Bem-vindo a Sociedade Gnóstica Internacional

A Guerra nos Céus e os Anjos Caídos

28 jun 2012

A Guerra nos Céus e os Anjos Caídos

Segundo as escrituras de antigas tradições judaicas e cristãs, existe um momento na história do universo em que acontece uma guerra nos céus, travada por dois grupos opostos de anjos. O primeiro grupo é liderado pelo Arcanjo Miguel e o segundo grupo pelo Dragão, também identificado como sendo o Diabo ou Satanás. No fim da disputa, o último grupo é derrotado e seu líder lançado à Terra.

Entender o significado da batalha entre as potestades da Luz e das Trevas é importante para a compreensão do que as religiões abraâmicas e as correntes espiritualistas delas derivadas propõem para a alma humana. Esta proposta parte do princípio de que o mundo em que vivemos é a arena de uma batalha de proporções divinas, onde a alma humana é a recompensa principal do vencedor.

No entanto, existem muitas formas diferentes de interpretar a Guerra nos Céus e a Queda dos Anjos, não sendo a interpretação literal a única possível. Há uma simbologia muito interessante velada sob as figuras angélicas beligerantes.

Para muitos estudiosos bíblicos, não existe consenso a respeito de quando esta guerra acontece. Boa parte deles afirma que ela já teria acontecido nos primórdios da Criação, como pode ser lido no livro do Gênesis e confirmado nos livros de Isaías e Ezequiel.

Houve um momento, segundo o capítulo 6 do livro do Gênesis, em que a raça humana tinha se multiplicado de tal forma que havia um grande número de mulheres muito belas, as quais atraíram a atenção dos anjos, que acabaram descendo à Terra e casando com elas.

Outra referência à queda angélica pode ser encontrada no capítulo 14 do livro de Isaías, na menção à Estrela da Manhã que caiu dos céus e foi lançada à Terra. A palavra hebraica heylel, equivalente à estrela da manhã, foi traduzida para o grego como heosphoros e para o latim lucem ferre.

Foi assim que este anjo caído passou a ser conhecido como Lúcifer, personagem que representa, para a mentalidade cristã convencional, a soberba e a desobediência à Deus. Ele também foi identificado no livro de Ezequiel, num discurso dirigido ao rei de Tiro, em virtude das correspondências com a ideia de um ser que perdeu sua condição divina pela presunção.

Foi assim que este anjo caído passou a ser conhecido como Lúcifer, personagem que representa, para a mentalidade cristã convencional, a soberba e a desobediência à Deus. Ele também foi identificado no livro de Ezequiel, num discurso dirigido ao rei de Tiro, em virtude das correspondências com a ideia de um ser que perdeu sua condição divina pela presunção.

Leia ainda:

Os 7 Dragões Mais Famosos da Cultura Pop
Os Segredos Ocultos no Código da Bíblia
O Que Acontece Quando Não Acontece o Apocalipse?
Os 7 Milagres Mais Impressionantes da Bíblia
Os Mestres Ascensionados e os Sete Raios

Quando tomamos o Novo Testamento, a ideia apresentada pela tradição judaica é mantida em várias passagens. Mesmo assim, no livro do Apocalipse a Guerra dos Anjos é retratada como sendo um dos eventos mais importantes do futuro da humanidade. Ela acontece logo após o nascimento do Messias, e seu desfecho possibilitará o reinado de Cristo durante o período de mil anos.

O livro do Apocalipse é todo formado por visões escatológicas. A escatologia é uma parte da teologia, da filosofia e da futurologia preocupada com o que se acredita serem os eventos finais da história e o derradeiro destino da humanidade, os quais são geralmente conhecidos como o Fim do Mundo ou o Mundo Vindouro.

Entre as visões das coisas que estariam para acontecer no futuro, há dois sinais interessantes. O primeiro sinal consiste na aparição de uma mulher vestida de sol, com a lua sob seus pés e em sua cabeça uma coroa de doze estrelas. Ela está grávida e grita por causa das dores que sente, já que está dando à luz.

O segundo sinal consiste na aparição de um grande dragão vermelho, com sete cabeças e dez chifres, ostentando sete diademas sobre suas sete cabeças. Sua cauda havia varrido um terço das estrelas do céu e para lançá-las à Terra. O dragão permanecia diante da mulher que estava parindo, esperando para devorar seu filho. Contudo, assim que a criança nasceu foi levada para junto de Deus.

