Bem-vindo a Sociedade Gnóstica Internacional

26 abr 2010

Curso de Runas – 2010

Segundo as antigas tradições do norte da Europa, o poderoso deus Odin permaneceu nove dias e nove noites pendurado na árvore que sustenta o mundo, e foi então que aprendeu a Sabedoria das Runas, que contêm as chaves para compreender e utilizar os mistérios do universo. Esta sabedoria era transmitida oralmente apenas a homens e mulheres devidamente capacitados, e ela os convertia em Mestres das Runas.

Neste curso elaborado pelos professores da Sociedade Gnóstica Internacional, os alunos aprenderão o significado das Runas e as formas de utilizá-las para realizar predições, fazer invocações mágicas e construir talismãs. Os métodos empregados são bastante objetivos e essencialmente práticos. Além disso, a explicação da mitologia dos antigos povos germânicos e nórdicos servirá como base pedagógica para o entendimento e a aplicação da Sabedoria das Runas.

Os alunos deste curso receberão no dia, junto com suas Apostilas e Certificados de Participação, um Conjunto de Runas que será elaborado e consagrado por cada aluno, de acordo com as tradições transmitidas pelos antigos Mestres das Runas.

É muito fácil se inscrever no curso:

 1. Clique neste LINK para abrir o formulário de pedido online.

2. Selecione o Curso de Runas.

3. Selecione Meio de Pagamento (Boleto Bancário ou Transferência Online). Não será cobrada taxa de boleto.

4. Clique em Calcular.

5. Insira seus Dados.

6. No formulário, clique em Finalizar Pedido.

7. Uma nova janela se abrirá contendo um novo link para que seja realizado o Pagamento.

8. Nela, confirme o meio de pagamento e clique em OK.

9. Se você escolheu Boleto, é só imprimir fazer o pagamento. Se escolheu Transferência, é só dar sequência ao procedimento.

IMPORTANTE: O Boleto é emitido em sistema de Contra Apresentação, portanto, não há data de vencimento. Contudo, LEIA ATENTAMENTE as instruções abaixo:

O curso oferecerá APOSTILA, CERTIFICADO e CONJUNTO DE RUNAS. Para que estes materiais estejam prontos no dia do curso, é necessário que o pagamento seja realizado com antecedência, através de boleto bancário, transferência online ou na própria sede com horário previamente agendado. Além disso, AS VAGAS SÃO LIMITADAS. Com o preenchimento do formulário e a Finalização do Pedido, sua vaga para o curso estará RESERVADA. Somente após o pagamento é que sua vaga estará GARANTIDA. Caso o número de inscritos seja superior ao número de vagas, os últimos inscritos que garantirem suas vagas serão remanejados para uma nova turma, em data a ser definida.

Informações essenciais sobre o curso:

DATA: 23 de maio de 2010 (domingo).

HORÁRIO: 09:00hs (credenciamento) e 09:15hs (início pontual). O término será às 18:00hs.  Haverá intervalos breves de almoço e coffee-breaks.

LOCAL: Associação Gnóstica de Curitiba.

ENDEREÇO: Rua Marechal Deodoro, 252, cj. 1113.

TELEFONE: 41 3024 3717 ou 41 8865 6431

CUSTO: R$80,00 (incluindo a Apostila completa, o Certificado de Participação e o Conjunto de Runas).

Em caso de dúvida, entre em contato conosco.

22 Respostas

  1. Paulo Sérgio

    Olá Giordano.

    Mais uma vez vos felicito por esta vossa nova iniciativa.

    É, sem dúvida, um interessante estudo da grafologia nórdica e das suas conotações práticas na vida comum, inclusive na interpretação de disposições energéticas consubstanciadas em cada um de nós, empregues na vida corrente mais próxima ou distante, e que presumivelmente se farão sentir, já que correspondem a uma carga energética individual de quem as utiliza convenientemente.

    Se, esotéricamente, as runas se aplicam à nossa vida, não poderemos nunca negligenciar o nosso, também, inerente lado crístico subjacente, sem o qual esse lado rúnico pouco ou nada transmutará em termos qualitativos do ponto de vista evolutivo e espiritual.

