Bem-vindo a Sociedade Gnóstica Internacional

17 ago 2013

O Grande Farsante que se Disfarça de Gnóstico

É uma triste realidade, mas já está mais do que na hora de reconhecer que existe no gnosticismo um grande farsante e mentiroso que vem enganando a todos, pois finge ser gnóstico, mas está muito longe de sê-lo. Há muito tempo ele está infiltrado no gnosticismo, enganado a muitos estudantes sinceros, e não se incomoda em manipular os ensinamentos para seu benefício próprio.

Seu grande talento é a capacidade de se disfarçar de gnóstico, pois desta maneira escapa de ser identificado e expulso definitivamente, para que não mais continue trazendo tantos prejuízos. Por este motivo, e sem medo de nos equivocarmos, tomamos a decisão irrevogável de nos pronunciar de uma vez por todas a este respeito e revelar a identidade deste grande farsante que se disfarça de gnóstico.

O Grande Farsante que se Disfarça de GnósticoNão queremos com isso sugerir que somos os primeiros a descobrir e revelar a sua identidade. Outros já o denunciaram e muitos ainda o denunciarão, mas agora chegou a nossa vez de dizer realmente quem ele é e aonde ele se encontra.

Este farsante, que tanto mal já causou e continua causando à gnosis, não é outro senão o próprio ego, que sorrateiramente se infiltra em nosso espaço psicológico, esconde-se atrás de nossa personalidade, veste a máscara de gnóstico, e desta maneira comete os maiores absurdos em nome da própria gnosis.

Por mais estranho e absurdo que pareça, a verdade é que o ego possui a capacidade de se esconder até mesmo atrás dos ensinamentos gnósticos, os quais distorce sem nenhum pudor, converte em dogma, fanatiza e manipula para satisfazer seus prazeres mentais anormais. E assim, mantém a consciência num adormecimento ainda mais profundo do que ela mesma jamais poderia sonhar.

Entre os primeiros ensinamentos que recebemos quando começamos a estudar o gnosticismo está aquele que nos mostra o estado de adormecimento da consciência. Este estado é tão evidente que, ao sermos informados deste fato, a própria consciência imediatamente desperta e nos damos conta de que o ego, com toda a sua multiplicidade, é o responsável por este sono quase imperturbável que vivíamos.

Já neste primeiro despertar, o ego fica completamente nu diante de nós, absolutamente vulnerável sob os holofotes de nossa consciência desperta. Não somos mais os mesmos a partir deste precioso instante, pois somos tomados por uma disposição legítima no fundo de nossas consciências para erradicar de si própria a ignorância e a ilusão, que são as consequências da presença do ego em nós.

No entanto, a dura realidade é que o ego é um inimigo poderoso, robusto e ardiloso como o Seth egípcio, que não nasceu ontem, e vem sendo construído e alimentado por existências sucessivas. Ainda que o vejamos com inteira claridade meridiana, suas raízes são tão profundas e sua vontade de continuar existindo é tão grande, que seria ingenuidade cogitar sua dissolução imediata.

Flagrado e intimidado pela potente luz de nossa consciência, o ego busca refúgio no anonimato, da mesma forma como fazem os criminosos, os ratos e os covardes. Cedo ou tarde ele faz seu retorno, pois foi criado a partir das luzes do mundo, e a elas se sente continuamente atraído. Usando toda a sua astúcia ele se move para voltar a nos iludir e nos fazer sentir mais uma vez que nós somos ele.

E agora que experimentamos a gnosis e compreendemos qual é o nosso estado de consciência, o melhor disfarce que o ego pode usar para nos iludir e confundir mais uma vez a nossa verdadeira identidade é o próprio ensinamento gnóstico. Acostumado a viver entre as formas mentais ilusórias, entre expectativas impossíveis e a separatividade que nos afasta do Íntimo que habita o próximo, o ego passa a sepultar as ideias e os princípios do gnosticismo na mente e a modelar alguns traços da personalidade.

