Bem-vindo a Sociedade Gnóstica Internacional

12 abr 2012

Anunnaki: Aqueles Que Desceram dos Céus

Com todo progresso industrial e tecnológico conquistado nas últimas décadas, é muito natural que o ser humano considere a si próprio, definitivamente, como uma espécie de senhor da natureza. No entanto, teorias baseadas em antigas lendas mesopotâmicas sugerem que somos nada mais do que seres criados geneticamente por civilizações alienígenas mais avançadas, com o único propósito de servir como escravos.

A lenda babilônica que conta a criação do mundo é chamada Enuma Elish, e foi descoberta em 1849 pelo arqueólogo britânico Austen Henry Layard, enquanto procurava pelas ruínas da Biblioteca de Assurbanipal em Nínive (atual Mosul, Iraque), e publicado por George Smith em 1876. Ela conta como os seres humanos foram criados por uma raça de seres extraterrestres chamada Anunnaki.

Nos textos antigos da Suméria existem descrições de seres que desceram dos céus em veículos voadores e que se chamavam Anunnaki, palavra que significa “aqueles que vieram dos céus”. As descrições, imagens, estátuas e gravações destes seres os mostram trajados como se fossem viajantes espaciais modernos, alguns usando relógios de pulso, botas e até mesmo capacetes.

Mas o mais interessante é que os Anunnaki são representados com asas, e são frequentemente retratados flutuando acima de todas as pessoas comuns. De acordo com a teoria do astronauta antigo, cujas bases foi popularizada por Erich von Däniken, estes seres eram viajantes espaciais que visitaram a Terra num passado remoto.

Em 1976, o autor Zecharia Sitchin publicou suas próprias traduções dos textos sumérios em uma série de livros intitulada Crônicas da Terra. De acordo com Sitchin, as tábuas de argila descrevem uma raça alienígena conhecida como os Anunnaki, que vieram à Terra com o objetivo de extrair ouro e levar para Nibiru, seu planeta de origem.

Na interpretação oferecida por Sitchin sobre a cosmologia suméria, Nibiru segue uma órbita elíptica e demorada, atravessando nosso sistema solar a cada 3.600 anos. Num passado remoto, Nibiru teria colidido catastroficamente com Tiamat, um planeta que estaria localizado em nosso sistema solar entre Marte e Júpiter.

Leia ainda:

Os Extraterrestres Invadiram a Escócia? (Documentário)
Os Sete Sinais do Apocalipse (Documentário)
O Olho de Hórus (Documentário)
A Cidade Perdida de Atlântida (Documentário)

Para Sitchin, esta colisão teria formado o nosso planeta Terra e a peculiar geografia antiga da Terra, decorrente da acomodação após a colisão celeste que posicionou continentes sólidos de um lado e um oceano gigantesco do outro, seria um forte indício desta colisão cósmica. Como Nibiru permaneceu praticamente intacto, e a Terra formou-se muito depois a partir dos destroços de Tiamat, os Anunnaki evoluíram muito em comparação com as raças humanoides aqui presentes.

O único prejuízo de Nibiru teria sido em sua atmosfera, a qual desde então passou a precisar, por algum motivo obscuro, de ouro. De acordo com as interpretações de Sitchin, através de seus equipamentos de tecnologia avançada, os Anunnaki foram capazes de identificar abundância de ouro no planeta Terra. Ao chegarem aqui, acabaram se deparando com uma quantidade incrível do precioso metal, mas não tinham mão de obra suficiente para tantos recursos disponíveis.

No texto conhecido como Epopeia de Atra-Hasis, a versão suméria do dilúvio universal, é narrado que os Anunnaki empregaram o povo chamado Igigi para realizar o trabalho de extração do ouro, mas que após 40 dias de esforço penoso os Igigi se rebelaram e forçaram os Annunaki a criarem os seres humanos para que trabalhassem para eles como escravos.

Os Anunnaki vasculharam o planeta e encontraram um animal que hoje conhecemos pelo nome de homo erectus, uma espécie extinta de hominídeo que viveu entre 1,8 milhões de anos e 300 mil anos atrás, e os alteraram geneticamente, já que não acreditavam que aqueles seres tão primitivos seria capaz de obedecê-los.