    Fraternalmente
    Paulo Sérgio

  2. Paulo Sérgio

    Vamos de novo avivar este fórum que se quedou há muito por vetustas mensagens e que por isso precisa de ânimo novo, espírito sagaz e sobretudo muita energia sacralizada.
    Para isso precisamos todos, primeiro, de utilizar um português escrito e articulado da melhor maneira possível, diria mesmo perfeito; lembremo-nos que a língua portuguesa foi levada para essas terras de Vera Cruz há 500 anos e manteve-se até hoje quase inalterada desde que aí aportou Pedro Álvares Cabral.
    Ainda para mais, vocês brasileiros representam o país com mais falantes neste idioma, mais uma razão para o divulgarem bem e o escreverem ainda melhor.
    No que diz respeito à componente espiritual, essa é produto de um trabalho intenso interior que não é sujeito a nenhum curso ou diploma, apenas merece esforço pessoal e dedicação exclusiva, quando realmente falamos de espiritualidade e representamos organismos que se intitulam como tal.
    O resultado constatar-se-á nas atitudes que desenvolvermos, se elas fôrem dignas de um propósito plenamente ético, então não há diploma que o suplante, Deus já nos concedeu, não por inscrição ou por dinheiro, mas por mérito, o valor transmitido superiormente pela Sua Divina orientação.

    Abraço e bom trabalho interno, o único que realmente nos pode transformar!

    Paulo Sérgio

  3. Paulo Sérgio

    Muito bem, começamos a dar de novo vida a este site da Associação Filosófica, contribuindo com os nossos comentários e sínteses experienciais, quer do ponto de vista da nossa existência física, quer no capítulo do perscrutamento íntimo do nosso Ser.

    E devemos continuar desta forma, colaborando através de todos os relatos pessoais cujo conteúdo seja enaltecedor e deveras elevado, sempre tendo em conta o excelso aprimoramento dos leitores, dentro de um perfeito encadeamento dos conteúdos enviados que contenham uma clara e exemplar descrição dos mesmos, num português exemplar, isento de erros e de grafologia imprópria, mesmo que para isso utilizemos um dicionário junto do local de envio dos comentários pela Net.

    Não nos esqueçamos nunca de racionalizarmos éticamente, quando escrevemos ou pensamos, devemos, por isso, subjugar a mente ao Espírito a fim de nos libertarmos de um mau pensamento, usando um processo de raciocínio discursivo ou expressivo de não julgamento, desta maneira expandiremos a Consciência na realidade, já que as consciências, nos tempos presentes, se encontram ameaçadas pelas novas vagas de muitos Nadas existenciais, vazios que procuram anular os verdadeiros Valores e o Supremo Bem.

    Por isso a razão deverá ser sempre imparcial, só ela aperfeiçoa a nossa Consciência que deve ser continuamente acompanhada pela Orientação moral transcendente, no sentido de transformar a nossa mente racional e os nossos próprios pensamentos, eliminando os egos e iluminando as nossas Essências.
    S. Paulo dizia em 12:02 “Não vos conformeis com este mundo, transformai-vos pela renovação da mente”.

    Daí a importância dos nossos pensamentos andarem de mãos dadas com o amor incondicional de não julgamento, no âmago de um raciocínio de inclusão e não dentro de um sistema caduco de raciocínio crítico, dual, que exclui pela diferenciação padronizada, redutora e pouco abrangente o que se nos afigura oponente ou dissemelhante.

    Continuemos nessa onda, sejamos dignos do legítimo procedimento gnóstico, levando-nos ao encontro da Humanização do Divino em nós, somente a consciência transformada pode transformar as realidades mesquinhas promotoras de clivagens e de dualismos segregadores.

    Abraço fraterno
    Paulo Sérgio

  4. Paulo Sérgio

    Com as diversas confusões acerca do termo Ciência que pairam nas mentalidades forjadas pelo “homo faber”, há que esclarecer que somente a Consciência desperta pode transformar o mundo para melhor, começando pelo interior de cada um e estendendo-se, depois, para um círculo mais dilatado à volta do agente responsável pela própria alquimia interna.

    O espírito tecnocrático não pode governar, nem educar, nem dirigir as consciências, isso tem sido a causa de imensos problemas que circundam o “homo” duas vezes “sapiens”, todavia, há que reconhecer, possibilitou uma forma mais rápida e leve de trabalho sem nunca saír, porém, do âmbito mecânico de que faz parte intrínsecamente.

    Não esquecer que Ciência é conhecimento críticamente fundamentado através de um método de investigação; informática é um conjunto de técnicas ligadas ao processamento automático da informação, constituindo, contudo, uma ferramenta indispensável para todas as áreas ciêntíficas.