Em pouco tempo, cria imagens falsas do que é ser um “gnóstico verdadeiro”, do que é ser um Mestre, do que é o despertar da consciência, do que é a Magia Sexual e o Sacrifício pela Humanidade. E com isso não permite a vivência dos ensinamentos recebidos, já que os acumula na mente e os transforma em dogmas que os outros devem seguir, e não ele mesmo.

Neste momento o disfarce está completo. O ego está completamente travestido de gnóstico. Sabe na ponta da língua um amplo conjunto de frases marcantes, mesmo que desconheça seu significado. Buscando adaptar-se às falsas imagens que criou a partir do ensinamento gnóstico, molda certos traços da personalidade para se comportar segundo o que acredita ser importante: não come mais carne de porco e não escuta música profana.

Mesmo aparentando ser um gnóstico autêntico, dedicado, humilde, fiel à sua doutrina e aos seus Mestres, a crua realidade dos fatos é que o ensinamento recebido está sendo manipulado pelo ego, e este farsante infiltrado e disfarçado de gnóstico, cedo ou tarde, mostrará um a um os seus vícios. E todos à sua volta os verão, menos ele mesmo, pois o delinquente que se acredita virtuoso não vê utilidade na auto-crítica.

Sua inveja o fará olhar com desconfiança para o fruto do trabalho de seus irmãos. Seu orgulho bloqueará sua capacidade reflexiva e o levará ao desprezo daquilo que é diferente de seus próprios conceitos. Sua ira o levará à crítica, à difamação e à calúnia. Sua preguiça preferirá condenar o intelecto a ter que usá-lo para entender o ponto de vista alheio. Seu medo o manterá no anonimato.

Enfim, este é o triste retrato do ego, o grande farsante que se disfarça de gnóstico. Qualquer pessoa está sujeita a ser enganada desta forma pelos elementos psíquicos que carrega em seu próprio interior, e certamente não é uma tarefa nada fácil escapar desta armadilha de fantasia e ilusão. Jamais seremos verdadeiramente livres enquanto a nossa identidade for a nossa prisão.

É preciso uma boa dose de sinceridade consigo mesmo e de vontade consciente para arrancar o disfarce do farsante e aceitar definitivamente que a realidade não corresponde aos sonhos, mesmo que estes sejam sonhos gnósticos. Mas, para que isso aconteça, faz-se necessário abandonar o péssimo hábito de acusar aos demais e de tentar encontrar nos outros aquilo que se carrega dentro de si mesmo.

35 Respostas

  1. Dioniso

    Há dez anos atrás conheci alguns desses seletos gnósticos e hoje em dia sou traumatizado com esoterismo por causa deles. Acredito que se encaixam bem nas críticas feitas nesse post. Resumindo, fui severamente julgado por ser escravo do ego, mago negro… Meus amigos foram julgados, me trataram como um condenado sem dignidade, sem respeito…

    Bem, o que percebi era uma grande tendência a identificar nos outros os defeitos do ego, esse olhar para fora e essa necessidade de julgar como se isso fosse uma grande característica do próprio movimento. Percebi outrossim, uma necessidade de estar acima das pessoas… Acho que se uma pessoa é sectária de algo como a gnose, ela deveria ser mais como “Cristo”, mais generosa, compreensiva e amorosa, sem fazer julgamentos, porque afinal de contas o que importa é sua própria libertação, algo individualista, não é verdade? E não cuidar da “condenação” alheia.

    Hoje em dia, apesar do trauma, tenho uma admiração pela gnose e o esoterismo profundo e ainda sigo muitos ensinamentos. Mas acredito, ao contrário de vocês, que o ego é burro e que pode ser facilmente desbancado, destronado, não o vejo como esse monstro implacável.

