Bem-vindo a Sociedade Gnóstica Internacional

19 out 2013

Educação e o Despertar da Consciência: Um Novo Mundo

No artigo anterior sobre os Velhos Paradigmas foi explicado como a educação direciona a sociedade através de seus indivíduos. Portanto, cabe a nós mudarmos internamente, através dos nossos valores e atitudes, parando de reproduzir esse modelo falho que visivelmente nos faz muito mal, dificultando o processo de autorrealização íntima.

Cada dia que passa, escutamos mais tragédias, pessoas que morrem e matam, sem qualquer ligação com a própria vida que pulsa dentro de si mesmas. No trabalho de despertar da consciência, conforme vamos nos tornando mais lúcidos, podemos escolher não mais contribuir com essa loucura que se instaurou como modelo de normalidade em nossa sociedade.

Educação e o Despertar da Consciência: Um Novo Mundo“A sociedade não quer indivíduos que estão alertas, perspicazes, revolucionários, porque tais indivíduos não se encaixam no padrão social estabelecido e podem quebrá-lo. É por isso que a sociedade procura manter sua mente em seu padrão, e porque a sua assim chama educação convida-o a imitar, a seguir, a se conformar.” (Jiddu Krishnamurti)

Cada um de nós que busca a Verdade, quem se dedica em suas práticas e vive a Gnosis interior, sabe quanto tempo precisou penar no breu para então buscar a Luz. Se vislumbramos uma possibilidade de que nossas crianças possam se desenvolver autoconscientes de si mesmas e conectadas com a energia cósmica universal, o coração, o Divino, o Cristo interno, então porque não mudar?

“De que serve a educação, se não nos tornamos criativos, conscientes e inteligentes de verdade? A verdadeira educação não consiste em saber ler e escrever. Qualquer mentecapto, qualquer tonto, pode aprender a ler e escrever. Precisamos ser inteligentes, e a inteligência só desperta em nós quando a consciência desperta.” (Samael Aun Weor)

Aí aquela vozinha diz assim na sua cabeça: “Mas e quem me garante que isso funciona? E se não der certo?” Bom, espiritualmente sabemos que não existem garantias, tudo é impermanente e a única certeza que temos na vida é a morte. Além de que a situação como está atualmente, é de fácil constatação que não está dando certo, tudo esta ruindo e as pessoas encontram-se na ignorância de si mesmas, imersas na miserabilidade de alma. Então o que temos a perder? Só o apego às ilusões egóicas.

A educação para a autorrelização do Ser

Se olhamos ao nosso redor com uma visão contemplativa, facilitamos a conexão interna, uma vez que o Divino está em absolutamente tudo que existe – inclusive no céu cinza, no vizinho rabugento e em cada um de nós com todos os nossos defeitos. Somos filhos de Deus em desenvolvimento, crescendo para um dia nos tornarmos Um.

No Evangelho de Tomé há uma passagem:

“Jesus diz: “Se aqueles que os guiam lhes dizem: ‘Vejam, o Reino está no céu’, então os pássaros do céu os precederão. Se lhes dizem: ‘Está no mar’, então os peixes os precederão. Antes, o Reino está dentro de vocês, e está fora de vocês. Quando vocês chegarem a conhecer-se, então se tornarão conhecidos, e compreenderão que são vocês os filhos do Pai Vivo”.

Na criança é evidente a Luz, que brilha com tanta intensidade pois acabou de descer da Grande Consciência Divina e ainda está impregnada dela . Quanto menorzinha a criança, mais puro é o espírito nessa existência, mais pleno e cheio de vida está. Nosso trabalho de educação, na realidade, está conosco e não com os pequenos. Só após nos libertarmos de nossas programações e vícios é que conseguiremos proporcionar uma terra fértil para que as crianças desenvolvam o seu potencial, inclusive e principalmente espiritual.

“O essencial, com efeito, na educação, não é a doutrina ensinada, é o despertar.” (Ernest Renan)

É urgente que cada um de nós resgate o seu próprio poder de decisão. Em cada escolha e atitude nossa é fundamental que haja aqueles preciosos instantes para a verificação interna, se aquilo de fato faz sentido. Estando em recordação íntima de si mesmo, tornamo-nos mais conscientes em cada momento.

Dessa forma, sentimos novamente aquele frescor de estar redescobrindo o mundo, abrindo mão de conceitos e definições, experimentando a si mesmo e ao mundo como uma criança – não no sentido de inconsequente, mas de contemplação empírica. A criança não se apega aos acontecimentos, nem às suas próprias criações, mas nós já temos aquele viés dramático, onde tudo é difícil. Elas estão livres, leves e soltas.

“As crianças não têm ideias religiosas, mas têm experiências místicas. Experiência mística não é ver seres de outro mundo. É ver este mundo iluminado pela beleza.” (Rubem Alves)

Percebemos o mundo sempre através dos nossos óculos internos, então só depende de nós escolhermos tirar o véu de Maya para então ver e agir a partir da consciência desperta – e as crianças são as primeiras a nos apontar quando não estamos sendo coerentes. O exemplo ensina mais que mil teorias, de nada adianta se falar sobre amor mas não ser capaz de olhar fundo nos olhos de uma criança e reconhecer o princípio Divino que ali pulsa. Daí a importância de reconhecermos Deus antes dentro de nós.