As teorias dizem que os Anunnakis tomaram uma única célula de um de nossos ancestrais e modificaram seu código genético, algo que a ciência moderna é capaz de fazer hoje com relativa facilidade. Para os próprios sumérios, os Anunnaki desceram dos céus como verdadeiros deuses e os criaram para que servissem como meros escravos.

Querendo criar um trabalhador primitivo que substituísse os Igigi na tarefa de mineração do ouro, os Anunnaki acabaram dando origem, há cerca de 450 mil anos atrás, ao primeiro ser humano moderno, o primeiro homo sapiens, misturando seu próprio DNA com o do homem pré-histórico. Esta nova criatura foi chamada de Adamu, e a semelhança deste nome com o de Adão não pode sere desprezada.

O paralelo que muitos estabelecem entre os mitos hebraicos e sumérios da criação do homem nos convida a pensar que os personagens do Gênesis, os míticos Adão e Eva, teriam sido os primeiros seres humanos criados pelos Anunnaki a partir da modificação genética. E comparações mais próximas entre a bíblia hebraica e os textos sumérios revelam ainda outras semelhanças.

Outro indício das expedições mineradoras dos Anunnaki pode ser encontrado na África do Sul, onde algumas escavalções datam de cerca de 150 mil anos atrás em áreas onde hoje existe abundância de ouro. Mais que isso, algumas culturas africanas acreditam que visitantes das estrelas estiveram no planeta Terra para extrair ouro e outros recursos naturais.

Para muitos pesquisadores, do outro lado do Atlântico também é possível encontrar sinais muito claros de mineração alienígena em tempos remotos no continente americano. É sabido que na terra onde hoje é o Peru, o ouro sempre existiu em abundância, o que despertou a ganância dos espanhóis que vieram à estas terras para impor suas crenças e saquear as riquezas locais.

Em várias áreas andinas é possível encontrar evidências de antigas escavações mineradoras, e mesmo que o ouro seja um material muito fácil de ser extraído da natureza, algumas destas escavações têm centenas de metros de profundidade.

Também localizadas no Peru estão as famosas linhas de Nazca, formações artificialmente criadas que continuam sendo um mistério, especialmente porque próximo à elas existem grandes escavações que parecem ter sido iniciadas há centenas de séculos atrás. Esta é uma área onde topos de montanhas foram arrancados, algo que não se faz a não ser com instrumentos de mineração sofisticados, o que é muito improvável para a humanidade de milênios atrás.

Há quem acredite que a região onde se encontram as linhas de Nazca seja uma espécie de sinalização para mineradores alienígenas, já que ali pode ser encontrada uma amostra de todos os recursos minerais que o planeta tem a oferecer aos seus exploradores. Além disso, as linhas funcionariam como um instrumento de localização para os viajantes estrelares.

Misteriosos também são os motivos pelos quais os alienígenas Anunnaki não são mais encontrados por aqui, já que ainda existe em nosso planeta uma grande quantidade de ouro a ser explorada. Alguns acreditam que o desequilíbrio atmosférico de Nibiru foi sanado com a intensa mineração realizada ao longo de cerca de centenas de séculos. Já a instituição de monarquias divinas em diversas civilizações antigas pode sugerir que o equilíbrio foi temporário, e que num futuro próximo os Anunnaki retornarão para dar sequência à exploração.

Outras hipótese afirma que o desaparecimento dos Anunnaki se deve a uma guerra entre facções de alienígenas, quando foram usadas poderosas armas nucleares que resultaram em uma radioatividade insuportável e destruidora, descrita pela mitologia suméria como o “vento maligno”, que teria devastado a cidade de Ur por volta do ano 2.000 a.C.

Contudo, mais audaciosas seriam as teorias de que os Anunnaki permanecem até os dias de hoje em nosso planeta, escondidos em montanhas ou no fundo dos oceanos. Prova disso seriam os constantes avistamentos de naves espaciais saindo de oceanos, mares e lagos, evidenciando que os Anunnaki, aqueles que desceram dos céus, jamais abandonaram sua preciosa colônia de mineração.