    Acho também que o problema desses gnósticos “aplicados” que conheci e com os quais cortei a amizade, que seus problemas sectários são o problema do sectarismo místico em toda a história, tendo como exemplo oposto extremo os relatos de Cristo e outros mestres como Platão, Sócrates, que se caracteriza pela dedicação à orientação marcada por uma belíssima e amorosa compreensão e amizade.

    Grande amplexo!

  2. Dionisio,

    É com tristeza que devemos reconhecer que muitos grupos gnósticos se comportam dessa forma.

    Como consequência negativa desta atitude, muitas pessoas não só acabam não compreendendo qual a essência da gnosis e a natureza da obra de Samael Aun Weor, como ainda saem com uma impressão negativa de ambos, quando não profundamente traumatizado.

    Entendo que você mostrou claramente outra grande consequência negativa deste comportamento, e por isso cito uma passagem de seu comentário: “…esse olhar para fora e essa necessidade de julgar como se isso fosse uma grande característica do próprio movimento.”

    Enxergo ainda a solução para este problema novamente em seus comentários: “…ela deveria ser mais como Cristo, mais generosa, compreensiva e amorosa, sem fazer julgamentos, porque afinal de contas o que importa é sua própria libertação… não cuidar da condenação alheia.”

    Muito obrigado pelo seu comentário :)

  3. Célia

    Na gnosis que faço parte ninguém julga ninguém, cada um faz seu estudo e trabalha sobre si de acordo com seu tempo, seu limite e sendo expontâneos.

  4. Oi Célia,

    As reflexões do artigo não estão direcionadas a um grupo em particular, mas pretendem retratar um fenômeno psíquico que pode acontecer com qualquer pessoa.

    Fico contente em saber que existe este grau de maturidade entre os gnósticos com os quais você convive.

    Grande abraço!

  5. Célia

    Sou de Campo Grande-MS, aqui tem 3 lumisiais e tem o Monastério Moria onde tem tb outro lumisial o Estela Maris, eu faço parte do primeiro lumisial onde tudo começou aqui e ainda ajudou na construção do Monastério Moria. Somos da Ageacac e tem no Brasil muitos lumisiais em muitos estados e cidades. Em São Paulo tem muitos lumisiais. Os irmãos gnósticos são todos verdadeiros, sinceros, gente boa, posso dizer que os melhores parentes em uma grande família.

  6. Nousvate

    Olá Giordano, há muito tempo que nao nos falamos. Diante desse tema senti vontade de comentar. Tenho como realidade que o trabalho gnostico é particular, cada pessoa vive sua cruz. No entanto devo concordar com vc em algum ponto que devemos caçar, julgar e matar nosso ego.

  7. Nousvate

    Existem muitos gnósticos que nao sabem o que é ser um gnóstico, são apenas crentes.

  8. PERFEITO!

    “Em TODAS as escolas espiritualistas se fala mal do próximo e se discute como papagaios. Isto não está bem. Ninguém tem o direito de julgar a ninguém, porque nenhum homem é perfeito. Já nos deixou dito o Cristo: ‘Não julgueis para que não seja julgado’. ‘Com a vara que medires, sereis medido’, etc. Nós não temos o direito de criticar os defeitos alheios. A MURMURAÇÃO e a CALÚNIA tem enchido o mundo de dor e amargura.
    A CALÚNIA É PIOR QUE O ROUBO”.

    Samael Aun Weor, Os Mistérios Maiores , Capítulo 21 – Preparação Iniciática

  9. Oi Kleiton,

    Muito bem lembrado :) Este livro traz muitas orientações para os aspirantes à iniciação. Deveria ser melhor aproveitado pela comunidade gnóstica, já que é (eu pelo menos assim o considero) a “zerésima” edição de nossa Liturgia :)

    Abraços querido irmão!

  10. Luciane

    Olá Giordano,

    Parabéns por seu artigo inspirador.

