Bem-vindo a Sociedade Gnóstica Internacional

12 ago 2011

Os Elementos Químicos na Alquimia – Mercúrio (2/2)

Podemos dar continuidade aos nossos estudos sobre o Mercúrio interior refletindo sobre o aspecto líquido desta substância.

 

Por que os antigos alquimistas escolheram especialmente este elemento (Hg), juntamente com o Enxofre e o Sal, para simbolizar uma das três substâncias fundamentais da “Magnum Opus”?

 

A Alquimia é um processo de transformação interna (causa), e que como reflexo pode ser aplicada também no ambiente externo (consequência). Assim sendo, a base dos processos com os quais os alquimistas trabalham é um elemento interno que tem uma forma líquida, imprescindível para a obtenção do “Mercúrio dos Sábios”: o sêmen.

 

Desta forma, os alquimistas medievais escolheram uma substância no mundo físico que possuísse as mesmas características daquele elemento interno com qual trabalhavam, e por isso elegeram o Mercúrio, que conduz eletricidade, tem um aspecto branco prateado, forma amálgamas com outros metais como a prata e o ouro (características que trataremos em outros posts), além de possuir a característica líquida peculiar. O Mercúrio nada mais é que a “alma metálica do esperma”.

 

Como vimos anteriormente, o Mercúrio é dificilmente encontrado em sua forma livre, tanto em nossa natureza interna quanto no meio ambiente externo. Logo, temos que fabricá-lo. Industrialmente podemos obtê-lo através do aquecimento e posterior condensação do Cinabre, devendo ser o mesmo feito dentro de nós, alegoricamente.

 

Para tal fabricação temos a semente, o sêmen, que pode ser transformado no cobiçado “Mercúrio dos Sábios”, através do aquecimento desta matéria prima no Athanor – simbolizado também no Vaso de Hermes (Mercúrio) – que deve estar hermeticamente fechado, mediante o Arcano AZF , sendo necessária ainda a posterior condensação deste metal condutor de eletricidade em nosso corpo.

 

Aos poucos iremos fabricando nosso “Mercúrio Interno”. Se nos faltar ou a matéria prima, ou o Athanor, não conseguiremos fabricar tal substância. Por isso a prática do Arcano AZF e a não ejaculação do sêmen são pilares fundamentais dentro da Grande Obra Alquímica. Lembremo-nos do sexto dos dez mandamentos: “Não fornicar“.

 

Outra característica verificada neste metal líquido é que uma descarga elétrica pode fazer com que seu vapor combine-se com os gases nobres, entre eles o Argônio (elemento este que também veremos no futuro).

 

Podemos nos recordar nestes instantes também do Sagrado Caduceu de Mercúrio com suas serpentes ascendentes – Idá e Pingalá. Compreendamos aqui o que foi dito anteriormente: O número atômico do Mercúrio é 80, que cabalisticamente soma 8, número que forma a figura do Santo Oito, símbolo do infinito. É pelo canal medular central Sushumna que deve ascender a Kundalini, que nada mais é que o Mercúrio dos Sábios fecundado pelo Enxofre, com a ajuda do Sal. Em nosso próximo artigo estudaremos um pouco sobre o Enxofre.

3 Respostas

  1. Excelente explicação sobre o mercúrio é, sem dúvida, é a transmutação de nosso mercúrio, tanto aquosa ea seca, o que nos permite ter uma auto-realização no íntimo pasomas DELSA. muito obrigado pela sua explicação, a paz Inverential.

    Excelente esta explicacion sobre el mercurio,sin lugar a dudas es la transmutacion de nuestro mercurio,tanto el acuoso como el seco, lo que nos permite dar un pasomas en la autorealizacion intima delser. muchas gracia por tu explicacion, paz inverencial.

  2. Kimarca

    Caro Kleiton, é de extrema importância os seus estudos sobre a Química Humana, visto que são descobertas revolucionárias para a Ciência. Será que o senhor poderia explicar sobre o escurecimento da prata? Ouvi dizer que tem relação com a produção de enxofre, não sei se é verdade, mas gostaria de maiores esclarecimentos e, ninguém melhor que você, para dar luz a esse assunto. Obrigado.

  3. douglas

    É muito bom podermos conhecer mais sobre esses símbolos
    e aquilo que eles conservam de real, no caso do mercúrio
    vale lembrar uma de suas utilizações, o termômetro…
    nele o metal aumenta ou diminui de volume de acordo com o calor, talvez isso tb tenha haver com a alquimia…

Deixe um Comentário