25 Respostas

  1. Boa pergunta Luiz.

    Muitos consideram que continuam a minerar no interior da Terra, e não precisam manter contato conosco. Outros sugerem que eles temem um contato com os seres humanos, que para eles ainda parecem ser tão selvagens como há milênios, apesar de todo o avanço tecnológico alcançado.

    Abraços.

  2. MarceloS

    Enki e Enlil jogaram com o destino da terra, apos tantas guerras…. temos conseguido talvez alguma coisa, mais a “CONFRARIA DA SERPENTE” foi perturbada, malditos usurpadores, a única herança dos Lulus e mestiços foi roubada e dada a poucos bandidos, como se eles um dia conseguissem obter o total poder que tanto desejam.

    O conhecimento esta crescendo naturalmente nos que realmente são dignos (os Índigos e Cristais estão ai para isso ), enquanto aqueles que hoje não são e tem as instruções não conseguem usá-las para nada…..

    Não se preocupem, talvez se não nessa geração mas não demora para que isso tudo venha a tona 100%.

    “Annuit Coeptis Humanae Libertas”.

  3. Quem quiser entender o que o MarceloS está falando vai ter que ler os livros do Zecharia Sitchin, mas cuidado pra não levar tão à sério as inúmeras teorias da conspiração que estão espalhadas pela internet.

  4. ESDRAS FELICIO

    Porque será que os NIBIRUANOS estão ocultos? Com tanto conhecimento, não teriam eles uma idéia para se apresentarem finalmente à nós criaturas da terra? Teriam eles algum mêdo, ou receio de suas criaturas?
    Teriam eles ainda a idéia de usar nossa raça como mineradores novamente, e precisam se apresentar com aparência de PODER e domínio outra vez? Caso a idéia seja esta, a de nos fazer de SERVIÇAIS, podem se preparar para um ARMAGEDOM, pois DOMÍNIO sobre nós, JAMAIS ! HITLER e seus asseclas tentaram… deu no que deu. E NEM ERAM NIBIRUANOS. Se vierem à se revelar como amigos, sejam bem vindos. Caso contrário, podem ir pegando suas naves exóticas e procurarem outro planeta pra fazer mais um adão e outra eva. AQUI NÃO.

  5. anne

    você esta me falando que estes seres criaram a especie humana.E quem os criaram,foi o acaso?

  6. anne,

    Antes de mais nada, leia bem o que está escrito ainda no começo do texto: “…TEORIAS baseadas em antigas LENDAS mesopotâmicas SUGEREM…”

    Se quiser se aprofundar na forma como o esoterismo concebe a criação do homem, busque pela Doutrina Secreta, de Helena Blavatsky, ou ainda o Conceito Rosacruz do Cosmos, de Max Heindel.

    Bons estudos :)

  7. Salim Kairalla

    Querido Giordano Cimadon,

    Com todo o respeito que tenho pela sua pessoa, sei que é um homem serio e que como gnóstico tem uma tremenda responsabilidade de transmitir um conhecimento de forma objetiva e integral por esse motivo e razão me direciona a sua pessoa para que me ajude a entender os seguintes fundamentos da razão e duvidas que tenho.

    Já algum tempo tenho estuda a fundo a civilização sumeriana e os grandes investigadores e antropólogos como Zecharia Sitchin, David Parcerisa e outros mais que tanto tem falado e estudado os os anunakis e a civilização siberiana para mim é motivo de estudo e investigação, mas o que me tem deixado confuso e que dentro dos estudos gnósticos e principalmente o mestre Samael fala muito ou quase nada sobre esse assunto, dentro da antropologia gnóstica se fala muito sobre as raças e sub-raças, a futura raça koradi etc…

    Mas o que tem me complexado e que não tenho conseguido criar um nexo, um entendimento dentro do contexto antropológico gnóstico. Porque não se fala, não se estuda, não e de acesso essa raça ou essa civilização dentro dos contextos gnósticos? Se eles existem será que é a minha pessoa que não tem buscado nas fontes corretas? Onde é que se encacha dentre das raças que já existiram a civilização sumeriana?