    A Gnose situa-se entre as duas, já que ela é um conhecimento, directo, automático mas fundamentado, através dos métodos de utilização sobre o Logos de Deus, não os ensinamentos públicos mas o conhecimento prático que Jesus e outros Avatares ensinaram: o Logos como alma do mundo que significa Consciência Divina.

    Por isso o conhecimento do Logos torna-se indispensável para irradiarmos soluções para os graves problemas que nos cercam; a segunda vinda de Cristo não será em pessoa mas apenas uma forma superior de consciência mais apurada dentro de nós.

    O equilíbrio será o resultado da harmonização dos contrários (Heraclito) e as divinas proporções dos pitagóricos. O medo e a ambição escravizam o homem, o nosso bem depende do bem estar dos outros, todavia, ainda mantemos o nosso egocentrismo, racionalizando as nossas necessidades em prol da nossa família, do grupo a que pertencemos e por fim damos uma possível atenção ás necessidades alheias.

    A mudança deste status só se realizará através de uma nova civilização baseada na lógica imparcial de não julgamento. Equivale na prática aliar mente, corpo e espírito a Deus, humanizando o Divino e racionalizando éticamente através do trabalho metafísico, não esgrimido filosóficamente, mas sentido extra-sensorialmente. Lembrem-se da alegoria da caverna na “República” de Platão, onde os homens presos à caverna nada viam para além dos 5 sentidos, exilados no mundo da percepção sensível, só saíndo da caverna, cárcere da verdade extra-sensorial, poderiam observar a verdadeira realidade assente no mundo das ideias.

    Abraço fraterno
    Paulo Sérgio

  5. LISA

    ESTOU MARAVILHADA COM O TEXTO DO PAULO,NÃO SÓ PELA SUA PROFUNDIDADE,COMO PELA CLAREZA,E ENSINAMENTO QUE DELE TIRAMOS.
    DÁ UM ALERTA PARA O DESPERTAR DAS CONSCIÊNCIAS, QUE ESTÃO BASTANTE ADORMECIDAS.ACORDEM!
    OBRIGADA.
    LISA

  6. Paulo Sérgio

    Obrigado Lisa pelo seu reconhecimento e, especialmente, pela sua sensibilidade perspicaz perante o adormecimento de muitas consciências.

    Sem dúvida que precisamos de acordar, o homem vive numa letargia sujeita apenas à sua vidinha no plano horizontal, no dizer de Samael, estando pouco desperto para as realidades realmente importantes da vida, entrincheirando-se nas suas lutas pessoais solicitadas pelo ego numa competição desenfreada, entronizando o mais hábil na palavra ou o mais forte no confronto.

    Obrigado também Lisa pelo seu comentário de reforço, só denota que é alguém consciente dos graves problemas que teremos que ultrapassar, a fim de darmos sentido a tudo o que se empobreceu no percurso existencial do homem.

    Abraço fraterno
    Paulo Sérgio

  7. Paulo Sérgio

    Na sequência do meu penúltimo comentário, gostaria apenas de sublinhar um termo que nele empreguei e que pode suscitar algumas dúvidas: refiro-me à palavra automático, relacionada com uma definição esboçada que fiz acerca da Gnose.

    Claro que este conceito automático nada tem a ver com o automatismo mecânico, antes deve estar associado à expressão automáticamente directo ou direto (conforme as nacionalidades de quem nos lê), já que não deve haver qualquer tipo de filtragem em nossa mente que obstaculize o conhecimento intuitivo, paradigma da captação da verdadeira sabedoria por parte da Gnose.

    Todavia, não devemos olvidar a racionalização da ética de forma a obtermos a capacidade de nos libertarmos do erro, como sinónimo de más escolhas; a mente e o espírito deverão ter os mesmos fins, algo que não encontramos, na maior parte das vezes, nas ideias político-ideológicas ou religiosas fragmentárias, produto da personalidade que nos foi emprestada nesta encarnação, e não resultado da nossa consciência. Esta deve-se imiscuir no Logos ou raciocínio de Deus, no Verbo por Ele emitido.

    Assim sendo, torna-se crucial a expansão da nossa consciência na realidade envolvente no sentido de transformarmos a nossa mente racional, colocando-a ao serviço do amor incondicional. Somente a mente transformada numa consciência superior pode transformar o mundo à nossa volta. A segunda vinda de Cristo não será em pessoa mas através de uma renovada consciencialização dentro de nós, unindo o homem a Deus para que tenha o poder de perdoar e resgatar as sociedades.