Tudo é muito simples, nós que criamos os mais diversos obstáculos para o nosso desenvolvimento, pelo profundo medo de ser feliz e pela sensação de não-merecimento. Mas não há segredos, se nos tornamos inteiramente responsável por todos os aspectos da nossa vida e buscamos a retidão amorosa, o Universo conspira ao nosso favor. Cada vez alinhamos a nossa vontade com a Vontade Divina, as coisas fluem maravilhosamente bem!

Ao sentir fluir essa vida, mais conscientemente trabalhamos com a nossa energia criativa. Somos seres cocriadores por essência, aplicando essa energia geradora de vida em uma obra de arte ou até em um bebê, criando outro Ser à nossa imagem e semelhança. Isso é exercitado por todos nós desde criança, pois é uma energia Cósmica Universal que está fluindo em nós.

Criando, ela vê a si mesma através de sua expressão na matéria, sai da ignorância dela mesma. Brincar é o portal da criança para o conhecimento de si mesma e do mundo, é a maneira que ela tem de conhecer os seus próprios limites e do outro. Ao sermos severos e roubamos delas a oportunidade de errar e aprender com o erro, então não há ação, nem evolução, pois o medo paralisa e tudo fica estagnado. Toda essa reflexão também vale para nós, adultos, pois se não alterarmos a nossa interação com os pequenos, esses paradigmas continuam existindo.

A perfeição é possível, mas é atingida de forma gradual e com muita prática. Esse terrorismo só faz crescer a ansiedade e faz manchar uma linda obra por um pequeno detalhe. O processo de viver no mundo material é sim para limparmos as energias má qualificadas anteriormente, que chamamos de carma e egos. Porem também estamos aqui para reconhecermos a nós mesmos através da nossa criação neste plano, relembrando o que já se sabemos, mas que havíamos esquecido.

Não se deve dizer a si próprio: você deve derramar isto ou aquilo na alma da criança. Mas deve-se ter veneração frente ao seu espírito. Você não consegue desenvolver esse espírito; ele desenvolve-se por si próprio. Compete a você afastar os obstáculos para o seu desenvolvimento, e trazer-lhe aquilo que lhe permite desenvolver-se. Você consegue afastar os obstáculos físicos e também um pouco os anímicos. Aquilo que o espírito deve aprender, ele o aprende devido ao fato de você lhe afastar esses obstáculos. Pela vida o espírito também já se desenvolve na juventude mais tenra. Mas sua vida é aquilo que o educador desenvolve em seu ambiente.” (Rudolf Steiner)

Quando se aprende com dor, lembramos mais do trauma do que do conteúdo, a sensação se sobrepõe ao aprendizado, ao passo que aquilo que se aprende com prazer nunca se esquece. Daí a importância de deixar o Ser manifestar-se através do sentir. A criança sabe o que ela quer, mas nós desconsideramos isso, achando que sabemos mais dela do que ela mesma e logo sabemos o que é melhor pra ela. Isto é um grande equívoco! Precisamos urgentemente escutar de fato o que dizem os nossos pequeninos.

A educação é algo frágil e nós invadimos as crianças o tempo todo, as quais crescem e se tornam indivíduos dominadores, voluntariosos e egoístas, pois não conhecem os seus próprios limites. Se os pequenos não puderam experimentar, pois apenas seguiram ordens, como vão saber quem são? Nos encontramos assim, como crianças crescidas e completamente perdidas, às margens de nós mesmos. Não conhecemos nossos talentos e nem lembramos mais o que viemos fazer aqui.

Nós sentimos essa desconexão, por isso perseguimos ela em nossa busca interior. É um processo de redescoberta da vocação, de alinharmos as nossas escolhas com a nossa Missão. Uma vez vivendo de acordo com o nosso Plano, em entrega e confiança no nosso Ser Interior, ficamos mais centrados, com mais poder pessoal e tomamos a vida nas próprias mãos. Abandonamos os vícios de energia de culpa, vitimização e julgamento, substituindo isso por um pleno viver, como uma criança construindo um castelo de areia – que ela sabe que desaparecerá e não sofre com isso, continuando a construção com toda alegria, entusiasmo e dedicação possíveis.

”A inspiração que você procura já está dentro de você. Fique em silêncio e escute.” (Rumi)

Qualquer um de nós que já experimentou a escuridão sabe que em algum momento nos sentimos insignificantes e sem um motivo relevante para estarmos aqui. Embora amemos muito os nossos familiares, companheiros e amigos, eles por si só não nos seguram aqui. É necessário relembrar qual é o nosso PROPÓSITO. É esse sonho, esse Plano que faz cada um de nós levantar de manhã com o peito cheio de vida e um sorriso no rosto, e ao cumprirmos nossa Vontade Maior, experimentamos aquela sensação de missão cumprida.