    A questão das transformações genéticas que foram feitas até que tenho tentado entender, na gnoses se fala muito sobre o kundartiguador, do cometa condor que se chocou com a terra das transformações genéticas das comitivas vinda a terra por Sakaki, Loisos, dos lemurianos e da sua queda.

    Só gostaria de encontrar dentro dos estudos gnósticos e investigar a ligação desta raça sobre o foco da mistica e da religião se me entende. Será que não estou buscando na fonte correta? Se a sua pessoa puder me dar uma orientação me explicar,me indicar como devo proceder para ter uma correta e objetiva compreensão.

    Agradeço muito por qualquer orientação.

    Paz Inverencial.

    Salim Yule Kairalla

  8. Querido Salim…

    …e querida Fernanda, que me solicitou o mesmo por outros meios,

    Estou profundamente agradecido pela pergunta realizada. Considero que ela seja de suma importância, já que as teorias de Zecharia Sitchin têm conquistado cada vez mais a simpatia do público. E como somos estudantes da antropologia gnóstica, é muito natural que uma hora ou outra buscássemos compreender quais as relações entre as duas perspectivas que, à princípio, parecem ser distintas.

    Considero também que a pergunta carregue em si mesma um potencial muito grande de polêmica, e por este motivo demorei tanto tempo para respondê-la de maneira apropriada e com a devida atenção. Nossa abordagem desta questão é muito diferente daquela adotada por certas correntes mais inflexíveis e literalistas do gnosticismo atual, e então já fica avisado o leitor de que poderá não encontrar abaixo uma confirmação de suas expectativas, mas sim uma análise independente e profunda do assunto.

    Antes de mais nada, como estamos falando em esoterismo e não em conhecimento que é construído através do método científico, recordemos que um dos elementos básicos de toda doutrina esotérica são as alegorias. É através delas que os Mestres tornam compreensíveis para a mente humana não só os ensinamentos que nos entregam e que são provenientes do mais alto (como fez Jesus na Pistis Sophia), mas também os eventos genésicos e apocalípticos do cosmos e do homem, ou seja, referentes ao início e ao fim dos tempos e aos mistérios da vida e da morte.

    Alegorias são veículos da VERDADE, e não “a” verdade em si mesma. Uma alegoria não é uma descrição absolutamente factual ou histórica d um evento, mas uma narrativa simbólica que contém um ensinamento. Nos tempos antigos costumava-se chamar este recurso de narratio fabulosa. Segundo os antigos filósofos neoplatônicos da antiguidade clássica e da era medieval, a natureza não gosta de ver-se nua diante de olhares vulgares. E para não desagradá-la, eles empregavam alegorias. Fizeram o mesmo os antigos gnósticos, os teósofos, os rosacruzes, os maçons e também os fundadores de todas as religiões. Desta forma o esoterismo, assim como as religiões – mas diferentemente da ciência – está cheio de alegorias.

    E assim compreendemos porque as narrativas mitológicas dos livros sagrados de todas as religiões descrevem a origem do universo e seu fim (pois os ciclos cósmicos são também elementos que fundamentam o esoterismo) através de alegorias. E as escolas esotéricas que derivaram seus ensinamentos destas escolas também empregam alegorias. Com base nestas reflexões, tenho entendido que as diversas narrativas empregadas por Helena Blavatsky, G. I. Gurdjieff, Jorge Adoum e Zecharia Sitchin, entre outros, não são descrições absolutamente factuais, mas narrativas alegóricas que contêm, em alguns casos mais (Adoum e Sitchin) e em outros menos (Gurdjieff e Blavatsky), elementos considerados científicos, extraídos da antropologia, da arqueologia e da astronomia.

    Mesmo que estes Mestres acima citados tenham conhecido diretamente os eventos de um passado remoto através de suas faculdades psíquicas superiores, precisam utilizar elementos alegóricos para transmitir as informações acessadas. Lembremos que eles não são cientistas (como se costuma entender atualmente o que é um cientista), mas sim esoteristas. Então, suas obras não podem ser encaradas como tratados científicos, e sim, esotéricos, e portanto, repletos de alegorias, símbolos e metáforas que carregam a VERDADE.