    Nele percebi quantas vezes não caímos na lábia desse verdadeiro farsante do gnoscistismo? Em vez de apontar para o farsante alheio ignorávamos o pior de todos. Quantas vezes esse meliante do verdadeiro Movimento Gnóstico nos iludiu afirmando que só Samael salva, afirmando que seremos meros intelectualóides se realmente estudarmos a obra de Samael Aun Weor e a praticarmos?

    Por que aceitamos a falácia retrograda e dogmática do falsário, que não podemos ler ou compreender a obra de outros autores mesmo que de autores controverso, mesmo que esses autores possam permitir uma melhor compreensão dos ensinamentos gnósticos? Porque adotamos sua intolerância e não percebemos que não importa a corrente mística, esotérica que se viva para alcançar o autoconhecimento e iluminação, mas sim a prática dos 3 fatores, independente de corrente?

    Por que o EGO, o verdadeiro falsário se enfurece quando todo buscador sincero deslumbra e alcança os Tesouros da Luz.

  11. Oi Lu,

    Realmente este farsante divorcia as pessoas da Tradição que precede, embasa e justifica a própria doutrina gnóstica de Samael Aun Weor, e com isso não só dificulta em muitos casos a sua prática como ainda gera uma rivalidade ilusória com outras Religiões e os Mestres do passado.

    Abraços Fraternos!

  12. Ricardo Tavares

    Olá Giordano

    Muito inspirador e profundo esse teu texto. Faz pensar no quanto o Ego nos prejudica e a nossos irmãos também…. Se formos imaginar todas as coisas ruins desse planeta, veremos que o caráter egóico sempre se faz presente nas mazelas todas…

    Grande abraço!

    Obs.: Saudades dos Hangouts pelo youtube….

  13. Excelente artigo!

    Os egos se escondem por trás das mais lindas facetas e só com muito trabalho interno conseguimos aos poucos lidar com eles. Na minha experiência íntima, tenho percebido que tudo o que me afasta ou separa do outro está ligado a um ego, esse exercício tem me ajudado bastante. Se olhamos compassivamente para o outro, não o julgamos nem criticamos.

    O que importa é viver a gnosis, independente de ter esse rótulo ou qualquer outro. De nada adianta absorver intelectualmente os ensinamentos e usá-los para ferir o próximo…

    Abraços a todos.

    (e eu superapoio a volta dos hangouts! o/ hehehe)

  14. Falou e disse:

    “De nada adianta absorver intelectualmente os ensinamentos e usá-los para ferir o próximo…”

    Esta é a diferença entre “viver a gnosis” e “matar a gnosis”… E às vezes “matar o próximo” com calúnias e falsas acusações, especialmente quando são feitas por ANÔNIMOS.

    Abraços querida Irmã!

  15. Giovanni targa

    Buenas,…excelente o artigo, e se encaixa para qualquer religião ou doutrina…Quando da minha fase espírita, vivenciei muito isso…Há um livro “Aconteceu na Casa Espírita”,…que fala muito sobre isso e cabe a tudas as situações…E também apoio a Olivia,…Let´s have back the hangouts!!! Abraços!!!

  16. Buenas Giovanni,

    Obrigado pelas palavras e pela sugestão de leitura!

    E o retorno dos Hanguts, se não me engano, está previsto para o dia 1° de setembro :)

    Abraços!!!

  17. Fernando

    Captou uma realidade delicada hein?! Estou presenciando crises deste tipo, dentro e fora, é doloroso.
    grato por suas reflexões!

  18. Sandro

    Quando eu li sobre farsantes, eu pensei que iam falar do Nousvate, kkkkk esse é um farsante que se diz mestre gnóstico.

  19. Pan Veritrax

    Hail!!!

    Excelente artigo!

    Já estava mesmo na hora de alguém apontar com propriedade o verdadeiro “infiltrado” em nossas fileiras gnósticas… =)

    Abrax.’.