A criança sente isso nitidamente, ela é naturalmente impulsionada por esse sentir interno. Nessa rede invisível, inteligente e magnífica que é a vida, chegam até nós naturalmente aquilo que precisamos desenvolver. Com a criança não é diferente, se um menino veio para ser bombeiro, sentirá atração por atividades relacionadas a isso.

“Sufoca-se o espírito da criança com conhecimentos inúteis.” (Voltaire)

Se uma moça se realiza sendo bailarina, é uma agressão deixá-la cinco horas sentada ouvindo sobre física ou química. O tédio e a irritabilidade tomam conta da criança, pois está gastando sua energia, seu tempo, sua vida com algo que não faz sentido nenhum para ela! Mas para nós faz… ou fazia, pois agora entendemos que de nada adianta seguir desconectando as crianças do seu sentir interno para nos agradar. Ou pior: para cumprir algo que nos foi dito como necessário e tomamos como verdade, sem nunca paramos para avaliar se realmente é relevante.

Despertando a consciência, mais próximos da Fonte nós chegamos. Porém, a existência serve para que possamos realizar coisas aqui na matéria, e isso nada mais é do que a própria autorrealização do Ser. Cada um deve transformar-se em seu próprio Mestre e deixar os outros serem o que são ou o que tem a capacidade de ser. Nossa própria autorrealizacão é o maior Serviço que podemos fazer ao mundo.

“Trágica é a existência daquele que morre sem haver conhecido o motivo de sua vida!” (Samael Aun Weor)

Cada respiração é única, cada instante é precioso. Todos os dias o sol nasce, nos brindando com um novo dia, recheado com infinitas possibilidades de fazermos o que viemos para fazer, cada um deixando fluir os seus talentos e presenteando o mundo com o melhor de si. Para onde quer que dirijamos a atenção, gastamos energia criadora. Sempre que estamos autoconsciente, agindo desde o sentir mais profundo de nossa Essência, a vida flui através de nós e o Ser brilha.

“Nosso medo mais profundo não é o de sermos inadequados. Nosso medo mais profundo é que somos poderosos além de qualquer medida. É a nossa luz, não as nossas trevas, o que mais nos apavora. Nós nos perguntamos: Quem sou eu para ser brilhante, maravilhoso, talentoso, fabuloso? Na realidade, quem é você para não ser? Você é filho do Universo. Se fazer pequeno não ajuda o mundo. Não há iluminação em se encolher, para que os outros não se sintam inseguros quando estão perto de você. Nascemos para manifestar a glória do Universo que está dentro de nós. Não está apenas em um de nós: está em todos nós. E conforme deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo. E conforme nos libertamos do nosso medo, nossa presença, automaticamente, libera os outros”. (Marianne Williamson)

É fundamental buscarmos cara vez mais uma Educação Livre e Crianças Felizes, pois que a felicidade e a plenitude são os termômetros para sentir se estamos sendo coerentes e trilhando cada um o seu caminho. Um Novo Mundo é possível, ele já existe dentro de nós. Precisamos apenas nos livrar das amarras e manifestá-lo.

12 Respostas

  1. Anand Premo

    Olíva! Que texto é esse??? Quanta inspiração! Quanta verdade! Quanta luz!!! Amei! Meus mais sinceros parabéns e meu muito obrigada por permitir-se fluir nesse canal tão genuíno assim…

  2. Eu agradeço o carinho, Anand!
    O retorno de vocês me incentiva a continuar compartilhando meus aprendizados e reflexões.
    É uma alegria, um prazer trocar ideias e espalhar sementes.
    Abraços!

  3. Tiago Bueno Camargo

    Olívia querida!!!
    Que lindo. Isso mesmo, continua expressando tua alma pra iluminar nossa Terra. Bjos!!!

  4. Vania Della Coletta Moreno

    Querida Olívia… muito obrigada! Excelente texto!

    Um abraço carinhoso!

  5. Nousvate

    A mais o menos quatro anos venho escrevendo um livros e nao sei quando fica pronto pelo o simples fato que nao tenho conceitos aproriados pra expressar as realidades que o conheco.como assim? Cai na grande realidade que as pessoas o mundo nao compreende a liguagem da consciencia,culturalmente as pessoas estao muito pobre.

    espiritualmente,de inteligencia,de valores, como falar com essas pessoas,se o proprio conhecimento exigem que o individo tenha um nivio minimo de valor pra que ele entenda a linguagem da consciencia.

    tenho muita coisa a dize mas ta dificil falar pra surdo e cegos e mudos..

  6. andre

    Excelente texto, irmã. Que o teu Ser Interno continue a inspirá-la em sua nobre missão. Felicidades!

  7. elza de oliveira

    texto maravilhoso onde voce tão novinha tira tanta inspiração Parabens elza

  8. Dulcinea valentim

    Olivia meus parabéns por existir pessoas como vc que pensam assim …..beijão

Deixe um Comentário