Os 7 Milagres Mais Impressionantes da Bíblia

A Bíblia está repleta de histórias de milagres impressionantes, tanto no Antigo como no Novo Testamento. Basta dar uma rápida olhada por suas páginas para se deparar com feitos extraordinários, que vão desde a criação da matéria e do universo, passando pelo controle dos processos biológicos, até as curas fantásticas e a ressurreição dos mortos.

Um milagre é um evento ao qual se atribui a intervenção divina ou de uma pessoa santa que exerce um poder considerado divino. Em geral os milagres correspondem à interrupção perceptível das leis da natureza. Para a mentalidade ateísta que nos últimos tempos virou mais um modismo, isso não passa de superstição e ignorância de mentes menos privilegiadas que não compreendem o funcionamento destas leis.

Por outro lado, religiosos e crentes sugerem que Deus trabalha com as leis naturais para realizar aquilo que os humanos percebem como milagres. Para os teólogos, sendo o Criador, Deus é capaz de trabalhar com as leis, sem as leis, acima das leis e até mesmo sem as leis que regem os processos da natureza. Acredite ou duvide, mas não deixe de conhecer os 7 milagres mais impressionantes da Bíblia:

7. Jesus Exorciza os Demônios

Depois de cruzar o mar da Galileia e chegar até a terra dos gerasenos, local que hoje corresponde à região norte da Jordânia, Jesus recebeu a visita de um homem possuído pelo demônio que vivia em uma caverna nas proximidades.

Ninguém mais conseguia prendê-lo, nem mesmo com as mais poderosas correntes, pois ninguém era tão forte como ele. Ao longo da noite e por todo o dia ele perambulava em meio às tumbas dos mortos e nos morros, chorando e cortando a si mesmo com pedras afiadas.

Quando ele viu Jesus se aproximar à distância, o homem correu, caiu de joelhos na sua frente e então gritou: “O que você quer de mim, Jesus? Não me torture!” Então Jesus perguntou à ele: “Qual é o seu nome?” E ele respondeu: “Meu nome é Legião, pois somos muitos”.

Havia por perto uma horda de porcos que se alimentava na encosta da colina. Os demônios imploraram a Jesus, dizendo: “Envia-nos para os porcos, a fim de que entremos neles”. Com o consentimento de Jesus, os demônios entraram nos porcos, cerca de dois mil deles, que correram pela encosta até caírem no lago e ali se afogarem.

A multidão que se aproximou do evento viu que aquele homem que estava possuído por uma legião de demônios estava agora ali sentado, vestido normalmente e em seu perfeito funcionamento mental. As testemunhas fizeram a notícia correr pela região, e não demorou para que seus habitantes pedissem à Jesus que saísse dali.

6. As Dez Pragas do Egito

De acordo com o livro bíblico do Êxodo, as dez pragas foram dez eventos calamitosos provocados por Deus sobre o Egito, com o objetivo de persuadir o Faraó a libertar os israelitas da escravidão. Após estes estranhos eventos, o Faraó se viu vencido e ali teve início o êxodo do povo judeu.

O livro do Êxodo narra que as pragas foram designadas para fazer contraste entre o poder do Deus hebraico e a impotência dos Deuses egípcios. Em determinado momento da narrativa, o Deus hebraico proclama que todos os Deuses egípcios serão julgados através da décima praga.

Enfim, quais são as pragas que humilharam Osíris e seus companheiros? Primeiro as águas do Nilo se tingiram de sangue, e em seguida as rãs cobrem a Terra, os piolhos atormentam tanto homens quanto animais, que são por sua vez atacados por moscas que de tão numerosas acabam escurecendo o céu.

Aí uma peste atinge os animais, e pústulas cobrem sua pele, assim como a dos seres humanos. Uma chuva de granizo destrói as plantações, que também são atacadas por um gigantesca nuvem de gafanhotos. Para terminar, a boa e velha escuridão que cobre o céu por três dias e a morte dos primogênitos dos homens e também dos animais.