O dragão é o próprio Lúcifer, a estrela da manhã, e a terça parte das estrelas do céu são os anjos que aderiram às fileiras do personagem rebelde. Ele retorna nesta etapa para tentar prejudicar os planos divinos de restauração definitiva do Reino e Deus através de Cristo, mas terá seus planos frustrados pelo anjo que logo adiante aparecerá para prendê-lo nas trevas durante os mil anos de reinado do Messias.

Em seguida, começa a guerra nos céus, esta descrita em breves palavras. O livro do Apocalipse narra aquilo que já se sabe, a luta travada entre Miguel e o Dragão, cada um acompanhado por sua hoste de anjos. E quando o Dragão foi derrotado, não havia mais lugar para ele e seus anjos no céu. Por isso, eles todos foram lançados, mais uma vez, em direção à Terra.

A primeira queda do derrotado Lúcifer e seu bando de Anjos Caídos é retratada na obra poética Paraíso Perdido, escrita por John Milton com o objetivo de justificar as ações de Deus em relação à humanidade. O poema narra a história bíblica da Queda do Homem, composta pela tentação de Adão e Eva, pela queda do anjo Satanás e sua expulsão do Éden.

Contudo, os modernos comentaristas bíblicos rejeitam a ideia de que a narrativa trata de uma rebelião angélica contra Deus nos tempos primevos. Ao contrário, interpretam o conteúdo do livro como uma visão futurística dos eventos finais do mundo, bem como uma guerra espiritual ocorrida no seio da Igreja Católica, ou mesmo entre a Igreja Católica e seus inimigos.

De acordo com esta perspectiva simbólica, a mulher descrita no primeiro sinal é a Igreja, pois as vestes solares que usa indicam seu esplendor, seus pés pisando a lua representa seu domínio e sua coroa formada por doze estrelas corresponde à sua glória.

Aqueles que conhecem a perspectiva esotérica gnóstica do Apocalipse, fundamentada na obra Mensagem de Aquário escrita por Samael Aun Weor, a mulher é realmente, e em sentido geral, a Igreja, mas não exclusivamente a Igreja Católica. Em seu sentido primitivo, Igreja vem do grego ekklēsia, que significa lugar de encontro.

Esotericamente, esta ekklēsia é a própria alma humana, o lugar onde ocorre o encontro com a divindade, realizando o sentido também esotérico da palavra Religião, o famoso religare. No Apocalipse, a alma está vestida de sol, ou seja, com suas vestimentas solares ou corpos solares, os quais constituem o elemento necessário para que haja o parto do Cristo Íntimo.

Ela pisa sobre a lua, o corpo celeste que ilusoriamente emana luz própria, pois apenas reflete a luz solar. Por isso, a lua é a representação alquímica da ilusão, ou da própria fonte das ilusões, o que em um primeiro nível de interpretação corresponde ao Ego. Sua coroa formada por doze estrelas representa a realização das doze virtudes divinas, ao modo das emanações aeônicas descritas pela mitologia gnóstica e ecoada na mitologia cristã, quando os doze apóstolos são enviados por Cristo para o mundo.

O nascimento do Cristo Íntimo de entre o ventre da alma humana é espreitado pelo terrível Dragão, quem cumpre um papel fundamental para o cumprimento da missão do Messias. Não fosse a sua presença ameaçadora, o Cristo não se afastaria da alma, que é sua mãe, e não seria colocado junto de Deus para aprender sua sabedoria.

Simbolicamente, é por isso que o Dragão, o temido Lúcifer é considerado pelos gnósticos como sendo o Reflexo de Cristo, sua contraparte essencial, que com sua presença aparentemente nociva, serve de sustentação para o nascimento do Cristo e seu ulterior desenvolvimento, até que possa retornar ao mundo e governá-lo definitivamente.

Todos estes personagens são elementos arquetípicos reais inerentes a todo ser humano. O mundo onde ocorre a Guerra dos Anjos é a própria alma humana, e os Anjos Caídos são estas mesmas almas que cedem aos apelos do mundo sensorial, incapazes de compreendê-lo e dominá-lo, usufruindo inteligentemente de tudo o que ele pode oferecer.

À maneira dos Anjos Caídos, a alma aprisionada neste mundo precisa realizar um trabalho para conquistar o esplendor de sua veste solar, o domínio sobre a lua e o triunfo que lhe conferem as doze estrelas. Este trabalho é apresentado no próprio livro do Apocalipse, através da simbologia das Sete Igrejas, dos Sete Selos e das Sete Trombetas, temática a ser explorada num texto futuro.