    No caso de Zecharia Sitchin talvez seja mais difícil compreender esse ponto, já que ele agrega elementos arqueológicos e cosmológicos à uma interpretação da mitologia suméria. Mais que isso, ele não se apresenta como um esoterista, mas sim como um cientista. Passa assim ao leitor uma ideia de que está narrando acontecimentos factuais, o que não é real. Suas descrições são fundamentadas, em primeiro lugar, em simbologias mitológicas sumerianas, o que as faz nunca terem deixado de ser, em essência, alegorias.

    E o mesmo vale para os arcanjos Sakaki e Loisos, ou para o órgão Kundartiguador. São alegorias que carregam uma VERDADE, mas não são descrições factuais. O próprio órgão Kundartiguador é uma peça alegórica extremamente útil para a compreensão íntima do trabalho alquímico e psicológico, mas não pode ser tomado literalmente. O mesmo pode ser dito a respeito das Rondas e Raças da Teosofia, que são elementos extremamente úteis para a compreensão do desenvolvimento do cosmos e dos propósitos da existência, mas não podem ser encaradas literalmente.

    Enfim, respondendo finalmente à questão do motivo pelo qual nos estudos gnósticos não se fala a respeito dos Anunnakis e da cosmologia sumeriana interpretada por Sitchin, isso simplesmente se deve ao fato de que Samael Aun Weor não teve acesso à essa teoria para fazer uso dela e assim transmitir a VERDADE através de suas alegorias. O livro O Décimo-Segundo Planeta só foi lançado em 1976, o que nos leva a crer que Samael Aun Weor não conhecia a teoria. Ele o fez com as alegorias de Gurdjieff e, antes delas, as de Blavatsky, pois não só eram mais acessíveis, mas também eram mais conhecidas, facilitando assim seu trabalho.

    Sei que existem aqueles que preferem ler as alegorias narradas por Samael Aun Weor e acreditar que tudo aquilo aconteceu literalmente, mas mesmo à contragosto de muitos e expondo-nos ao escárnio que já se tornou um hábito, aqui expomos nossa visão a respeito da natureza alegórica de tais ensinamentos. Não ignifica os que estamos desqualificando, ou tratando-os como “mera alegoria”, pelo contrário… As alegorias são fundamentais, e confundi-las com fatos é o que realmente significa desqualificar os ensinamentos dos Mestres.

    Abraços Fraternos!

  9. Alvaro

    Um detalhe que nós humanos não tivemos ainda a capacidade de entender e que somos de uma insignificância tamanha para estes seres, que não existe nenhum motivo para que haja contatos. As vezes até se dão o prazer de recrear conosco fazendo agroglífos por exemplo, acho que se divertem muito, eu creio em suas existências.

  10. Alvaro

    Não temos muito que questionar a respeito disso ou daquilo,até que podemos, mas não chegaremos a lugar algum, pois somos seres ordinários, é o que vemos diariamente por esse “mundo de humanos”. “É CHEGADO A HORA”, pena que nosso tempo é outro, e esse processo não depende nada de nós. Existem pessoas que já estão preparadas para a transformação, mas são poucas, pouquíssimas.

  11. Alvaro

    RATIFICANDO..Um detalhe que nós humanos ainda não tivemos a capacidade de entender, é que somos uma insignificância para esses seres, e tb para o sistema galáctico. Assim sendo, não existe nenhum motivo para que haja contatos, somos desinteressantes do ponto de vista deles. Somos inócuo ou seja não somos capazes de alterar nada a ponto de prejuízo ao sistema galáctico como disse. Somos sim nocivos, maléficos, peçonhentos a nós mesmo, como escorpiões que se suicidam com o próprio veneno, estamos fazendo de tudo para o nosso extermínio., pobres humanos.. Mas está surgindo seres humanos com uma fantástica intelecção, uma minoria, mas que já pode estar sendo focada, quem sabe os escolhidos. É um processo lento de apuração.

