Bem-vindo a Sociedade Gnóstica Internacional

Nada Existe: um Koan de Yamaoka Tesshu

14 maio 2015

Nada Existe: um Koan de Yamaoka Tesshu

Yamaoka Tesshu, quando ainda era um jovem estudante do Zen, costumava visitar um mestre após outro. Chegou o dia então em que ele foi até Dokuon, de Shokoku. Desejando mostrar o quanto já sabia, ele disse, vaidoso:

“A mente, Buda, e os seres sencientes, além de tudo, não existem. A verdadeira natureza dos fenômenos é vazia. Não há realização, nenhuma delusão, nenhum sábio, nenhuma mediocridade. Não há o dar e tampouco nada a receber!”

Dokuon, que estava fumando pacientemente, nada disse. Subitamente ele acertou Yamaoka na cabeça com seu longo cachimbo de bambu. Isto fez o jovem ficar muito irritado, gritando xingamentos.

“Se nada existe”, perguntou, calmo, Dokuon, “de onde veio toda esta sua raiva?”

2 Respostas

  1. Kaique Luan KL

    Como compreender essa dualidade entre o Nada e Tudo? Nada existe, mas tudo existe. Na Cabala temos o Nada Absoluto, certo? Mas esse nada não significa um vazio, pois não existe vazio no Universo. Tudo vibra em maior ou menor escala. A raiva aí não pode ser algo, é um nada, porque a raiva não existe, mas o sentimento, que é nada, é alguma coisa, pois a raiva não vibra e sim a intensidade com que se sente. Se não existisse a Consciência, nada mesmo deveria existir, porque não seria possível perceber as coisas. E de fato, as coisas existem por si mesmas, há liberdade no animal, na planta, no homem e existência nas coisas materiais. Esse vazio do Universo de que fala é compreensível para mim como ausência de percepção daquilo que nos envolve, o Todo.

  2. Olá Kaique,

    Muito obrigado pelo seu comentário.

    Realmente são reflexões que incitam a compreensão do Todo.

    Abraços Fraternos!
    Paz Inverencial!

Deixe um Comentário