    Se a arte pruduzida nos nossos dias não for gratificante e se apenas incutir aos nossos olhos e ouvidos horrores dos abismos disformes e desarmónicos, alimentando-nos o desespero, estaremos então na presença da anti-arte e nunca conseguiremos resgatar os homens voltados que estão, hoje em dia com mais acutilância, para um assombroso nihilismo (vazio sem sentido).

    O silêncio de Deus setrá feito pela mais sublime das musicalidades, pela temperança e simplicidade no vestuário e na alimentação, no procedimento regrado em nossas vidas, já que o medo e a ambição desmedida escravizam o homem à matéria.

    Lucros a curto prazo superam a nossa dedicação pelos demais, pelas gerações vindouras e pelas leis da Natureza. O darwinismo como vontade do mais forte seria o pressuposto lógico desta asserção, compartimentada numa competição desenfreada e numa luta sem quartel, como critário de seriação e exclusão que apenas faz sentido entre espécies que se orientam pelo medo e instinto de sobrevivência; na família humana ocorre, pelo contrário, comportamentos humanos de abnegação que frontalmente contrariam a lei do mais forte.

    Daí a necessidade de acabarmos com o raciocínio egoico que olha apenas para os seus interesses lucrativos e edificarmos uma civilização baseada na lógica imparcial, incrementando a conjugação da nossa mente, do nosso corpo e do nosso espírito com Deus, e expandindo uma nova consciência alicerçada num processo de razão imparcial, só assim aperfeiçoaremos a nossa própria consciência.

    Abraço fraternal
    Paulo Sérgio

    O silêncio

  8. LISA

    SILÊNCIO!

    Sei muito pouco sobre Gnose,sou apenas uma simples aprendiz,assim como em tudo na vida.Penso que o homem está sempre em evolução,por conseguinte em permanente aprendizagem.
    Concordo plenamente com o que o Paulo nos transmite,mas para mim,é muito difícil dissociar os sentimentos da mente, do espírito…veremos se me faço entender,se alguém me magoa,sou capaz de perdoar,mas não esqueço,embora me esforce.Portanto a minha mente está muito longe de ter uma uma consciência superior.
    Quanto à arte que se produz,a que o Paulo chama de anti-arte, e que nos faz alimentar o desespero,também o podemos aplicar a alguns programas de tv,que a toda a hora,nos fazem sentir o vazio a que chegámos, e a fase conturbada que estamos a atravessar.
    Um abraço fraterno.
    Lisa

  9. Paulo Sérgio

    Cara Lisa, todos somos aprendizes de obras e procedimentos mal ou benfazejos, seria conveniente que tivessemos sempre o condão de transformar para melhor o que deixámos de aprender e passámos a executar com maior ou menor mestria tudo aquilo que nos propusemos a realizar.

    Lisa se perdoa já deu um enorme paço a caminho de uma consciência mais elevada, sobre o esquecimento esse é outro assunto, mas se não guardar remorsos então está no bom caminho, era o ideal que todos deveriamos prosseguir de forma a pacificarmos realmente o meio humano que se entrecruza por nós, produziríamos assim muito menos karmas e ficaríamos livres de tanto sofrimento e dor inútil.

    Tem muita razão, sem dúvida a TV como tantos outros programas de entretenimento ou de distração, são mais de destruíção do que propriamente emissores de boa e saudável disposição, fruto como diz dos tempos conturbados que pairam nos dias de hoje.

    Um abraço fraterno
    Paulo Sérgio

  10. Paulo Sérgio

    Tem muita razão quem me alertou para um erro de ortografia no meu último comentário sobre os nossos passos evolutivos, claro que paço corresponde a um local de reunião ou de encontro relativo a uma entidade própria e passo no caso descrito, alusivo ao comentário precedente, refere-se a uma passagem gradativa de etapas deste nosso processo evolutivo numa encarnação específica.

    Todavia o conteúdo será sempre mais importante que a forma neste contexto de transformação interna ou de alquimização, sem nunca, contudo, negligenciarmos a forma como transmitimos esse mesmo conteúdo; obrigado, portanto, à pessoa que, na altura certa e sóbriamente, me pôs ao corrente do assunto descrito na perspectiva da sua transmissão escrita, corrigida no momento adequado.