Ao demonstrar a inferioridade dos Deuses egípcios, o Deus hebraico pretendia reforçar a fé do povo hebreu, já que o Egito era uma das grandes potências da época. A Bíblia narra que, para que o Deus hebraico pudesse ser capaz de realizar estes milagres, ele mesmo foi o responsável por endurecer o coração do Faraó, que assim resistiu por mais tempo à ideia de libertar os hebreus.

5. Jesus Caminha Sobre as Águas

Assim que terminou de realizar o milagre de alimentar cinco mil pessoas com cinco pães e dois peixes, Jesus disse aos seus discípulos que fossem até a outra margem do mar da Galileia, enquanto ele ficaria para trás, sozinho, para orar.

A noite chegou, e trouxe com ela um temporal que pegou a embarcação dos discípulos. No meio da escuridão e da tormenta, eles viram a figura de Jesus caminhando sobre as águas do mar. Assustados, eles pensaram que se tratava de algum espírito malígno.

Contudo, Jesus os acalmou, fazendo o mesmo com a tempestade. Então, ele entrou no barco e seguiu com seus discípulos até a outra margem. Um dos relatos ainda acrescenta que Pedro até conseguiu imitar seu mestre por algum tempo, mas por falta de fé acabou se afundado no mar, para depois ser resgatado por Jesus.

Os ensinamentos cristãos consideram que este episódio milagroso tinha a intenção de mostrar a importância da fé, bem como a natureza divina de Jesus através de seu controle sobre os elementos da natureza. Estudiosos da Bíblia enxergam o milagre como um instrumento de afirmação da divindade de Jesus entre os cristãos primitivos.

4. Balaão e sua Jumenta

Esta é uma das histórias mais bem humoradas da Bíblia, já que Balaão acabou se tornando um verdadeiro trapalhão que tentou por três vezes amaldiçoar os israelitas, mas o Deus hebraico fez com que suas maldições se transformassem em bênçãos.

A história é contada no Livro dos Números, onde Balaão era uma espécie de profeta a quem Balaque, o rei dos Moabitas, ordenou que amaldiçoasse o povo de Israel para evitar a destruição de seu povo e escapar da morte. Contudo, Deus determinava que Balaão abençoasse o povo de Israel, o que irritou Balaque.

Balão não proferiu as maldições, mas como acabou sendo seduzido pelas vultuosas ofertas financeiras do rei, resolveu tentar novamente lançar maldições sobre o povo de Israel. No meio do caminho, um anjo aparece na estrada e sua jumenta o vê primeiro, recusando-se a seguir adiante.

Por três vezes a jumenta empaca e por três vezes Balaão a espanca. Aí Deus fala com Balaão através da boca da jumenta, perguntando: “O que foi que eu te fiz para que batas desta forma?” Balaão respondeu: “Você me fez de idiota! Se eu tivesse uma espada eu te mataria agora mesmo!” Foi então que Deus abriu os olhos de Balaão para que visse o anjo com sua espada em punho, e em seguida se prostrasse diante dele.

A história mostra Balaão conversando com a jumenta como se isso fosse um acontecimento normal e cotidiano. Imagine você, na beira da estrada, vendo tudo isso acontecer! Somente Balaão e a sua jumenta eram capazes de ver o anjo. E a jumenta abre sua boca e fala com o profeta, e em hebraico!

3. A Travessia do Mar Vermelho

Esta é uma das histórias mais famosas da Bíblia, e um dos milagres mais impressionantes. Suas circunstâncias já o fizeram ser estudado por diversas vezes pela ciência. Assim como outros eventos fantásticos, ele é determinante para a história do povo de Israel.

Moisés tinha sido escolhido pelo Deus hebraico para retirar os filhos de Israel da escravidão no Egito e conduzí-los até a Terra Prometida. O Faraó tinha concordado com a partida dos hebreus, e eles viajaram pelo deserto, conduzidos de dia por um pilar de nuvens e de noite por um pilar de fogo, até as margens do mar Vermelho.

Mais uma vez, o Deus hebraico decide dificultar um pouco a vida dos seus filhos, e acaba fazendo com que o Faraó os persiga com suas carruagens de guerra. Quando os israelitas vêem o exército egípcio eles entram em pânico, mas o pilar de fogo e as nuvens acabam separando os israelitas dos egípcios.