25 Respostas

  1. Ubiratan

    Senhor Giordano:

    Li atentamente o seu belo texto. De fato, trata-se de uma simbologia bastante complexa e de difícil compreensão em virtude da linguagem metafórica que os autores do passado usaram para descrevere alguns aspectos do desconhecido.
    No caso deLúcifer, eu humildemente recomendaria Vossa Senhoria a pesquisar com profundidade um personagem da Igreja Católica Apostólica Romana com o título de Bispo de Cagliari, mais especificamente Dom Lúcifer Calaritano e os Luciferianos. Pois ai reside toda a confusão sobre o verdadeiro Portador da Luz que foi banido da Igreja como demônio. Pois a Igreja, não sei se o senhor leva isso em consideração, fez muitas modificações nas escrituras e hoje encontra-se completamente equidistante dos textos originais.No caso de Lúcifer, esse foi banido em virtude da “Boa Nova” trazida por Jesus e Santa Inquisição teve um papel fundamental no que diz respeito ao extermínio dos Luciferianos. Infelismente não espaço aqui para relatar esses fatos, mais solicitaria ao nobre professor fazer essa pesquisa para que possa tirar as suas conclusões.

    Obrigado pela sua atenção.

    Paz Profunda!

  2. Diniz

    gostaria de saber livro que eu possa aprofundar no assunto se possível desde já agradeço atenção…

  3. Diniz,

    Sugiro começar pelo livro A Revolução de Bel, escrito por Samael Aun Weor, e depois consultar a Doutrina Secreta, de Helena Blavatsky.

    Abraços Fraternos!

  4. Isabela

    os anjos caídos podem ser os deuses que aparecem na mitológia grega?
    aguardo sua resposta . obrigada!

  5. Lúcifer – Sanat Kumara – Vênus – Estrela da Manhã. Não fosse o despertamento dos homens pelos luciferinos, seríamos ainda autômatos semiconscientes, pouco melhores do que os atuais metazoários terrestres. Somos centelhas que desceram ao máximo de restrição individualizadora – a vida na matéria — filhos de Caim, lavramos a terra… A Queda não é uma degenerescência… Somos destinados à completitude: da matéria à essência divina. A humanidade anterior desceu até o astral e hoje são anjos; descemos ao físico e seremos arcanjos. Alguém, em sã consciência, pode chamar isso de “pecado original”?

  6. Fábio Bittncourt

    A guerra nunca teve fim, existem pontos fundamentais que são equívocos no texto, segundo o que está escrito na Bíblia cristã.
    1. Deus cria o homem a Sua imagem e semelhança;
    2. Isso desencadeia uma guerra no céu, por Lúcifer não aceitar se submeter ao homem que, aos seus olhos, seria imperfeito por não ter o discernimento entre o bem e o mal. Para provar sua tese, ele persuade Eva a conhecer a verdade, a qual transmite esse conhecimento a Adão.
    3. Lúcifer, e os seus simpatizantes na rebelião, são vencidos em uma batalha “cósmica” e ele é aprisionado na Terra. (Eu acho que deve ter sido no Brasil, brincadeira)
    4. Parte do seu exército vencido são dispersados no espaço e Terra; alguns se desenvolveram, outros não, é o caso dos demônios de candomblé e os que manipulam a política, por ex.
    5. Com a população da Terra crescendo e os anjos que batalham contra os outros anjos “caídos” vendo a beleza das mulheres humanas, pecam, e encarnam nos homens para ter prazer e desses cruzamentos nascem mutantes “gigantes”, semi deuses, etc.
    6. Deus resolve que é hora de dar uma formatada na Terra e elimina os seres “mutantes”, frutos de anjos x humanos; Poupando apenas uma família de pessoas ainda íntegras e várias espécies de animais;
    7. A humanidade recomeça, com homens mais resistentes de serem possuídos por espectros e assim as civilizações se desenvolvem;
    8. A guerra continua e mais uma vez a humanidade está possuída e perdida e então Deus faz “um acordo?” e envia seu único filho para ser sacrificado pela humanidade;
    9. Mais uma vez a humanidade é salva. Porém, Deus onisciente, já havia previsto que tudo isso iria acontecer. Portanto, Ele, mesmo sabendo que iria perder o seu próprio Filho nos criou, se existe um amor maior que esse eu desconheço. É de fazer mesmo Lúcifer tremer de ciúmes.
    10. Estou louco?

