Bem-vindo a Sociedade Gnóstica Internacional

28 dez 2010

Lendas de Lobisomens e Estados Jinas

As criaturas fantásticas que habitam o universo das obras de ficção geralmente surgem de tradições antigas, mantidas entre os povos com o objetivo de proteger seus membros de perigos naturais e sobrenaturais. Por trás do terror que caracteriza tais lendas, em especial a dos lobisomens, podemos encontrar um fenômeno mágico, conhecido pelo nome de ciência Jinas.

Os lobisomens são figuras folclóricas e mitológicas descritas como seres humanos que possuem a capacidade de se transformar em um híbrido de homem e lobo. Seriam possuidores de poderes sobre-humanos, ou simplesmente humanos com aspecto de lobo dotados das faculdades naturais do animal, como visão e audição apuradas, agilidade de movimento, ferocidade e força.

Nas páginas da ficção moderna, é muito frequente que esta transformação ocorra com todo aquele que tenha sido mordido ou até mesmo ferido por outro lobisomem.

Mas as antigas tradições apontam que esta capacidade estaria relacionada a um tipo especial de iniciação, na qual o neófito beberia um líquido especial e recitaria palavras de poder, para assim adquirir a habilidade de se transformar em animal.

A primeira história de lobisomens é contada durante o Banquete de Trimalquião, evento narrado na obra Satíricon, do escritor romano Petrônio.

Se os gregos foram os primeiros a registrar a existência dos lobisomens, foi na Europa Ocidental e Central que as lendas se espalharam com maior intensidade, especialmente durante a Idade Média.

Contudo, é interessante notar que em todas as partes do mundo são comuns histórias sobre pessoas que se transformam em criaturas animalescas e sobrehumanas, conforme afirma o filósofo e professor de história das religiões Mircea Eliade em seu livro Ritos e Símbolos de Iniciação.

Leia ainda:

O Gato Preto e as Bruxas
A Magia Astral do Gato Preto
O Bruxo Carlos Castañeda
Anunnaki: Aqueles Que Desceram dos Céus
Os Deuses Astronautas de Ridley Scott

Por toda a América do Sul existem narrativas de uma forma muito comum de Teriantropia – metamorfose de humanos em animais – conhecida com o nome de Nagualismo. Esta tradição religiosa sustenta que humanos podem facilmente se transformar em qualquer animal, desde os mais simples como cachorros e burros, até os mais ferozes, como jaguares e pumas.

Os praticantes desta religião eram chamados Naguais, mas nos dias de hoje, no México, recebem o nome de bruxos. A população teme estes bruxos, que à noite se transformam em toda espécie de animais noturnos para atacar seus inimigos e roubar seus pertences. Em épocas mais antigas, os Naguais eram figuras que mereciam a veneração do povo.

Vistos como autênticos sacerdotes divinos, eram capazes de se deslocar pelas dimensões superiores do espaço, encurtando tempo e distância, para proteger, curar e abençoar. Estas maravilhas era possíveis graças ao domínio dos Estados Jinas ou Ciência Jinas, a habilidade de colocar o corpo físico na quarta dimensão.

Uma das técnicas ensinadas por Samael Aun Weor para alcançar este estado consiste em assumir voluntariamente a forma de um animal durante a meditação, no exato momento de transição entre a vigília e o sono. Desta maneira seria possível fazer o corpo penetrar na região etérica, e ainda continuar sendo visível e tangível do ponto de vista tridimensional.

Uma vez atingido tal estado de eterização do corpo físico, este se tornaria absolutamente plástico, podendo assumir à vontade as mais variadas formas. Além disso, o corpo estaria acima de muitas das leis físicas e químicas que regem o mundo material, o que desde o ponto de vista deste mundo o transformaria em um instrumento poderoso, de capacidades praticamente ilimitadas.

Desta forma, ao removermos conscientemente todo o terro fantástico que há séculos vem sendo associado aos lobisomens e outros personagens mitológicos e folclóricos, como também são os vampiros e as bruxas, torna-se fácil compreender que tais criaturas seriam representações de autênticos Mestres da Ciência Jinas.

5 Respostas

  1. José Eduardo

    … estado semelhante ao qual Castanheda se encontrava quando narra o salto no precipício.

  2. Mauro Miranda

    Assim tem sido desde tempos imemoriais àqueles que têm se dedicado a eliminar a si mesmos, como os Hwarangues, que unificaram seu país em 576 ac, e tantos outros guerreiros que precisaram, em suas batalhas, utilizarem tais recursos para defenderem os seus ou a si mesmos.

    Ao que experimentaram “Senosan Gorora Goberdum”

  3. eleize

    Felicitações…Mauro Miranda vc experimentou esse mantra deu certo?Nõ pergunto meramente por curiosdade mas gostaria de saber sobre alguem que já tenha experimentado ese mantra e o mantra invia…partilar experiencias…

  4. Ninguém da Silva

    O V.M.S. especifica claramente que os lobisomens são mestres tenebrosos da ciência jinas.

Deixe um Comentário