Então, o Deus hebraico ordena a Moisés que empunhe seu cajado sobre as águas do mar Vermelho, e ao longo de toda a noite um vendaval muito forte divide o mar ao meio, dando origem à uma passagem que os israelitas usam para escapar de seus perseguidores. Os egípcios até tentaram ir atrás deles, mas as águas retornam e o Faraó e seu exército são submersos pelo mar.

2. Josué Faz o Sol Ficar Parado

Este milagre possui dimensões astronômicas. Na Bíblia, encontramos a história de um dia em que o Sol ficou parado, e o tempo acabou não passando. Os israelitas estavam lutando contra os amoritas em Canaã. Durante a batalha, Josué rezou pedindo que o Sol e a Lua parassem, de modo que ele tivesse mais tempo hábil para derrotar seus inimigos.

Para Josué, a batalha parecia que não teria fim. Dado o grande número de combatentes envolvidos, parecia que ela se estenderia por muito tempo, e este foi o motivo que fez Josué suplicar ao Deus Hebraico que detivesse os astros. O dia se tornaria mais longo e haveria mais tempo para que o israelitas acabassem de vez com seus inimigos. Além disso, aparentemente Josué tinha posicionado seu exército com o sol às suas costas, e o sol parado no céu ajudaria a sua tática de guerra.

Os céticos consideram ser este um dos dois eventos mais absurdos da Bíblia, sendo o outro o Dilúvio. As contestações são inúmeras, e bastante fundamentadas desde o ponto de vista científico. Os crentes no literalismo bíblico fecham os olhos aos argumentos, e se concentram em exaltar o fato de que os objeto celestes que eram adorados pelos amoritas acabaram lutando contra eles.

Um interpretação moderna sugere que havia tanta gente na batalha e que foi tanto o esforço dos israelitas para vencer os amoritas, que o dia pareceu tão longo, como se o sol tivesse ficado parado no céu.

1. Jesus Ressuscita dos Mortos

Este talvez não seja o milagre bíblico de maior proporção, mas com certeza é o mais importante do Cristianismo. De acordo com a fé cristã, Jesus voltou com vida ao seu corpo material num domingo, três dias após a sua morte por crucificação na sexta-feira, evento milagroso que se tornou parte fundamental da crença e da teologia cristãs.

Nas diversas passagens do Novo Testamento, logo após os romanos terem crucificado Jesus, ele foi enterrado em uma tumba, mas Deus o teria trazido do mundo dos mortos. Logo após, ele teria aparecido para um grande número de pessoas durante o período de quarenta dias, que antecedeu sua ascensão aos céus.

Os cristãos celebram a ressurreição de Jesus no Domingo de Páscoa, o terceiro dia após a Sexta-Feira Santa, que corresponde ao dia de sua crucificação. O dia da Páscoa corresponde ao Pessach judaico, evento religioso associado ao Êxodo. Além disso, a universalidade desta ressurreição pode ser constatada pela história de Deuses de outras culturas, como Osíris, Mitra e Odin, que também triunfaram sobre a morte.

É importante salientar que, para os gnósticos antigos, a ressurreição de Jesus não era vista como um retorno do espírito ao corpo de carne e osso, mas ora como algo similar à manifestação visível do espírito de Jesus, e ora como um evento simbólico, que representa o triunfo do espírito sobre a matéria.

Receba atualizações do nosso site:
 

Arquivado em: BíbliaCristianismoReligiões

Tags: , , , , , , , , ,

Sobre o Autor

Giordano Cimadon é Psicólogo de formação e profissão. Professor de Gnosticismo, Esoterismo e Hermetismo, organiza os eventos da Sociedade Gnóstica. É escritor e responsável pela supervisão pedagógica de Cursos Online de Esoterismo, Ciências Ocultas (Tarô, Cabala, Astrologia, Magia Quiromancia, Runas) e Gnosticismo.