  7. Ricardo N R Cavalcanti

    O DEUS TU ÉS TREMENDO DESDE OS TEUS SANTUÁRIOS ; Ó DEUS DE ISRAEL É O QUE DÁ FORÇA E PODER AO SEU POVO BENDITO SEJA O DEUS TODO PODEROSO QEU REVELA SEUS MISTÉRIOS AOS PEQUENOS DE URANTIA BENNDITO SEJA O DEUS DE ISRAEL

  8. anjos!

    anjos!!!
    olhem ao seu redor todas as explicações estão no berço da humanidade!
    abram sua mente, seus olhos.

    boko haram!
    Ziyakwazi yonke indawo!

  9. Renato

    Quero aproveitar a falar aquilo para o qual me foi confiado, isto é, a verdade:
    O grande plano dos anjos caídos é impedir a humanidade de ascender ao Pai manifesto na materia na dualidade homem e mulher, porem a existência na materia tem um obstáculo a idolatria, o mestre EMANUEUM (MIGUEL) o primogênito da criação veio a este mundo para revelar a verdade e libertar de vez a humanidade “a ninguem nesta terra chamem de pai pois pai é um só que está nos Céus”, os anjos caídos logo que perceberam a sua presença trataram logo de ofuscar a luz criando a religião a mãe da idolatria e para não cair em maldição consequencia da idolatria as pessoas tem que assumirem a identidade de um anjo caído assim eles criaram seu reino a qui na Terra quem se opor mas permanecer na idolatria cairá em maldição de vergonha destituidos da sua natureza.

  10. Fabiana

    Boa tarde
    Primeiramente estou encantada com tantas informações ricas em conteúdo e com estas pessoas participantes, se mostrando abertas e interessadas no assunto.
    Com quase 40 anos de idade, descobri que na verdade sou gnóstica. Depois de muito ler, muito aprender e pesquisar, estou muito satisfeita por ter encontrado por fontes valiosas de informação e conhecimento. Numa destas buscas, me deparei com esta página, que de forma ignorante, no sentido literal e de “não conhecimento”, define a gnose de forma preconceituosa, arrogante e herege, sendo composta por uma “elite”.

    http://www.gotquestions.org/Portugues/Gnosticismo-Cristao.html

    Infelizmente nem todas as pessoas que acabam encontrando esta página terão a coerência de continuar pesquisando e se aprofundando no assunto. Lamentável como alguns supostos líderes religiosos, como deste site, ainda tem a hipocrisia e a pretensão de se julgar mensageiro de Deus, usando da intolerência aos demais. Na minha opinião, isso sim é ser contrário a Deus e à evolução.

    Paz para todos!

  11. Oi Fabiana,

    Muito obrigado pelo seu comentário.

    Realmente o site Got Questions não é a melhor referência para entender o Gnosticismo.

    Resta-nos confiar no discernimento e na intuição dos leitores.

    Abraços Fraternos!

  12. Adriane Lima

    Não conheço muito sobre o assunto, mas estou muito interessada em aprender a compreender um pouco mais sobre anjos caidos entre outros. Adoraria receber indicações de livros e/ou sites para iniciar minha buscas.
    Parabéns pelo texto rico de informações, ajudou muito.

  13. Wilmar Silvestre Pinheiro

    Caro Giordano.

    Hoje me considero Universalista pois comungo de todas as seitas, filosofias e religiões, procurando extrair de cada uma delas o seu melhor e as melhores explicações para a “eterna frase” Quem sou, de onde vim, para onde vou. As explicações, como você sabe, e muito mais do que eu, são as mais variadas possíveis. Depois de ler e reler algumas delas me surgiu a quase certeza de sermos os chamados Anjos Caídos, mas uma grande dúvida ficou no ar.

    Será que Deus Criador das Hostes Angélicas, em sua Onipotência, Sapiência, Justiça e Bondade, criou Lúcifer , Satâ e todos os Anjos com a semente do bem e do mal, da presunção, da inveja, mas, com o poder do livre arbítrio para fazerem a sua escolha, entre o mundo etéreo e o material, pois se assim não foi, de onde surgiu a presunção de Lucifer, ele que era a Luz??

    Se os Anjos como conhecemos foram criados a imagem e semelhança de Deus, de onde surgiu o mal??? Esta parte não bate. Anjos rebeldes , invejosos, presunçosos, de onde???

  14. Olá Wilmar,

    Muito obrigado pelo seu comentário.

    Em termos psicológicos, derivados da narrativa mitológica da Bíblia, a presunção de Lúcifer e dos demais Anjos Caídos surgiu da tendência ao EGOÍSMO, à SEPARATIVIDADE, ao INDIVIDUALISMO.