    Não nos esqueçamos que a produção proveniente apenas da mente se não estiver em comunhão com o Espírito torna-se inútil ou até perversa, porque produto de uma elaboração meramente inteletual, isenta de uma contribuição ética que deve prevalecer em todos os propósitos humanos no intuito de nos beneficiar. Estaremos assim, no dizer de Samael Aun Weor, face a velhacos que debitam novidades ou brilhantes discursos sem o acompanhamento de uma moral que pugne por uma melhoria qualitativa de vida do nosso semelhante no plano vertical e, concomitantemente, da nossa própria elevação ao mesmo nível.

    A iniquidade é produto da desespiritualização crescente das sociedades de hoje em dia, cujos resultados traduzem-se em gritantes desníveis sociais e económicos motivados pela insensatez moral e responsáveis de tanta pobreza material e dos inúmeros conflitos belicistas. Chegou a hora da grande apostasia segundo Samael, da deserção das doutrinas dogmáticas que nos têm dominada durante décadas, promotoras de rivalidades egoicas que denigrem a Luz, paradigma da nossa consciência.

    Esta, neste novo período aquariano que estamos a percorrer, exige a união dos contrários, a harmonização dos opostos, pondo fim ás dualidades que nos têm encarcerado numa dicotomia que coloca o certo e o errado como superior ou inferior no relacionamento entre diferentes linguagens, que se devem complementar fora de um padrão único que as diferencia pela exclusão, através de uma visão parcelar e fragmentária.

    Abraço fraterno
    Paulo Sérgio

  11. LISA

    Concordo plenamente com o Paulo,quando diz que a produção proveniente da mente,deve estar em comunhão com o Espírito!
    Penso que tudo o que nos propomos fazer, deve ser sempre no intuito de nos valorizarmos,e valorizar o nosso semelhante,portanto mente,espírito ou alma,devem estar em sintonia,ou melhor harmonia.
    Quanto a discursos”bonitos” vazios de conteúdo,ocos,estamos fartos.Se este novo período aquariano,exige união e harmonização,então unamo-nos todos, não poupemos esforços,para sermos parte de novo Mundo,onde reine a fraternidade.
    Penso que já me excedi,o Paulo que me perdoe,mas fico sempre maravilhada com os seus textos,por conseguinte, perco-me ao encontrar-me!
    Um grande abraço.
    Lisa

  12. Anastácia Santos

    Encontrar alguém no nosso caminho que nos ajude a despretar a consciência para a procura de valores espirituais, que nos ajudem a compeender a necessidade de irmos iliminando os egos que nos impedem de ver para além do nosso úmbigo. Sou grata pelos ensinamentos Gnosticos que estou apreendendo.Um abraço fraterno.
    Anastácia

  13. Paulo Sérgio

    Sem dúvida Lisa, devemos apostar decididamente nesse esforço de nos melhorarmos internamente, a fim de renovarmos os meios sociais envolventes, já que somos responsáveis por tudo, pelas nossas escolhas, pelo nosso bem estar e pelo bem estar dos que nos circundam, a nossa responsabilidade é incomensurável, tão grande como grande também terá de ser a nossa correspondente consciência, e essa só se engrandece com uma auto-observação aturada, atenta em cada análise aprofundadada mim mesmo, revolucionando-me intimamente.

    Não podemos prescindir dessa auto-análise conscienciosa dos deveres para connosco, sujeitos que devem estar à fidelidade a nós mesmos. Sermos fieis a nós mesmos implica sermos sinceros nessa auto-análise e autênticos nas nossas decisões, não com a preocupação de agradar a terceiros mas no sentido de cumprirmos o que nos compete por decisão divina.

    Essa decisão transcendente é o Logos ou Verbo, raciocínio de Deus feito proposta exequível e determinante, responsável por cada Ser que se completa no encontro com a sua Essência. A Astrologia Espiritual ou Humanista tem essa missão, fazer encontar-nos com o que de mais recôndito existe dentro de nós, delineado antes da nossa maturação como seres corporizados numa existência física, num lugar próprio e em tempo préviamente estipulado.

    Fugir desta suprema orientação será desresponsabilizarmo-nos pelo que de mais honesto se encontra em nós, antecipadamente programada pela Inteligência Divina, Cósmica, pelo Logos incrustado em nós, como seres cósmicos que somos.

