram, um me segue; de mil que me seguem, um é Meu”.

Aqui não se trata de crer ou de não crer, de considerar−se um eleito ou de pertencer a tal ou qual seita.

O que diz respeito à salvação é demasiado grave. Tem−se que trabalhar com o grão, com a semente sexual. Do nada nada sai. É necessário trabalhar com o grão. É requerido um esforço do próprio grão, é requerida uma revolução total. Só do grão sexual nasce o Anjo Interno. Só o Anjo Interno é admitido no Reino do Esoterismo. É urgente o Maithuna, a sexo−ioga, a Magia Sexual. As forças da evolução e da involução são meras forças mecânicas, que não liberam ninguém e não salvam ninguém. Isso é tudo.

Muitos organismos resultam da evolução e muitos da involução. As raças de certos indígenas e antropófagos não se acham em evolução, mas estão na realidade na involução, pois são o produto degenerado de poderosas civilizações que as precederam no decurso da história. Todas essas tribos se dizem descender de Deuses, Semi−Deuses, Titãs, etc. Todas essas raças conservam tradições que narram as glórias de um passado glorioso.

O lagarto é um crocodilo degenerado. Os arcaicos antepassados das formigas e das abelhas foram Titãs, que antecederam ao homem. A humanidade atual é um produto degenerado de raças precedentes, conforme acusam os caracteres sexuais secundários das pessoas. As mulheres masculinizadas que pilotam aviões e combatem na guerra são infra−sexuais, assim como os afeminados que fazem permanente e pintam as unhas nos salões de beleza. Equivocam−se os autores que supõem que isto seja evolução ou retorno para o Divino Hermafroditismo, etc. O autêntico Hermafrodita não é o sexo intermédio. O Hermafrodita do continente submerso lemuriano era completo, uma vez que possuía os dois sexos totalmente desenvolvidos, pois não era infra−sexual e nem era do sexo intermédio. Hoje só é possível achar o Divino Hermafrodita no Espírito e na Alma fusionados e perfeitos. Na Iniciação, a Alma inteiramente feminina e o Espírito completamente masculino se fusionam. Um Anjo é um Divino Hermafrodita. Nenhum Anjo é do sexo intermédio.

Exercícios Iogues

Não condenamos os exercícios iogues, pois sabemos que eles são bastante úteis e coadjuvam no desenvolvimento interior. Entretanto, toda ioga que não ensinar o Maithuna e as shadanas tântricas brancas é incompleta. Os grandes ioguins do Oriente e do Ocidente se realizaram com a sexo−ioga. Os Iogues da Nova Era, os Agnis Iogues, terão que estudar endocrinologia a fundo e dar ensinamentos públicos sobre a sexo−ioga.

As posturas tântricas do Kama Kalpa são muito exageradas e muitas delas degeneram em Tantrismo Negro. Somente recomendamos a postura tântrica deste capítulo.

Capítulo 21 – A Nona Esfera Capítulo 23 – A Serpente Voadora