Bem-vindo a Sociedade Gnóstica Internacional

31 maio 2012

Os Nazistas Inventaram os Discos Voadores?

Durante a Segunda Guerra Mundial, vários discos voadores são observados realizando manobras aéreas incríveis, e estas observações são reportadas por muitas testemunhas bastante confiáveis. As opiniões se dividem, e enquanto alguns pensam que se trata de veículos alienígenas, outros consideram serem apenas ilusões de ótica. Contudo, há quem apresente uma versão mais terrestre, e ao mesmo tempo mais sinistra.

Há um rastro de evidências presentes em documentos capturados pelos norte-americanos que apontam para uma tecnologia secreta desenvolvida pelos nazistas, além de uma conspiração surgida logo após o encerramento da Segunda Guerra Mundial com o objetivo de manter estes discos voadores envolvidos em mistério até os dias atuais.

Até os dias de hoje, o Centro Nacional de Relatos de OVNI’s registra cerca de 400 novos avistamentos por mês. Objetos em forma de discos, aparelhos triangulares e luzes voadoras são os mais avistados. Muitos acreditam que estes objetos vêm do espaço distante, mas existe uma outra teoria, no mínimo intrigante.

Segundo esta teoria, o que agora chamamos de objetos voadores não identificados surgiu na Segunda Guerra Mundial, no interior da Alemanha nazista comandada por Adolf Hitler.

Uma nova investigação revela que engenheiros nazistas trabalhavam em aparelhos em forma de discos, decolagens verticais e avançados sistemas de propulsão. Depois da guerra, militares norte-americanos teriam levado os projetos em segredo para os Estados Unidos, junto com milhares de cientistas e engenheiros nazistas.

Dois anos depois, em 1947, surge a primeira onda de avistamentos de OVNI’s nos Estados Unidos, a qual se espalha para todo o mundo. Segundo esta teoria, os OVNI’s avistados por todo o planeta seriam avançados aparelhos secretos norte-americanos desenvolvidos a partir de projetos científicos alemães capturados após a guerra.

Documentos britânicos e norte-americanos divulgados revelariam que no céu sobre a Alemanha, pilotos viam com frequência objetos voadores bastante incomuns. Quando as tripulações aliadas tentavam uma abordagem, os OVNI’s não agiam normalmente, como se fossem aparelhos convencionais.

Leia ainda:

A Conspiração Oculta dos Nazistas (Documentário)
Hitler e o Oculto (Documentário)
As Forças Ocultas do Nazismo (Documentário)
A História Oculta Do 3° Reich (Documentário)

Estes objetos receberam o nome de Foo Fighters, que se consolidou como uma expressão utilizada para descrever o fenômeno onde uma ou mais esferas luminosas de diversas cores eram avistadas durante a Segunda Guerra Mundial. Durante algum tempo, pensou-se que se tratava de uma espécie de arma psicológica dos nazistas, que visava atordoar e confundir os pilotos.

Alguns pilotos que avistaram os Foo Fighters sugeriram que eles se movimentavam a milhares de quilômetros por hora, pela forma como se moviam pelos ares, aproximando-se ou afastando-se deles. Inicialmente, as tripulações aliadas nada disseram sobre os avistamentos, mantendo-os em segredo com medo de desconfiança e de represálias.

Os relatórios sobre os Foo Fighters percorreram a cadeia de comendo das Forças Militares dos EUA. Muitos cientistas se reuniram para avaliar o fenômeno, mas ninguém oferecia respostas satisfatórias. Os militares foram instruídos a manter silêncio, mas as informações acabam vazando e os jornais publicam histórias sobre os misteriosos objetos.

Os aliados tinham boas razões para temer o surgimento de armas secretas alemãs. Naquela época, poderosos mísseis alemães já choviam sobre toda a Inglaterra, enquanto caças nazistas abatiam bombardeiros aliados e Adolf Hitler discursava sobre novas armas espantosas que estaria desenvolvendo para que a Alemanha vença definitivamente a guerra.

Se estes misteriosos objetos eram armas secretas nazistas, elas poderiam estar escondidas em instalações ocultas à cerca de 6km de profundidade, em uma série de complexos escavados espalhados ao longo da Polônia, da Áustria e da Checoslováquia, desde quando a máquina de guerra alemã se mudou para o subsolo para escapar dos fortes bombardeamentos aliados, no verão de 1944.

Um grande número de cientistas habitava os subsolos nazistas, e ali eles teriam desenvolvido uma série de avanços tecnológicos militares, incluindo novas formas de propulsão de aeronaves. Os progressos científicos eram considerados uma verdadeira operação de guerra, comandada por Hans Kammler, engenheiro e General da Schutzstaffel, mais conhecida como SS.

Num subsolo da cidade de Pilsen, na Checoslováquia, o temido General Kammler, chefe de toda a divisão de armas secretas nazistas, em conjunto com um grupo de cientistas selecionados, aprovou o começo de uma série de mudanças em armas avançadas, algumas delas tão radicais que eram conhecidas por apenas um punhado de pessoas.