  12. Rafael

    Olá, gostaria de fazer uma pergunta: quem são os Arcontes segundo a gnosis? Venho pesquisando essa teoria dos alienigenas antigos,conspirações,gnose,esoterismo,etc,a um tempo, até que encontrei os livros de David Icke, que apesar de parecer ter argumentos meio exagerados e sensacionalista,nem toda mitologia antiga tem que ser interpretada literalmente,mas sinto que lá no fundo,na raiz de todas as mitologias, há um fundo de verdade. Por que os homens,com a mente com natureza egoica desde o começo,dariam crédito a coisas fantásticas como as piramides do EEgito,a ”deuses imaginários?” Recomendo que veja essa série de vídeos:http://www.youtube.com/watch?v=ZFSoPemOmJY
    Enfim, depois de tanto pesquisar sobre conspirações e afins, cheguei a conclusão de que, existe sim uma conspiração para nos mantermos presos em uma espécie de matrix,tanto no nível financeiro,como assim dizer,quanto no nível espiritual.Você acha que os Arcontes podem ser os manipuladores dessa matrix?

  13. Marcílio

    De início, sou como vocês um buscador da verdade, o que faço desde meus 20 e poucos anos e já fiz 70 – a verdadeira religião está dentro de cada um. E, pelo que sei dos estudos de Zecharias Sitchin, bem como do David Icke, se os nibiruanos engendraram seu próprio DNA com os de habitantes primitivos da terra, por lógica consequência a evolução desses serem os transformaram no que é hoje a humanidade. Assim os anunakis do passado estão “escondidos” em nós mesmos – daí a teoria de os reptilianos se encontrarem mais puros nas classe dominantes, em especial na nobreza. Porém creio mais nos ensinamentos teosóficos segundo os quais a humanidade nasceu das próprias energias criadoras do universo, aqui representadas pelas 7 cores, 7 notas musicais, 7 sentidos, sete odores, sete sabores etc., tendo sua origem em níveis muito elevados de vibração e, gradativamente, caindo para vibrações mais densas e regressando, pela via evolutiva, às vibrações ou dimensões originais, desta vez com sabedoria. Também creio que, apesar de estamos tão atrasados neste planeta ao ponto de não nos relacionarmos com nenhuma civilização de um universo infinito, estamos sendo monitorados e protegidos, até certo nível, por civilizações superiores, sendo que a ausência de intercâmbio se dá pela nosso, ainda, estado primitivo. Creio, ainda, que toda a simbologia bíblica se traduz por realidades dentro de nós mesmos, em especial nos nosso princípios superiores.

  14. Ricardo W. Zonta

    Bom com todas as explicações a respeito do desenvolvimento da raça terrena,por seres vindos do Espaço,na sua necessidade e mão de obra, manipulações Genéticas e etc, uma pergunta…Porque com toda tecnologia que tinham na época,já que ainda hoje somos atrazados,eles construindo naves, para viajarem, precisavam de escravos?.Não tinham rôbos ou maquinário para tal?…Pra que tanto trabalho e tempo gasto para criarem uma raça só para levar minérios?…Estranho, ou a missa não dá para saber nem da metade?.

  15. Marcílio

    Concordo com o Ricardo Zonta. Não faz nenhum sentido, não tem nenhuma lógica, a tese esposada pelo Zecharias Schitin segundo a qual os denominados anunnakis, ou nibiruanos, teriam viajado de forma interdimensional, por portais do espaço/tempo, chegado à Terra e engendrada a raça humana como escravos e a partir do seu próprio DNA. E, num universo infinito, seria nosso planeta o único a possuir ouro para as necessidades destes extra-terrestres?? Com tal tecnologia não precisariam de ouro e muito menos de escravos.

  16. luiz fernando

    olá…
    eu gostaria de saber o nome do livro do Zecharia Sitchin que fala d criação d mundo segundo os escritos sumérios que foram achados, se você pudesse publicar o nome do livro eu agradeceria muito.

  17. Marcílio

    Luiz Fernando, a obra é “O Livro Perdido de Enki – Memórias e Profecias de Uma Deus Extraterrestre”, porém o Zecharia Sitchin escreveu outros livros que podem ser facilmente conhecidos no google, sendo que alguns já estão na forma de e-book.