Comentários (13)

Trackback URL | RSS para os Comentários

  1. tamiris fabiana costa disse:

    deus feis esses milagres e muito mais gente deus e milagroso e bendito eli te ama para sempre e eli esta voltando para nos busca vamos se conserta para volta de cristo nosso pai …

  2. pastor toninho disse:

    um erro muito grave!!

  3. Certamente, um erro gravíssimo!!!

  4. Kadu Köller disse:

    Deus não existe! Deus é ele mesmo e a lei de toda existência! Falar acerca da existência da Deus é a mesma coisa que nega-lo! Deus é! E, portanto existir não é algo que seja próprio dele! Pois existir, é o resultado daquilo que é de si para si mesmo! Eu existo e você existe! E tudo que existe tem um começo, um principio! Mas Deus nunca começou! Deus nunca surgiu, nunca ouve algo que tenha feito Deus aparecer!

    Deus não existe! Se Deus o existisse ele não seria Deus, pois ele teria que ter aparecido dentro de algo surgido de alguma coisa e, portanto essa coisa dentro da qual Deus tivesse surgido seria o Deus de deus! Aquilo que existe somente existe porque antes não existia! Existir surge da não existência.

    Deus, porém nunca existiu, porque Deus É! Aquele que afirma que Deus existe na verdade o nega, pois Deus não tem que ser afirmado, mas apenas crido. Se Deus existisse Dentro da existência ele seria parte dela e não o seu criador. Deus não pertence a nada em relação a ele nada é relacionável! O que existe pertence à categoria das coisas que são porque estão conforme a existência.

    Deus, porém não está Deus é! Deus é a contradição de todas as intuições e percepções. Falar da natureza de Deus é exatamente afirmar aquilo que ele não é! Pois aquele que fala sobre o que é Deus está tentando apresentar provas sobre ele e com isso faz de si mesmo alguém de que Deus depende para ser! Deus não diz eu estou, mas sim diz: EU SOU!

    Deus é o presente absoluto! E quanto às coisas que existem, vivem em constante mudança de passado e futuro daquilo que era e virão a ser sem nunca ser de fato e Deus é de fato!

  5. Tem uma certa lógica! No mínimo, nos faz refletir!

  6. É esse o objetivo destes artigos Kakaw, abraços!

  7. Santo André Ngunza Cambo disse:

    Gostei muito interesante,penso que nesta pagina tem cinquenta por cento daquilo que pensei procurar, seria cem por cento se tivesse outros milagres, porque se olharmos bem a proparia palavra MILAGRE, ja é para deixar impressionado, ainda mais revelado pela Biblia,é nada mais que maravilha. Obrigado

  8. Olá Santo André,

    Outros milagres virão, aí nos tornaremos 100%

    Valeu pelo comentário :)

  9. Eloa disse:

    Olá! Eu gostaria de receber informações mais arraigadas sobre o assunto, dentre outros encontrados na Bíblia. Se possível, fidedignas e com fontes. É uma sugestão.
    A paz! Abraços, grata.

  10. Darley disse:

    a Crença é algo inerente a todos seres humanos (Homem); porém como disse o ilustre Voltaire:”A falsa ciência gera ateus; a verdadeira ciência leva os homens a se curvar diante da divindade.”

    também: “O mundo me intriga, e não posso imaginar que este relógio exista e não haja relojoeiro.”

    Se existe um mundo, existe um criador desse mundo que trabalha organizando-o conforme sua vontade, ele é o legislador e não existe nada que exista, sem que antes existisse algo, esse Deus (dos hebraicos, dos crentes, dos protestantes, de ontem, hoje e sempre)é criador e não criatura, sempre existiu e criou tudo!!! Ateísmo nada mais é que a incapacidade de reconhecer a supremacia de outrem, de saber que existe alguém/ Algo Maior!
    Abç.

    Darley Pereira

  11. Eli Eleuterio Farias disse:

    Paz de Cristo Jesus.Muito aprendi a cerca de Milagre nesta página,mas tbm creio que nós seres humanos,somos um grande milagre de Deus.Abraços.

Deixe seu comentário:




show
 
close