Como as pistas de decolagem das aeronaves militares alemãs tinham estavam sendo destruídas, os sistemas de decolagem vertical se tornaram uma obsessão para Hitler, e consequentemente para Kammler. Para este fim, é construído um projeto específico, intitulado O Sino, em referência a um aparelho cuja cobertura inteiramente feita de cerâmica se assemelhava a um sino, e cujo sistema de propulsão pode ter se tornado numa forma muito eficiente de se dominar a gravidade.

Mas, quando em 1945 os aliados tinham quase dominado as forças de Hitler, tinha chegado a hora de cientistas e engenheiros deixarem a Alemanha. Foi quando o projeto O Sino desapareceu. Em abril de 1945, Adolf Hitler ordena a morte de 62 cientistas que trabalhavam no projeto O Sino, bem como inúmeros operários que trabalharam em campos secretos. Esses assassinatos foram supervisionados pelo próprio Kammler.

As entradas nos túneis secretos foram soterradas, e muitos trabalhadores foram fechados lá dentro, numa tentativa de destruir todos os vestígios dos projetos secretos nazistas. Mas Hitler nem desconfia que Kammler estava prestes a mudar de lado. Ele planejava levar todos os segredos nazistas aos norte-americanos em troca de imunidade. O fato é que em 1945 ele desapareceu para sempre. Curiosamente, no julgamento de Nuremberg, Kammler praticamente não foi citado, apesar de ter sido ele o responsável pelo extermínio no Gueto de Varsóvia.

Além disso, os norte-americanos realizaram um projeto secreto intitulado Operação Paperclip, que levou aos Estados Unidos milhares de mentes alemãs brilhantes e cheias de conhecimentos e segredos. Logo no ano seguinte ao fim da guerra, em 1946, começou a primeira onda de avistamento s de OVNI’s por toda a extensão dos Estados Unidos.

Em julho de 1947, um novo objeto se estraçalha perto da base militar de Roswell, no Novo México. Após investigar o incidente, a Força Aérea fornece um comunicado surpreendente à imprensa. Nele, afirma que tinham capturado um disco voador, para em algumas horas reverter a natureza do comunicado e afirmar que, na realidade, tratava-se de um balão meteorológico.

Depois de Roswell, os avistamentos disparam, alcançando seu ápice nos anos 50. Muitos deles aconteceram em locais próximos a importantes bases militares norte-americanas. Eram tantos os avistamentos que parecia haver uma guerra aérea sobre os Estados Unidos naquela época.  O público se convencia de que estava em curso uma invasão alienígena, e a própria cultura popular reforça esta mensagem.

Estas e outras inúmeras evidências levam a crer que os militares norte-americanos estavam  realizando testes secretos com discos voadores, e para isso deveriam ter um lugar para escondê-los. E o lugar perfeito para isso estava no deserto de Nevada, num local conhecido como Área 51, o lugar onde a Força Aérea Norte-Americana realiza seus testes aéreos mais secretos.

Estes projetos recebem verba do Congresso, mas não são reconhecidos pelo Departamento de Defesa. A função, o propósito a existência de projetos que custam cerca de 40 a 45 bilhões de dólares por ano não são revelados. O muro de silêncio em torno da Área 51 é mantido pela dificuldade em se aproximar do local, bem como pela alta seletividade de seus funcionários.

Muitos investigadores destes temas concluem que as autoridades norte-americanas usam o que chamam de mito extraterrestre para esconder seus projetos ultra-secretos. Desta forma, a cada acidente ocorrido com aeronaves de guerra de última geração, informações desencontradas a respeito de OVNI’s caindo na superfície terrestre seriam ventiladas para o público em geral através da mídia.

Em 1997, a CIA admitiu sua participação ativa em campanhas de desinformação relacionadas com OVNI’s. Alguns sugerem que toda vez que começa-se a falar a respeito da Área 51, surgem informações escassas sobre avistamentos de objetos estranhos nos céus e aparições de pequenos alienígenas cinzentos, como resultado de esforços deliberados de desinformação sobre projetos secretos que tiveram sua origem ainda nas mentes dos cientistas da Alemanha Nazista.

Durante 25 ou 30 anos, projetos secretos foram desenvolvidos na Área 51, sendo financiados por centenas de bilhões de dólares. O fato é que as forças militares norte-americanas vêm escondendo com sucesso seus projetos aeronáuticos mais secretos, ao mesmo tempo em que o tema dos extraterrestres e seus veículos espaciais consolidou-se como um mito bastante popular e até mesmo muito lucrativo para a mídia e a indústria do cinema.

1 Resposta

  1. hts

    O fato é que todo o desenvolvimento assombroso que os alemães tiveram na Aeronáutica foi porque tiveram ajuda não humana. O próprio Von Braun relata isso.
    Muito se fala que o sino na verdade poderia ser uma máquina do tempo, e que inclusive um modelo assim teria caído há alguns anos na Terra. Não lembro o local.
    Não dá pra deixar de mencionar os discos Vril, Haunebu e o gigantesco Andromeda. Falam de um modelo chamado Haunebu Odin que alcançaria velocidade da luz. Enfim, projetos assim se caíssem nas mãos aliadas seria mais que um despojo de guerra.

Deixe um Comentário