  18. Luís com "esse"

    Tenho lido muito sobre os Sumérios e Anunnakis e observo o que muitos tratam o assunto como lendas e teorias. Também vejo que muitos autores pegam “carona” neste tema abordando assuntos os quais não existem indícios qualquer. Penso que, em EXISTINDO AS TÁBUAS de argila e estando as TRADUÇÕES CORRETAS, evidencia uma História. E esta faz muito mais sentido do que qualquer outra conhecida.

  19. PAULO SANTANA

    O LOCO MEU!!!!!ANUNNAKI,NIBIRU,BOLHA GIGANTE,DILUVIO D,N,A,GIGANTES,E AINDA POR CIMA PRETENDEM VOLTAR.PELO CRIADOR,EM ISAIAS ELE DIZ E EIS QUE RENOVO TODAS AS COISAS E AS COISAS PASSADAS SERÃO ESQUECIDAS E NÃO SUBIRÂO AO CORAÇÃO TAMBÉM. ATÉ QUANDO VAMOS ESPERAR ISSO,SEM QUERER QUESTIONAR O CRIADOR,PRA ELE NÃO EXISTE LIMITE DE TEMPO MAS PRA NÓS EXISTE.QUAL É O NOSSO PROPÓSITO AQUI ,DEPOIS DE TUDO ISSO. NASCER CRECER E MORRER.HAAAAAA LOCO MEU!!!!!!!!!!!!.

  20. Marcílio

    Grande verdade, Luís com “s”. As teses do criacionismo da Bíblia e do evolucionismo de Darwin não condizem com o raciocínio lógico e coerente. Creio que espiritualmente nós viemos de outros sistemas solares e fisicamente fomos engendrados.

  21. Alexandre Arce

    Zecharia Sitchin é um embusteiro manipulador de “traduções”. Banido pela sociedade de arqueologia. Em um desenho sumeriano não saberia diferenciar o sol da lua e dos planetas, escrevendo em suas “traduções” o que bem entendia. Não percam tempo com ele. Podem começar por um material realmente sério como este: História da Civilização Ocidental – Cesar Mangolin, garanto que será mais proveitoso.

  22. Luciana

    O ser humano terrestre é um ser que, desde os primórdios da Terra, estava fadado a se tornar o que é hoje, o que somos hoje. Obviamente esta evolução não precisaria de ajuda alguma de seres extraterrestres para tal, afinal os deuses (ou Deus) que criou tudo em nossa volta é suficientemente grande para tal ato. Essa é uma verdade fundamental. O ser humano é puro, provindo da força criativa pura da consciência do universo e evoluiu naturalmente como todas as outras espécies, sejam animais ou vegetais, aqui presentes neste planeta. Obviamente que estou falando apenas da parte carnal dos seres humanos terrestres aqui; o assunto fica muito mais complexo do que já é no que se refere à nossa consciência, atma, etc.

    Pelo que tudo indica, os anunnakis (“anjos” que desceram do céu), eram seres extraterrestres/multidimensionais que de fato manipularam o DNA humano – porém somente de uma parte dos seres humanos da época. Essa parte, híbrida, também conhecida por “nephilims” em passagens no “Livro de Enoque”, foi escravizada por eles e depois pelos próprios humanos “puros”. Muitos acreditam que eles possam ser os antigos gigantes, que os Egípcios escravizaram para a construção das pirâmides. Esses seres humanos gigantescos tinham a mente não muito sábia porém corpos fortes, próprios para o trabalho braçal, afinal foram manipulados geneticamente para tal. Alguns também acreditam que outros tipos nephilianos também existiram, e não apenas os gigantes. Mas essas são apenas especulações. O que se sabe é que, no fim, eles acabaram se extinguindo, não se sabe ao certo se por doença generalizada, por catástrofes naturais ou um conjunto destes e outros fatores. Essa intromissão de seres exteriores não se mostrou digna diante dos olhos de nossos mestres e protetores, logo teve de ter um fim drástico.

Deixe um Comentário