    Não esqueçamos isto, somos sempre responsáveis por tudo o que fazemos e dessa assunção de responsabilidades libertaremos a nossa Essência, engarrafada nas incosciências impositivas dos egos, corolário da insensatez que tem desnorteado os caminhos tortuosos de uma humanidade adormecida, sem consciência das suas mais altas responsabilidades.

    Abraço fraterno
    Paulo Sérgio

  14. Paulo Sérgio

    Há algo que talvez ainda não tenha gerado controversia, por enquanto aqui, mas que reputo de extrema importância: o conceito de não julgamento. Naturalmente que quando apreciamos uma música harmoniosa e preferimo-la a uma outra desarmónica, estamos a fazer uma apreciação à qualidade de ambas, considerando a primeira superior à segunda. Neste caso ajuizamos da contribuição positiva de uma em detrimento da inconveniência da outra. Na arte este postulado é evidente no que concerne à catalogação de uma obra.

    O mesmo já não se coloca em relação às averiguações que fazemos acerca de uma visão sobre qualquer assunto relacionado com preferências de alguém, atinentes a posturas ou escolhas de vida ligadas a uma pessoa em particular, dizendo elas apenas respeito a esse elemento individual único e portanto diferenciado dos demais.

    O apuramento da interpretação de um trabalho materialmente recebido pelos sentidos no plano sensorial do homem físico, depende da qualidade evolutiva deste mesmo sujeito, caso ele tenha tido uma preparação aprimorada interpretará de forma díspare daquele cuja formação revele distorções ao longo do seu crescimento educativo: um submeter-se-á a uma análise mais categorizada utilizando mecanismos metafísicos, outro bastar-lhe-á os 5 sentidos para vangloriar algo que não passa de um gosto mediático, frívolo e comercialmente popularizado, cujo simplismo reduz ao efémero o que se supôs ser produto de qualidade.

    Nem tudo o que brilha é ouro, e tal consideração é necessária perante múltiplas realizações ou práticas humanas, não esqueçamos o que dizia S. Paulo, também ele um gnóstico, face ás atitudes humanas: ” Tudo é possível mas nem tudo é conveniente”. Se podemos unir os opostos negando a dualidade entre critérios ideológicamente antípodas, devemos discernir o que nos parece mais sensato e conveniente para o nosso próprio percurso, aceitando o oposto sem nos identificarmos, no contexto das nossas preferências, com a sua adesão a princípios que nunca farão parte dos nossos pressupostos.

    Abraço fraterno
    Paulo Sérgio

  15. Paulo Sérgio

    Olá Anastácia Santos,

    Esse é o principal sentido da Gnose, a transformação íntima de nós próprios, através dos encontro onde partilhamos as nossas incertezas e reflexões a fim de encontrarmos o propósito crucial no mais recôndito do nosso âmago, este tem sido o método utilizado nos nossos Lumisiais, assim encontremos sempre as respostas às perguntas que temos feito através do trabalhado em cada sessão.

    Abraço fraterno
    Paulo Sérgio

  16. Paulo Sérgio

    Olá a todos/as

    Estamos quase a iniciar mais um ano de aulas e sessões de Gnose, aguardemos que tudo recomece com a normalidade que todos ambicionamos, a fim de prosseguirmos com o nosso propósito inicial: o trabalho interno, alquímico com vista à transformação individual e evolução interior, preparando novas bases de sustentação para o embate de um novo período de experiências renovadas ou continuadas de anos anteriores. Que assim seja para benefício dos intervenientes na sua tomada de consciência para renovados empreendimentos espirituais, notóriamente debelitados em épocas tão afastadas desse desiderato.

    Até lá, ao nosso próximo encontro, despeço-me com

    Abraço fraterno
    Paulo Sérgio

  17. Giovanni Targa

    Prezado Giordano,

    No ano que passou, por motivos profissionais não pude comparecer a este curso. Por gentileza, tão logo abra uma nova data para o curso de Runas, gostaria muito de participar.

    Um grande abraço
    GT

  18. Olá Giovanni,

    Então pode anotar aí; será no dia 27 de fevereiro, um domingo, durante o dia todo.

    Em breve vamos publicar um post sobre o curso, com todos os detalhes, e enviaremos por e-mail.

    Abraços.

  19. kathia rejane

    Gostaria de saber informaçoes do curso de runas e aonde vcs estao localizados. Abços

Deixe um Comentário