    Como você afirmou, e segundo esta análise apresentada acima, somos todos “Anjos Caídos”, pois houve um momento em que o gérmen do EGO surgiu em nossas almas. O que a GNOSIS nos ensina é eliminar este EGO através da Morte Mística.

    Se quiser se aprofundar mais nesta temática, recomendamos assistir à seguinte aula:

    http://www.sgi.org.br/videos/o-problema-do-mal-segundo-o-gnosticismo-aula-ao-vivo-2/

    E ainda inscrever-se em nosso Curso Online:

    http://www.sgi.org.br/course/introducao-a-gnosis-e-ao-gnosticismo/

    Abraços Fraternos!
    Paz Inverencial!

  15. Wilmar Silvestre Pinheiro

    Caro Giordano

    Se a Presunção de Lúcifer e a nossa de anjos Caídos surgiu da tendência ao EGOÍSMO, à SEPARATIVIDADE, ao INDIVIDUALISMO, então fomos criados Angelicalmente com a semente do bem e do mal e com o poder do Livre arbítrio??

  16. Olá Wilmar,

    Segundo a cosmologia gnóstica, nós somos essencialmente Emanações do Absoluto, ou seja, centelhas divinas que surgiram a partir da Suprema Divindade Absoluta.

    Após termos sido emanados, acabamos nos afastando desta Suprema Divindade, do SER, e este afastamento gerou em nosso espaço psicológico, o dualismo, o desequilíbrio que chamamos BEM e MAL, e a tendência ao egoísmo, à separatividade e ao individualismo.

    Este acontecimento psicológico, que transcende o tempo e o espaço, mais além do corpo, dos afetos e da mente, está retratado metaforicamente na narrativa dos Anjos Caídos.

    Jamais cairíamos no equívoco de interpretar esta narrativa como um acontecimento histórico, ocorrido num passado distante, algo separado de nossa própria realidade psicológica, interior, anímica.

    Completando a resposta, no início, foi o livre-arbítrio que levou tais centelhas ao mencionado afastamento do SER. Após o afastamento, é o livre arbítrio que as permitirá decidir entre o BEM e o MAL.

    No entanto, sendo a GNOSIS chamada de ciência do bem e do mal, ela nos ensina a transcender este dualismo e submergir no seio do Eterno Pai Cósmico Comum, aonde existe a autêntica e absoluta felicidade.

    Abraços Fraternos!
    Paz Inverencial!

  17. Wilmar Silvestre Pinheiro

    Caro Giordano

    Obrigado. A sua resposta explicativa calou fundo em minha alma, pois como comentei anteriormente, procurei nas mais diversas religiões, seitas e filosofias uma resposta que me aquietasse para a pergunta que não queria calar: Quem sou, de onde vim, para onde vou. E você em uma explicação simples, e mostrando todo e o real conhecimento de nossas origens, conseguiu aquietar a minha alma dizendo o que ela precisava e queria ouvir a muito tempo. Vou procurar aprofundar-me na leitura da vasta bibliografia que a Sociedade Gnóstica possui e tornear-me aluno assíduo de suas aulas e ensinamentos. Você com certeza é um ser iluminado.

    Abraços Fraternos
    Paz Inverencial

  18. Querido irmão Wilmar,

    Ficamos muito felizes que as nossas palavras tenham sido úteis.

    E mais ainda que caminharemos juntos nesta busca pelas respostas às questões mais importantes de nossas vidas.

    Seja muito bem-vindo à nossa comunidade de investigadores dos Mistérios Gnósticos.

    Abraços Fraternos!
    Paz Inverencial!

  19. a toledo

    A afirmação de HP Blavatsky sobre a guaerra nos ceus é bem diferente.Concordo com ela em alguns pontos. Minha opinião é que exise uma linha de ação nas Trevas e uma na Luz e que as duas completam-se.Isso porque o bem e o mal (luz e trevas) são densidades de uma mesma natureza e a Luz e as Trevas está dentro do homem e fóra dele qdo refere-se a um campo dentro da energia fundamental….é isso…

  20. Manuel

    Parabéns Sr Giordano pelo trabalho desenvolvido nesta pagina, sou maçom
    Detentor do grau 15 do REAA, Oriente de Manaus, sempre que posso recomendo
    Aos irmãos que visitem seu trabalho aqui desenvolvido!

  21. Olá Manuel, muito obrigado pela sua visita.
    Nosso trabalho é dar suporte às pessoas que desejam o conhecimento interno para que possam, cada um a seu tempo, lapidar sua pedra bruta através do malho e do cinzel.

    Abraços Fraternos,
    Paz Inverencial!

Deixe um Comentário