    L. L. L. L.

    Pan

  20. Em 2013, fiz um Curso para Iniciante Gnosis, em Osasco, pela AGEACAC, foi muito proveitoso, compareci a todas as aulas, sacrifício fiz. Mas infelizmente no final, ao passar para a Segunda Câmara, surgiu o Maldito do Ego. Os donos do Mundo, “aqueles que acham quem pode, quem não pode ir pro céu”,quem é pecador, quem é santo. Resolveram impedir-me de prosseguir, nos Estudos Gnósticos por conta da minha Preferência Sexual sou HOMOSSEXUAL GRAÇAS A D’US. Hoje, muito triste eu estou. Mas Graças a D’us, existe o Curso Online.Onde posso pesquisar, aprender muita coisa boa que o Conhecimento Gnóstico me proporciona, abem da minha Revolução Humana. Muito obrigado por permitir minha manifestação, espero não ter causado nenhum mal-estar. Minha Evolução Espiritual, Moral, Social, começa a partir do meu interior. ” se um ovo trinca por fora, o resultado é morte. Se um ovo trinca por dentro o resultado é vida!

  21. Fábio aurélio Gonçalves

    Sou estudante gnóstico,tenho trilhado esta senda há aproximadamente 14 anos,muitas,muitas dificuldades, muito trabalho intimo,tropeços e equívocos não faltaram,porem a chama intima jamais se apagou. Assim… o bendito amor a piedade e misericórdia de minha amada Mãe divina conduziram – me até este momento e assim o será até o fim, a entrega é incondicional.Então… Apenas recentemente me foi concedida a bendita graça de encontrar Ana Paula hoje minha esposa ,e então sai do sul de minas pra morar aqui em são josé dos pinhais… Sou um homem de pouca cultura então tenho alguma dificuldade de encontrar trabalho que possa conciliar com o trabalho intimo.espero não estar sendo inconveniente,mas se puderem me ajudar… (o que necessito é trabalho)
    Grato

  22. Isa

    Olá

    Gostaria de um esclarecimento: os ensinamentos da escola RosaCruz Áurea reforçam a Gnosis de Samael Aun Weor ou seriam contraditórios em algum ponto? O que Samael fala desta instituição?

  23. Olá Isa,

    Os ensinamentos da Rosacruz Áurea não reforçam a Gnosis de Samael Aun Weor.

    Ambos são gnósticos, mas são duas formas distintas de apresentar o caminho da Gnosis.

    Mesmo assim, não diria que existam pontos contraditórios, há que se entender a diferença de linguagem e que toda forma doutrinária possui suas limitações.

    Samael Aun Weor não menciona esta instituição nem seus fundadores e líderes em seus livros e conferências.

    Abraços Fraternos!

  24. francisca

    me gustaria saber si en la ciudad de Bage Rio Grande del sul hay un lumisial gnostico gracias

  25. Dagomar Moreira

    Francisca,paz inverencial!No rio grande do sul existem lumisiais gnósticos nas seguintes cidades: Porto Alegre lumisial Urano do Iga, e lumisial Orifiel da Ageacac,Canoas lumisial Uriel,São Leopoldo lumisial Paracelso,Campo Bom -sophia,Caxias do sul- Tonatiw,Sapiranga- Donun Dey,Novo hamburgo- Sarasvaty,Pelotas- Tahuíl- Santa Maria- Kalusuanga,Rio Grande- Melkisedeck,Gravataí- Devi kundalini,Passo Fundo- Netcshá, Parobé não recordo o nome,Sapucaia do sul tem dois um do iga e outro Samael-Lákhsmi,Taquara tbm não sei o nome mas tem são estes que eu saiba no sul. espero ter Ajudado um forte abraço.Dago

  26. Luiz Carlos de Barros

    Saudações,

    Não consigo ler o artigo sem imaginar o próprio espelho. Como nossos dedos ainda disparam para todos os lados e não acertam o alvo… como as palavras se perdem, miseravelmente.

Deixe um Comentário